Temas de CapaBlog

“Intervenções naturais oferecem suporte ao organismo mas má alimentação, sedentarismo e stress continuam a comprometer o sistema imunitário”

Xermã Palmares

Intervenções naturais oferecem suporte-capa-mileniostadium
Créditos: DR

O calor já se foi, não está tão frio quanto no inverno e parece que tudo fica mais charmoso. Falamos do outono, claro, mas entre os encantos da estação circulam também inúmeras ameaças à nossa saúde. Desde os vírus aos fatores que baixam o nosso sistema imunitário, em ano de pandemia os perigos redobram-se e apostar na prevenção parece mesmo ser o melhor remédio. Em busca de fortalecer o organismo, equilibrar o corpo e a mente, tem sido crescente o número de pessoas que procuram na natureza a chave para a sua saúde.

As terapias integrativas complementares, popularmente conhecidas como terapias alternativas, têm sido muito procuradas na última década como forma de melhorar a qualidade de vida em diversos aspetos. São conhecidas como terapias integrativas os métodos de tratamento que fogem ao padrão da medicina convencional. Ao contrário dos medicamentos alopáticos e dos tratamentos convencionais, as terapias integrativas oferecem uma forma diferente de lidar com o indivíduo, tendo uma visão holística do ser humano e até de outros seres vivos. É reconhecido que fatores emocionais e físicos estão interligados no que diz respeito à saúde de um ser e há ainda quem acredite que é possível adicionar a parte energética e espiritual a esse contexto. Assim, muitas doenças seriam manifestaçōes de desequilíbrios e falta de harmonia entre todos esses polos. Nesse sentido, os terapeutas oferecem formas de tratamento para prevenir, auxiliar e até curar as mais variadas condiçōes. A maioria das formas de tratamento são baseadas em conhecimentos milenares, provenientes das culturas orientais e indígenas. Alguns exemplos são a fitoterapia, acupuntura, aromaterapia, shantala, florais, ayurveda e medicina tradicional chinesa. Para nos guiar por este universo, esta semana falamos com um profissional da área. Depois de 15 anos de prática de medicina alopática, no Brasil, o Dr. Xermã Palmares voltou a sua carreira profissional para uma abordagem integrativa. Agora a trabalhar no Canadá como naturopata certificado, tem ajudado os seus pacientes a viver melhor de forma natural. Quisemos saber que conselhos tem para nos deixar nesta época que atravessamos.

Milénio Stadium: Estamos a chegar à época do ano em que o nosso sistema imunitário é tipicamente mais atacado. Como é que, de forma natural, podemos reforçar o nosso organismo para combater invasores como os vírus da gripe, entre outros?

Intervenções naturais oferecem suporte-capa-mileniostadium
Xermã Palmares. Crédito: DR

Xermã Palmares: As terapias naturais visam oferecer suporte ao organismo. Estas terapias trabalham em conjunto entre elas e, principalmente, em conjunto com o estilo de vida da pessoa. Podemos dizer a uma pessoa que certa terapia natural pode dar suporte ao sistema imunológico, porém, não modificar hábitos que continuam a enfraquecer o organismo não é a melhor abordagem. Por outro lado, combinar boas práticas de saúde através de alimentação saudável, gerenciamento do estresse, atividade física apropriada, repouso, boa hidratação, higiene pessoal adequada, distanciamento de ambientes onde há muitas toxinas, são todas medidas de suporte e que podem nos ajudar durante períodos de maiores riscos à saúde.

MS: Do vasto universo das terapias holísticas, quais recomenda para esta finalidade? Existe algum tratamento específico da acupuntura, fitoterapia, hidroterapia ou outra para levantar as defesas do corpo?

XP: Há realmente, uma grande variedade de terapias naturais. Entretanto, algo que precisa ser enfatizado é que os tratamentos naturais são para o suporte da saúde do indivíduo. Assim sendo, medidas naturais de suporte tais como orientações alimentares, atividade física, fitoterapia e técnicas para o gerenciamento de estresse, entre outras, podem ser individualizadas e oferecidas à pessoa que as busca. Normalmente, são medidas simples para se colocar em prática. Por exemplo, através da análise dos hábitos alimentares, os alimentos que o indivíduo consome que podem interferir negativamente com o bom funcionamento do sistema imunológico serão identificados e então, recomendações nutricionais serão feitas. Outro ponto relevante é o gerenciamento do estresse. O estresse mal gerenciado aumenta os níveis de cortisol no sangue. Este hormônio é importante para nossas funções diárias, no entanto, em níveis elevados por tempo prolongado, o cortisol pode aumentar a pressão arterial, aumentar a glicose no sangue, causar fraqueza muscular, causar insônia e também reduzir a capacidade do sistema imunológico de se defender. O estresse é parte inegável da vida, porém há várias maneiras que podem nos ajudar a gerenciá-lo.

Algumas intervenções são meditação de atenção plena, ou como se diz em inglês, mindfulness meditation, exercícios respiratórios, o uso de diários, certos fitoterápicos e minerais. Entre os minerais e fitoterápicos, as escolhas serão feitas conforme a história clínica do indivíduo, pois certas terapias têm mais afinidade para órgãos e funções específicas que podem ser diferentes das necessidades do indivíduo. No momento de se escolher qual ou quais terapias iniciar, é muito importante considerar a análise do estilo de vida da pessoa, pois isso pode indicar quais os pilares para a boa saúde que devem ser restaurados. Novamente, é preciso manter em mente aplicar boas medidas de suporte à saúde, porém continuar com um estilo de vida que expõe o organismo não é a melhor abordagem. É sempre importante estar atento também à possibilidade de interações de certos tratamentos naturais com os tratamentos e medicações que o paciente já está fazendo.

MS: Existe uma forma de avaliar o estado do nosso sistema imunitário, seja através de um exame ou outro tipo de teste?

XP: Sim, isso pode ser feito de maneira clínica e também através de exames laboratoriais. Durante a consulta clínica, um historial de doenças infecciosas em alguma parte do corpo que se repetem várias vezes pode ser indício de algum tipo de deficiência que enfraquece o sistema imunológico. Por exemplo, o paciente que apresenta vários episódios de infecção de garganta ou nos ouvidos em um curto período. Entre os exames laboratoriais, o mais comum é a contagem completa de células do sangue, também chamado hemograma completo ou, em inglês, complete blood count (CBC). A partir de suspeitas clínicas, este exame pode ser solicitado, e então o diagnóstico de doenças que podem interferir na capacidade do corpo de se defender contra agentes da infecção pode ser feito. Neste exame, uma pequena amostra de sangue do paciente é colhida em laboratório e as células naquela amostra são contadas e analisadas. Entre os vários resultados possíveis, eis dois exemplos que podem interferir com a capacidade do sistema imunológico de se defender: a anemia e a leucopenia. Na anemia há uma diminuição das células vermelhas do sangue. Estas células são ricas em hemoglobina, que é a molécula que transporta o oxigênio e o gás carbônico. A hemoglobina necessita de ferro para o seu bom funcionamento. A carência de ferro é uma causa comum de anemia. O ferro em excesso pode causar sérios problemas de saúde, porém, quando há escassez de ferro, o indivíduo se torna mais suscetível às infecções, pois o ferro também é necessário para se defender contra agentes infecciosos. Na leucopenia existe uma diminuição dos leucócitos ou células brancas do sangue. Estas células têm participação direta na defesa contra agentes da infecção e na fabricação de anticorpos contra tais agentes. Novamente, o excesso de leucócitos pode significar doenças, por outro lado, a escassez destas células também pode tornar o indivíduo mais vulnerável a infecções por vírus, bactérias, fungos, etc. Há outros testes sofisticados para se avaliar o funcionamento do sistema imunológico, porém um bom exame clínico e, nos casos onde há indicação, um hemograma completo, podem ser o ponto inicial no tratamento.

MS: Quais são as causas mais comuns de sistema imunitário enfraquecido que vê nos seus pacientes?

XP: Má alimentação, sedentarismo e mau gerenciamento do estresse. Há outras situações, como por exemplo pacientes que estão passando ou concluíram o tratamento contra o câncer e então precisam de suporte para o sistema imunológico, no entanto a má alimentação, a falta de atividade física apropriada e o mau gerenciamento do estresse são francamente muito comuns e cada um deles pode comprometer o bom funcionamento do sistema imunológico de uma certa maneira.

MS: Quais são as vantagens de apostar em terapias naturais para fortalecer o nosso corpo ao invés de opções químicas?

XP: A vasta maioria das intervenções naturais que oferece suporte ao organismo são consideradas gentis e com baixa possibilidade de efeitos adversos, embora não sejam isentas destes efeitos. As intervenções naturais partem do princípio de que o organismo é capaz de manter e restabelecer o seu bom funcionamento desde que os seus órgãos e funções recebam suporte apropriado para se manter em equilíbrio com o ambiente onde vive. Aqui a palavra-chave é “suporte”. Cuidados e orientações profissionais devem ser sempre buscados, pois nas situações onde existe risco eminente de vida e também nas situações onde as terapias naturais isoladamente não são capazes de reverter a situação clínica, o socorro das intervenções químicas se faz necessário.

As respostas apresentadas aqui são de opinião própria e as informações apresentadas não têm caráter de diagnóstico nem de recomendações. Estas informações não se destinam a substituir o diagnóstico nem as recomendações de um profissional de saúde. Em caso de emergência, chame o 911 ou o seu serviço de emergência local.

Telma Pinguelo/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER