Uncategorised

Os não residentes do Canadá possuem menos de 5% da habitação em Toronto e Vancouver

Os não residentes do Canadá possuem menos de cinco por cento da habitação nas áreas metropolitanas de Toronto e Vancouver, de acordo com dados divulgados esta terça-feira pela Estatísticas Canadá.

Num projeto conjunto com a Canada Mortgage and Housing Corporation, a agência de dados entrou no debate sobre a propriedade estrangeira no mercado imobiliário com novos números.

O assunto tem estado em foco este ano, já que os formuladores de políticas começaram a lidar com o tipo de impacto, se houver, que os residentes não canadianos estão a ter no mercado imobiliário. Alguns dizem que o interesse dos estrangeiros está a levar a uma subida dos preços, enquanto que outros sugerem que o problema não é generalizado e está focado em pequenos segmentos do mercado.

Os dois mercados examinados no relatório implementaram regras para reprimir os compradores estrangeiros, com Vancouver e, em seguida, Toronto a implementarem a sua versão de um imposto sobre os compradores estrangeiros nos últimos dois anos.

Para os propósitos do relatório divulgado na terça-feira, a Estatísticas Canadá pode incluir cidadãos canadianos no que define de “não residentes”. Para a agência, um não residente é um cidadão canadiano que já não vive no país (mas ainda possui imóveis) ou um não-cidadão que possui propriedade no Canadá sem viver no país como a sua residência principal.

Os números mostram que, independentemente do impacto que os não residentes estão a ter no mercado, este é relativamente pequeno. Os não residentes detinham 3,4 por cento de todos os imóveis residenciais em Toronto e 4,8 por cento em Vancouver.

Essa percentagem é ainda menor para uma moradia, onde os não residentes possuem 2,1% delas em Toronto e apenas 3,2% em Vancouver.

A história é um pouco diferente no caso de apartamentos de condomínio, com os não residentes a possuirem uma parcela maior. Quase oito por cento dos apartamentos de condomínio na área metropolitana de Vancouver são detidos por não residentes. Em Toronto, o número é ligeiramente inferior, mas ainda assim, acima de sete por cento.

Em média, os apartamentos de condomínio, na posse de não residentes, valem 30 por cento mais do que outros, o que sugere que as residências com mais qualidade têm a preferência dos não residentes.

O condomínio médio na posse de um não residente, localizado no centro de Vancouver, tinha um valor de 930 600 dólares. No centro de Toronto, a média era de 439 000 dólares.

Há alguns anos que a CMHC tem acompanhado a propriedade estrangeira, através de uma pesquisa junto dos proprietários, mas os números de 2017 marcam a primeira vez que a Estatísticas Canadá analisou o mesmo tópico, através de um conjunto diferente de números, retirados do preenchimento de declarações de impostos e outros dados de títulos e avaliações de imóveis.

Embora os dois conjuntos de números sejam ligeiramente diferentes, a CMHC observa que as medidas de controle sobre os compradores estrangeiros em Toronto e Vancouver tiveram pelo menos um impacto inesperado, na medida em que parecem estar a mudar alguma da procura para Montreal.

No ano passado, os não residentes detinham 1,1% dos apartamentos de condomínio na região da Grande Montreal. Este ano, essa percentagem subiu para 1,7% – ainda baixa, mas um aumento de mais de 54% em um ano.

A CMHC analisou também os níveis de propriedade dos não residentes em 17 das maiores cidades do Canadá e, na grande maioria delas, as percentagens estavam abaixo de um por cento.

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER