Portugal

Portugal é o sétimo país mais seguro do Mundo

portugal - seguranca - milenio stadium

 

Portugal ocupa a sétima posição entre os países mais pacíficos do Mundo. A conclusão é do Instituto para a Economia e Paz, sediado na Austrália, que publicou, nesta quarta-feira, a última edição do Global Peace Index.

Nesse relatório, Portugal sobe uma posição relativamente ao ano transato, mas mantém-se afastado do terceiro lugar alcançado em 2020. Na análise do Global Peace Index, Portugal é também o quarto país de uma tabela que aborda o domínio da militarização, que inclui fatores como a importação de armas, o número de armas nucleares e a taxa de armamento pessoal.

Islândia continua no topo do ranking

O ranking do Instituto para a Economia e Paz volta a ser liderado, como acontece desde 2008, pela Islândia. No segundo posto, a Irlanda deu lugar à Dinamarca, enquanto a Nova Zelândia subiu quatro lugares até à quarta posição. A Áustria também subiu subiu uma posição e Singapura fixou-se no sexto lugar. Eslovénia, Japão e Singapura completam o top dez de uma lista com 163 países.

Entre as nações considerados menos seguras não houve alterações. Afeganistão, Iémen, Síria, Sudão do Sul e República Democrática do Congo continuam a ser os locais mais perigosos do Mundo. Seguem-se, devido ao conflito em curso, Rússia e Ucrânia.

O relatório destaca, aliás, que “a guerra na Ucrânia teve um impacto significativo na pacificidade a nível mundial, com a Ucrânia e a Rússia a registarem a maior e a quinta maior deterioração da paz respetivamente”.

Mundo está mais perigoso

O Global Peace Index abrange 99,7% da população mundial e utiliza “23 indicadores qualitativos e
de fontes altamente respeitadas” para medir o estado de paz em três domínios: o nível de segurança e proteção da sociedade; a extensão dos conflitos internos e internacionais em curso; e o grau de militarização.

A conjugação desses fatores mostra que, “nos últimos 15 anos, o Mundo tornou-se menos pacífico, com a pontuação média do país a deteriorar-se em 5%”. “Dos 163 países, 95 registaram uma deterioração, enquanto 66 registaram melhorias e dois não registaram alterações na pontuação”, evidencia um relatório, que lembra que “vários conflitos, além da guerra na Ucrânia, também foram devastadores”.

“2022 foi o ano mais mortífero em termos de conflito armado desde o genocídio no Ruanda em 1994, que foi o ano mais mortífero da história do Global Peace Index. Este fenómeno foi impulsionado por mais de 100 000 mortes na guerra em Tigray, no Norte da Etiópia. As batalhas entre a Força de Defesa da Etiópia, o aliado Eritreia e o grupo rebelde TPLF é o acontecimento mais mortífero desde 1994. A Ucrânia também registou pelo menos 82 000 mortes em conflitos em 2022. As mortes relacionadas com conflitos no Mali aumentaram 154% em 2022, com a violência contra civis a crescer 570%, enquanto em Myanmar, as mortes relacionadas com conflitos aumentaram 87%”, referem os peritos.

Porém, também houve boas notícias, no ano passado. “As mortes relacionadas com conflitos diminuíram 91% no Afeganistão e em 63% no Iémen”, lê-se no documento.

 

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

 

O Facebook/Instagram bloqueou os orgão de comunicação social no Canadá.

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER