Temas de CapaBlog

Vox Pop – O custo de vida!

voxpop- canada-mileniostadium
Créditos: DR

A carne vermelha é unânime quando falamos sobre o aumento dos preços dos produtos alimentares na atualidade. Um elemento importante na mesa de muitos canadianos, mas que está cada vez mais escasso no prato de alguns, ou sendo substituído por outros tipos de proteína animal, devido ao valor recorde que atingiu: o aumento aqui no Canadá chegou a ultrapassar os 10% nos últimos seis meses, segundo a Statistics Canada. Numa pesquisa conduzida pela agência no mês passado também se apurou que quase metade dos entrevistados cortou a compra ou consumo de carne bovina devido ao aumento do preço.   

Nesta semana o Milénio Stadium se propôs a abordar esse assunto, do aumento do custo de vida das pessoas, com foco numa das áreas onde esse impacto é mais sentido: os preços que pagamos pelos alimentos que comemos.

Desde o início da pandemia, a ida ao supermercado ficou mais cara. Entre as justificativas de especialistas se somam fatores, como a pandemia, aumento mundial dos combustíveis, crise climática etc. Um combo que acerta em cheio o bolso e a mesa do consumidor. Enquanto algumas pessoas optaram por diminuir ou até eliminar o consumo de certos alimentos, outras apostam na pesquisa de preços e na substituição para as refeições diárias. Estivemos à conversa com diferentes moradores de Toronto para perceber como eles têm enfrentado e administrado esse aumento no custo de vida como um todo, em especial nos alimentos, que são essenciais para nossa sobrevivência, saúde e bem-estar.

Por Lizandra Ongaratto/MS

 


Daniele Viana, educadora infantil, 43 anos

1. Você tem sentido um aumento dos preços no supermercado nos últimos meses? Está mais caro comprar itens como carnes, legumes e vegetais?

Sim, percebo que a cada semana encontro menos promoções e os preços de frutas e carnes nas alturas. A carne vermelha principalmente.

2. Devido a esse aumento, você e sua família mudaram algum hábito de consumo que tinham? Cortaram ou restringiram a compra de determinados alimentos, por exemplo?

Sim, passamos a comer mais carne de porco, frango (dark meat) e carne moída, substituindo quando possível a carne vermelha no dia a dia.

3. Qual o valor médio que você e sua família gastam por semana apenas com alimentação?

Em torno de Ca$ 350,00

4. Acha que estes aumentos vão continuar até o final do ano?

Acredito que a tendência é aumentar conforme a proximidade das festas de fim de ano.

5. Acha que os preços vão voltar ao normal depois da pandemia?

Acho bastante improvável. Acredito que a pandemia ainda será pretexto para esses aumentos por muito tempo. Mesmo com a diminuição no número de casos.


Ana P., empresária, 47 anos

1. Você tem sentido um aumento dos preços no supermercado nos últimos meses? Está mais caro comprar itens como carnes, legumes e vegetais?

Desde que começou a pandemia a conta do supermercado está assustadora. A carne está muito cara, quase que virou um produto gourmet.

2. Devido a esse aumento, você e sua família mudaram algum hábito de consumo que tinham? Cortaram ou restringiram a compra de determinados alimentos, por exemplo?

Sim, fomos consumindo cada vez menos carne e agora praticamente somos vegetarianos. Mas em geral quando vamos ao supermercado comparamos sempre os preços. Os vegetais e as frutas congeladas são mais baratos do que os produtos frescos.

3. Qual o valor médio que você e sua família gastam por semana apenas com alimentação?

A nossa família tem 4 pessoas, por semana gastamos pelo menos $400, mas de vez em quando gastamos um bocadinho mais.

4. Acha que estes aumentos vão continuar até o final do ano?

Julgo que sim porque enquanto o preço dos combustíveis e dos cereais não baixar, os produtores de carne ou de vegetais e frutas não conseguem aguentar o aumento dos custos. É inevitável que os aumentos não se reflitam no preço que o consumidor tem de pagar.

5. Acha que os preços vão voltar ao normal depois da pandemia?

Sabemos que o mercado depende do equilíbrio entre oferta e procura. Se toda a gente deixar de consumir carne a oferta vai aumentar e o preço vai ter de descer. Mas julgo que a maioria das pessoas vai ter de continuar a comprar vegetais e frutas e tendo em conta que as alterações climatéricas estão a afectar cada vez mais a agricultura é óbvio que vai custar cada vez mais para produzir comida. Logo o consumidor final vai ter de pagar a fatura.


Andrew Pacheco, gerente de projeto, 38 anos

1. Você tem sentido um aumento dos preços no supermercado nos últimos meses? Está mais caro comprar itens como carnes, legumes e vegetais?

Sim. Desde o início da pandemia reparei que alguns produtos subiram muito de preço. A carne vermelha com certeza é a que teve maior reajuste. Mas também notei em outros produtos, como iogurtes, queijos, tudo está mais caro.

2. Devido a esse aumento, você e sua família mudaram algum hábito de consumo que tinham? Cortaram ou restringiram a compra de determinados alimentos, por exemplo?

Passamos a comer mais carne de porco e de frango. E deixei de comprar produtos de determinadas marcas, mais caras, e troquei por outras semelhantes, mas mais baratas. 

3. Qual o valor médio que você e sua família gastam por semana apenas com alimentação?

Somos em 4, duas crianças e dois adultos. Em média 250 Cad.

4. Acha que estes aumentos vão continuar até o final do ano?

Acho que não. Já aumentaram o que tinham que aumentar usando a pandemia como desculpa. 

5. Acha que os preços vão voltar ao normal depois da pandemia?

Não acredito nisso. Uma vez que aumentaram no máximo, na melhor hipótese, se manterão nessa faixa.


Carina Rockemback, auxiliar de vendas, 30 anos

1. Você tem sentido um aumento dos preços no supermercado nos últimos meses? Está mais caro comprar itens como carnes, legumes e vegetais?

Sim, com certeza.

2. Devido a esse aumento, você e sua família mudaram algum hábito de consumo que tinham? Cortaram ou restringiram a compra de determinados alimentos, por exemplo?

Diminuímos o consumo de carne vermelha, que ficou mais cara, e as frutas só compro as da estação que têm preços melhores. Também comecei a ficar mais atenta as promoções semanais dos supermercados. Às vezes vou em três para complementar a compra semanal.

3. Qual o valor médio que você e sua família gastam por semana apenas com alimentação?

Somos só eu e meu marido, então $150.

4. Acha que estes aumentos vão continuar até o final do ano?

Acredito que não. Afinal o auge da pandemia, que vem sendo a culpada por tudo de ruim que acontece, já passou, então já se atingiu o nível que poderia.

5. Acha que os preços vão voltar ao normal depois da pandemia?

Com certeza, não. O que deveria ser revisto são os salários, já que esta cada vez mais difícil manter o nível de vida com o que se paga de salário-mínimo ao trabalhador.


Eduardo L. Guimarães, marceneiro, 38 anos

1. Você tem sentido um aumento dos preços no supermercado nos últimos meses? Está mais caro comprar itens como carnes, legumes e vegetais?

Sim… tenho percebido uma relevante elevação de preços em diversos itens.

2. Devido a esse aumento, você e sua família mudaram algum hábito de consumo que tinham? Cortaram ou restringiram a compra de determinados alimentos, por exemplo?

Sim, mas não muito do que já costumamos praticar. Estou mais de olho em promoções de alimentos que eventualmente ocorrem nos mercados.

3. Qual o valor médio que você e sua família gastam por semana apenas com alimentação?

200 dólares.

4. Acha que estes aumentos vão continuar até o final do ano?

Acho que sim. estamos observando um fenômeno global. Nos Estados Unidos se comenta em uma crise de supply chain em vários setores.

5.  Acha que os preços vão voltar ao normal depois da pandemia?

É difícil ver o mercado retroceder depois que se alcança um novo patamar a médio e longo prazo. Acho que a pandemia pode – quem sabe – criar outras oportunidades e soluções de mercado, e então equacionar essa falta de equilíbrio financeiro na renda das pessoas por conta das despesas em alimentação.


Leia os Vox Pops publicados em nossas edições, clique aqui.


Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER