Temas de Capa

Carne, peixe e produtos lácteos com o maior aumento de preços

Carne, peixe e produtos lácteos-canada-mileniostadium
Créditos: DR

O custo de vida está cada vez mais elevado para os canadianos e até os mais distraídos já repararam que uma ida ao supermercado significa uma conta cada vez mais elevada e um carro de compras cada vez mais vazio. Os recordistas de preço são a carne, o peixe e os produtos lácteos. Segundo o Statistics Canada, o preço do bife do pojadouro aumentou de $17,97 por kg em março deste ano para $19,05 por kg em julho. O bife do acém aumentou de $36,66 por kg para $41,39. A carne de porco também aumentou 5 por cento e o pão e as bolachas também devem continuar a aumentar por causa do aumento do preço do trigo e dos cereais. Por outro lado, o preço do frango manteve-se estável durante toda a pandemia.

A Statistics Canada revela ainda que o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) aumentou este ano em agosto para mais 4,1 por cento, quando em agosto de 2019, ou seja, antes da pandemia, se situava nos 2,1 por cento. O Milénio Stadium falou com o Conference Board of Canada e o economista chefe Pedro Antunes disse-nos que o aumento da procura no mercado mundial acompanhado por uma diminuição da oferta fez disparar os preços de venda ao consumidor. Questionado sobre quando podemos esperar dias melhores, Antunes é cauteloso: “poderá levar apenas algumas semanas ou meses ou um período muito mais longo”.

Os recordes no preço do petróleo e outros produtos energéticos no mundo e no Canadá também estão a contribuir para esta tempestade. Enquanto o preço da energia não baixar significa que o custo do transporte vai continuar elevado e por isso o consumidor final vai continuar a pagar a diferença. Enquanto a conjuntura não muda se quiser poupar dinheiro sem se tornar vegetariano talvez o melhor seja explorar receitas com frango.

Milénio Stadium: Porque é que o preço dos produtos alimentares aumentou tanto nos últimos meses? 

Carne, peixe e produtos lácteos-canada-mileniostadium
Pedro Antunes economista chefe do Conference Board of Canada. Créditos: Blair Gable /DR.

Pedro Antunes: O preço dos alimentos é uma área de preocupação que tem aumentado nos últimos meses e que contribuiu fortemente para o aumento da inflação global do IPC (Índice de Preços no Consumidor). Os preços agrícolas, especialmente da carne e das oleaginosas, estão a subir acentuadamente. Isto deve-se a uma forte procura de exportação e a restrições de oferta a nível mundial. Além disso, a procura de alimentos dos restaurantes aumentou à medida que as restrições da COVID-19 foram diminuindo. A nível retalhista, a carne, peixe e produtos lácteos estão a registar o maior aumento de preços.

MS: Quanto tempo é que este efeito vai durar?

PA: No Canadá e a nível mundial, há um aumento da procura de alimentos e de outros bens de consumo à medida que as economias reabrem depois dos confinamentos pandémicos. As pressões inflacionistas vão continuar até que a capacidade de produção e de transporte recupere. Dependendo dos produtos e serviços, isto poderá levar apenas algumas semanas ou meses ou um período muito mais longo. Globalmente, o a nossa previsão é que a inflação vai começar a abrandar para um ritmo mais normal até ao final deste ano.

MS: Quais são os canadianos mais afetados por este aumento de preços?

PA: As famílias com baixos rendimentos são as que gastam uma parte maior dos seus rendimentos em necessidades básicas, tais como alimentação, vestuário e habitação, por isso elas vão ser as mais afetadas por este aumento de preços.

MS: Este é o momento para aumentar o salário mínimo nas províncias? Ontário aumentou recentemente o ordenado mínimo em 10 cêntimos, mas este aumento é suficiente?

PA: Os salários mínimos têm aumentado em Ontário e em várias outras províncias nos últimos anos, pelo que os salários mínimos são geralmente mais altos do que em 2018 e antes. Estamos a assistir a um aumento das vagas de emprego com salários mais elevados. Se os salários mínimos forem aumentados de acordo com a inflação, esta é uma alavanca política que pode ajudar a diminuir o impacto dos preços mais elevados nos trabalhadores com rendimentos mais baixos. No entanto, existem problemas com o aumento dos salários mínimos. A questão principal é que os salários mínimos são aplicados ao mesmo nível nas províncias, quando na realidade o custo de vida varia muito entre uma cidade como Toronto e comunidades rurais mais pequenas.

MS: Isto significa que os canadianos vão ter de ser mais disciplinados e fazer mais comparações antes de irem a um supermercado? Talvez prefiram grandes supermercados em vez de mercearias?

PA: Os consumidores mudam o seu comportamento de compra quando o preço dos bens e serviços muda. No caso dos alimentos, ainda precisamos de manter o nosso consumo, mas os agregados familiares podem escolher substitutos se houver opções. A escolha de produtos alternativos irá provavelmente acontecer em termos do cabaz que compramos na mercearia, mas poderá também levar as famílias a optar por diferentes supermercados se os preços forem melhores noutros locais.

Joana Leal/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER