Temas de Capa

Os apostadores desportivos correm um risco maior de se tornarem jogadores problemáticos

Os apostadores desportivos correm um risco maior de problemas de jogo em comparação com outros tipos de jogadores, diz um novo estudo da Universidade de Guelph.

O estudo, conduzido pelo professor de psicologia Harvey Marmurek, bem como pelos alunos de mestrado Alysha Cooper e Katrina Olfert, pesquisou 1.280 jogadores autoidentificados em Ontário, 596 dos quais haviam feito apostas desportivas no ano passado, e pediu-lhes que se pontuassem em conhecidos indicadores de problemas de jogo.

Os apostadores desportivos correm-
Créditos: DR.

Os indicadores de problemas de jogo incluem apostas fora das suas posses, jogos de azar com grandes quantias de dinheiro pelo mesmo nível de emoção e jogos de azar que causaram problemas financeiros, de saúde ou de relacionamento.

“Fizemos muitas perguntas sobre as suas motivações, cognição, impulsividade e eles tendiam a ter uma pontuação mais alta em quase tudo”, disse Marmurek. “Eles são mais motivados pelo desafio intelectual, por exemplo. Eles também são mais elevados, em geral, na impulsividade.”

O estudo descobriu que os jogadores de apostas desportivas, que provavelmente são homens jovens, não apenas correm um risco maior de se tornarem jogadores problemáticos, mas também estão mais envolvidos no jogo, têm opiniões mais positivas em relação ao jogo e são mais propensos a acreditar no seu próprio autocontrolo e chances de vitória.

Os pesquisadores concluíram que o problema não são as apostas desportivas em si, mas o tipo de comportamento e personalidade das pessoas atraídas por este tipo de apostas.

“É mais provável que eles digam que o fazem porque acham que vão vencer …”, diz Marmurek. “Todos os jogadores pensam que provavelmente há mais danos do que benefícios. Mas os jogadores de apostas desportivas têm uma atitude mais positiva em geral, de modo que a sua classificação de “os danos superam os benefícios” … é mais baixa do que os jogadores não desportivos”.

Marmurek diz que o principal fator de distinção entre os jogadores de apostas desportivas e os que não são jogadores deste tipo de apostas é a sua impulsividade. “Para jogadores não desportivos, as principais condições sob as quais eles tendem a perder o controlo é quando estão de mau humor”, diz Marmurek. Perdas ruins podem ser gatilhos potenciais para aumento de apostas e comportamento mais arriscado, de acordo com Marmurek.

“Para os jogadores de apostas desportivas, é o contrário. É quando eles estão numa sequência de vitórias, quando estão no meio da multidão, quando estão animados, quando a sua equipa está a ganhar, é quando eles perdem o controlo”, diz Marmurek.

No Canadá, poucas pesquisas foram feitas sobre as características dos jogadores de apostas desportivas. No entanto, pesquisas sobre este tipo de jogadores realizadas na Austrália e nos EUA mostraram de forma semelhante que os homens jovens são o grupo com maior probabilidade de se envolver em apostas desportivas e que, de uma forma geral, este tipo de apostadores apresentam níveis mais altos de impulsividade.

Este estudo surge no momento em que o governo federal apresentou o Projeto de Lei C-218, que poderá acabar com a proibição, que ainda vigora no Canadá, de se fazerem apostas desportivas num só jogo.

De acordo com a lei canadiana atual, as apostas desportivas só podem ser feitas em parlay, o que significa que os jogadores devem apostar no resultado de três eventos desportivos e não podem fazer apostas num único jogo (com exceção das apostas nas corridas de cavalos).

Se o Senado votar a aprovação do projeto de lei C-218, o Canadá permitirá o estilo americano de apostas desportivas de evento único, uma mudança que pode resultar num mercado de apostas estimado em quase US $ 6 bilhões.

Embora este estudo não esteja relacionado com essas alterações legais propostas, Marmurek diz que se o projeto de lei C-218 for aprovado, mais trabalho precisará ser feito para educar as pessoas sobre o risco do jogo desportivo.

“Seja como for implementado, terá que haver muitas mensagens nos locais”, diz Marmurek. “Agora há mensagens, mas será necessário aumentar as mensagens relacionadas às apostas desportivas para garantir que as pessoas colocam um limite em si mesmas, joguem com responsabilidade e não deixem que as suas emoções os dominem”.

Joana Leal/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER