BlogTemas de Capa

Do passado… se faz presente

dna-2021-08-29-01-04-16-utc - milenio stadium - 2022-04-29

 

Profissionais que compartilham a paixão pela história e pesquisa e dedicam seu conhecimento e trabalho em extensas investigações para ligar pontos, estabelecer conexões e assim ir dando forma à colcha de retalhos da qual são compostas famílias e populações. Ajudar diferentes pessoas a descobrirem mais sobre seu passado e consequentemente sua vida a partir de informações de antepassados é um dos principais objetivos dos genealogistas. Uma vasta área que utiliza diferentes ferramentas para tentar desvendar histórias familiares e chegar a respostas para diferentes questionamentos pessoais de quem contrata o serviço.

Para nos explicar um pouco sobre as linhas de trabalho e outros pormenores de seus ofícios, nesta edição que se debruça sobre esse tema da genealogia, o Milénio Stadium entrevistou duas profissionais canadianas de destacada carreira e vasta experiência no ramo. Confira o que pensam sobre o interesse de clientes na área, a expansão desse mercado com a multiplicação de empresas, a importância de elementos como testes de ADN nesse processo e até mesmo o quão credíveis são as informações obtidas por essa análise.

lyn-meehan-portrait - milenio stadium - 2022-04-29Milénio Stadium: Como você pode definir ou explicar em poucas palavras o trabalho que você faz como genealogista?
Lyn Meehan: No passado, já trabalhei para clientes particulares que buscavam informações sobre seus antepassados para a constrição de uma trilha hereditária. Nesse processo se incluem serviços como a recuperação de um único documento ou material de consulta, até algo mais amplo como o desenvolvendo uma árvore genealógica multigeracional abrangente para pessoas que o encomendavam para uma comemoração especial de família, já ajudei pessoas que foram adotadas a encontrar os pais biológicos, na procura por herdeiros, e trabalhei para escritores/autores, colunistas e muito mais. Nos últimos quatro anos, sou a única genealogista do Canadian Casualty Identification Program (CIP), da Diretoria de História e Patrimônio do Departamento de Defesa Nacional de Otava. O objetivo do projeto CIP era recuperar e identificar os restos mortais dos mortos de guerra do Canadá na Primeira e Segunda Guerra Mundial e da Coreia, para que possam ser enterrados com um nome, de acordo com a unidade a que pertenciam ou com outros membros de sua família. O meu trabalho era estabelecer a linhagem entre soldados mortos e parentes vivos, coletando e correlacionando documentação privada e pública e desenvolvendo-a em um relato narrativo da família para os militares. Então, selecionei parentes de sangue vivos para diferentes testes de ADN e entrei em contato com eles. Atualmente, estou auxiliando vários advogados em litígios e ajudar as comunidades indígenas a descobrir suas raízes e verificar linhagens para membros de grupos. O meu trabalho envolve organização e metodologia de pesquisa como requisitos fundamentais na produção de um relatório de qualidade. Informações confiáveis e imparciais são coletadas, analisadas, correlacionadas e avaliadas. Às vezes surgem conflitos com informações de diferentes fontes e nessa altura uso métodos alternativos para encontrar soluções de pesquisa.

MS: Qual é o papel que o ADN desempenha para ajudar a rastrear a ascendência de alguém?
LM: A evidência de ADN pode, às vezes, revelar um mistério familiar. No entanto, o teste de ADN combinado com arquivos e documentos históricos garante um melhor resultado e às vezes mais rápido. O teste ajuda aquelas pessoas adotadas ou que foram abandonadas a encontrar seus pais biológicos, auxilia os indivíduos a confirmar a etnia e os ajuda em circunstâncias onde os pais são reservados ou não conhecem suas origens. Como mencionado acima, o ADN desempenha um GRANDE papel na identificação de restos mortais encontrados em escavações arqueológicas, investigações de cenas de crimes, litígios e muito mais.

MS: A maioria das pessoas que contratam seu trabalho, o que procuram, é apenas curiosidade para saber sobre seus antepassados ou geralmente há algo mais?
LM: Após 40 anos de estudo, ofereço uma ampla gama de serviços. Ele pode se concentrar em uma tarefa específica, como recuperação de documentos, consulta para estender a linhagem de alguém ou ir ser mais amplo e desenvolver uma árvore genealógica multigeracional abrangente para uma reunião familiar ou comemoração especial. A pesquisa ancestral de qualidade pode ajudar as famílias a resolver origens culturais, validar histórias familiares, qualificar indivíduos para dupla cidadania, encontrar parentes perdidos ou deixar um legado para as gerações futuras.

MS: O Canadá é um país de diferentes etnias. Isso torna o trabalho desenvolvido aqui mais difícil de alguma maneira?
LM: Certamente, o Canadá é um país multicultural e de diferentes etnias. Dividido entre a comunidade britânica e heranças europeias, há uma pitada de descendência africana, asiática e eslava, portanto, o genealogista canadiano deve ser diversificado. Embora a base central dos princípios de pesquisa seja quase a mesma para todos os grupos étnicos, o maior desafio aqui é romper a barreira do idioma e identificar as origens para encontrar a base familiar. Isso, obviamente, está se referindo aos imigrantes. Mas e os indígenas canadianos? Agora, mais do que nunca, os indígenas, e estou falando dos povos do Tratado, assim como dos Métis, estão querendo respostas sobre ‘quem realmente são’. A partir do início de 1900, muitas crianças foram retiradas de suas comunidades de origem e criadas desde o nascimento até os 16 anos, colocadas em Escolas Residenciais Indígenas, acolhidas no ‘Sixty Scoop’, etc. Hoje, os aborígenes estão lutando pelo caminho de volta à sua herança, ao seu lar de sangue, usando um conjunto separado de registros e técnicas de genealogia à parte do “europeu branco”.

MS: O campo da genealogia está se tornando mais popular e atualmente existem muitas empresas com esse tipo de serviço. Qual é a sua opinião sobre isso?
LM: Pessoalmente, não tenho nenhum problema em quem opta por contratar uma empresa ou genealogista independente para executar esse serviço. A minha maior preocupação é com o cliente.
Eles estão verificando as credenciais do profissional que contratam, pedem referências, avaliações, preços, linha do tempo, conhecem o histórico do país que estão pesquisando, têm o conhecimento dos arquivos e/ou biblioteca local? Estas são apenas algumas perguntas que eu faria a um indivíduo ou empresa antes de contratá-los para realizar o trabalho genealógico.

MS: As conclusões feitas neste campo são 100% credíveis?
LM: A minha resposta para essa pergunta é: NÃO. Vários relatórios anteriores feitos por empresas ou profissionais encomendados por clientes já chegaram à minha mesa de trabalho. Alguns contendo relatos fragmentados, argumentos inconclusivos, seguindo uma possível ligação, mas a linhagem errada. Outros ficam aquém porque o genealogista não está familiarizado com os registros existentes para aquele país, província, estado, município e/ou comunidade. Também vivi onde outra vocação histórica se representou como genealogista. Um bom genealogista é bem afinado forense e tem qualidades de resolução de problemas.

MELISSA - milenio stadium - 2022-04-29Milénio Stadium: Como você pode definir ou explicar em poucas palavras o trabalho que você faz como genealogista profissional?
MJS: Os genealogistas trabalham como pesquisadores encontrando documentação que comprove que um ancestral de uma pessoa existiu em um determinado lugar e tempo.

MS: Qual é o papel que o ADN desempenha para ajudar a rastrear a ascendência de alguém?
MJS: A pesquisa de ADN pode expandir a sua família ao encontrar parentes próximos e distantes, ou conectá-lo a um pai desconhecido numa situação de adoção e fornecer uma estimativa percentual de sua etnia genética.

MS: A maioria das pessoas que contratam seu trabalho, o que procuram, é apenas curiosidade para saber sobre seus antepassados ou geralmente há algo mais?
MJS: Geralmente os historiadores da família procuram o meu trabalho porque atingiram uma “parede de tijolos”. Eles precisam de documentação do seu ancestral que não conseguiram localizar para que possam voltar ainda mais no tempo. A contratação de um genealogista profissional concentra a pesquisa para encontrar as informações necessárias para atingir esse objetivo.

MS: O Canadá é um país de diferentes etnias. Isso torna o trabalho desenvolvido aqui mais difícil de alguma maneira?
MJS: Os desafios geralmente não são devidos à etnia, mas se a papelada original do seu antepassado sobreviveu ao longo dos anos. Alguns imigrantes chegaram aqui antes de o país se chamar Canadá e documentar todas essas pessoas naquele período não era uma prática universal. Então, definitivamente diria que os primeiros registros de imigração são os mais difíceis de serem descobertos.

MS: O campo da genealogia está se tornando mais popular e atualmente existem muitas empresas com esse tipo de serviço. Qual é a sua opinião sobre isso?
MJS: Os Genealogistas Profissionais são certificados ou pertencem a uma associação APG, (Associação de Genealogistas Profissionais) que incentiva os altos padrões e a formação e estudo contínuo de seus membros.
O público pode ter a certeza que quando contrata genealogistas profissionais eles são conhecedores ou realizaram estudos na disciplina genealógica.

MS: As conclusões feitas neste campo são 100% credíveis?
MJS: Os genealogistas trabalham com um ethos do Genealogical Proof Standard (GPS), que é um processo rigoroso no qual as suas conclusões devem ser apoiadas por vários tipos de documentação (prova).

Lizandra Ongaratto/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER