Temas de Capa

Descoberta de corpos indígenas leva alguns municípios a cancelarem celebrações do Dia do Canadá

A descoberta dos restos mortais de 215 crianças indígenas na antiga Escola Residencial Indígena Kamloops na Colúmbia Britânica fez com que algumas cidades cancelassem este ano as celebrações do Canada Day, o ano em que o país assinala os seus 154 anos como nação.

Descoberta de corpos indígenas-canada-mileniostadium
Créditos: DR.

Victoria, Penticton e Port Hardy foram das primeiras cidades canadianas a cancelar as celebrações oficiais, mas outras cidades seguiram o mesmo exemplo. A recente descoberta de 715 corpos de crianças e adultos indígenas numa antiga escola residencial em Saskatchewan veio acender ainda mais o debate e alguns defendem que este ano não existem razões para celebrar.

A capital de BC, Victoria, foi a primeira cidade a cancelar as cerimónias devido à descoberta dos corpos indígenas naquela província. O City Council decidiu por unanimidade cancelar as comemorações e a autarquia disse que não se sentia confortável com as celebrações depois da descoberta dos corpos na província.

Depois seguiram-se Penticton e Port Hardy. O autarca John Vassilaki disse que a cidade de Penticton, com mais de 33,000 habitantes, estava à espera de indicações de Otava para perceber se assinalava ou não o Dia do Canadá, mas uma conversa com o Chief Greg Gabriel do Penticton Indian Band foi suficiente para tomar uma decisão. Gabriel disse que o Penticton Indian Band ia apreciar se a cidade cancelasse as celebrações este ano. Como forma de respeito pela comunidade indígena e em prol da reconciliação Penticton acabou por cancelar as cerimónias.

A cidade de Port Hardy, com pouco mais de 4,000 habitantes, disse que depois de ouvir as histórias dos sobreviventes das escolas residenciais sentiu que era preciso corrigir os erros do passado. Para a autarquia de Port Hardy não seria apropriado e não mostraria respeito fazer as celebrações este ano. A verba que a cidade ia usar para as celebrações vai ser utilizada para apoiar a comunidade indígena local.

Sob o lema de #CancelCanadaDay, estão a ser organizados várias manifestações na Colúmbia Britânica, Alberta, Ontário e Manitoba. O objetivo é sair à rua no Dia do Canadá e mostrar solidariedade com a comunidade indígena e trabalhar em prol da reconciliação. Kelowna em BC e Belleville em Ontário também já cancelaram as celebrações oficiais.

O autarca de Pickering, em Ontário disse no Twitter que a cidade ia mudar o curso das atividades comemorativas do Dia do Canadá e ia focar-se na reflexão e na educação para a reconciliação. O Rotary Club de Guelph cancelou as celebrações oficias do Dia do Canadá devido à pandemia de COVID-19 e a cidade disse que os canadianos deviam aproveitar o dia para sensibilização e reflexão.

O Premier de Ontário, Doug Ford, disse que os habitantes da província deviam aproveitar o dia para refletir sobre o que aconteceu nas comunidades da First Nations nas últimas décadas e sublinhou que o seu governo vai apoiar as comunidades indígenas com qualquer recurso que precisem. As declarações de Ford foram feitas à margem de uma conferência de imprensa coletiva em Bracebridge, Ont.

Em New Brunswick os municípios de Cap-Pelé, New Maryland, Rogersville, Bathurst, Saint John e a capital Fredericton também cancelaram as celebrações oficiais. A cidade de Calgary, em Alberta, informou que vai assinalar o aniversário da Confederação com fogo de artifício, mas este ano vai homenagear os indígenas que morreram nas antigas escolas residenciais.

No ano passado, devido à primeira vaga da pandemia, muitos dos grandes eventos e concentrações públicas do Dia do Canadá foram cancelados ou foram celebrados virtualmente. O Dia do Canadá é um feriado estatutário federal que celebra o aniversário da confederação canadiana que aconteceu a 1 de julho de 1867. As três colónias separadas – Canadá (Ontário e Quebec), Nova Scotia e New Brunswick – foram unidas num único, dentro do então Império Britânico, a que se chamou Canadá. No início começou por chamar-se Dia do Domínio, mas em 1982 passou a chamar-se Dia do Canadá, designação que se mantém até hoje.

Lista de símbolos canadianos

Coroa Canadiana

A Coroa tem sido um símbolo do Estado no Canadá, durante 400 anos. O Canadá tem sido uma monarquia constitucional por direito próprio desde a Confederação de 1867 durante o reinado da rainha Victoria.  A Coroa é um símbolo do governo, incluindo o Parlamento, o poder legislativo, os tribunais, os serviços policiais e as Forças Canadianas.

Bandeira

Uma nova bandeira canadiana foi içada pela primeira vez em 1965. O padrão vermelho-branco-avermelhado vem da bandeira do Royal Military College, em Kingston, fundado em 1876. O vermelho e o branco tinham sido cores de França e Inglaterra desde a Idade Média e as cores nacionais do Canadá desde 1921. As províncias e territórios também têm bandeiras que encarnam as suas tradições distintas.

Descoberta de corpos indígenas-canada-mileniostadiumA folha de ácer

A folha de ácer é o símbolo mais conhecido do Canadá. As folhas de ácer foram adotadas como um símbolo pelos canadianos franceses em 1700. A folha de ácer aparece nos uniformes e nas insígnias canadianas desde 1850 e são esculpidas nas lápides dos soldados canadianos que morreram no estrangeiro e no Canadá.

 

 

Descoberta de corpos indígenas-canada-mileniostadiumFlor de Lis

Diz-se que a flor de lis era adotada pelo rei francês no ano de 496. A flor tornou-se o símbolo da realeza francesa durante mais de 1.000 anos, incluindo a colónia da Nova França. Reavivada na Confederação, a flor de lis foi incluída no Canadian Red Ensign. Em 1948 o Quebec adotou a flor na sua própria bandeira.

 

Joana Leal/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER