Comunidade

Casa do Alentejo reabre com Fado

Casa do Alentejo  reabre com Fado-comunidade-mileniostadium
Na guitarra portuguesa Valdemar Mejdubi e Hernâni Raposo. Créditos: Carmo Monteiro

No passado sábado, dia 28 de agosto, quase um ano depois, a Casa do Alentejo reabriu com uma Noite de Fados. O salão principal acomodou 100 pessoas, entre as quais se encontrava o Cônsul-Geral de Portugal em Toronto, Dr. José Manuel Carneiro Mendes, a deputada federal pelo distrito de Davenport, Julie Dzerowicz, e a presidente da Casa dos Açores, Suzana Cunha.

Casa do Alentejo reabre com Fado-comunidade-mileniostadium
Carlos Sousa presidente da Casa do Alentejo. Créditos: Carmo Monteiro

Para esta noite foram escolhidos quatro artistas locais bem conhecidos na comunidade portuguesa – os fadistas Manuel Silva e Teresa Santos, acompanhados pelos músicos Hernâni Raposo, na guitarra portuguesa e Valdemar Mejdubi, na guitarra. A satisfação estampada nos rostos de todos os presentes anunciava um serão saudoso. Sobre o significado da reabertura, o presidente da Casa do Alentejo, Carlos Sousa, considera que “é bastante gratificante poder haver um evento cultural” e justificou a escolha pelo facto da Casa do Alentejo ser “conhecida pelas suas grandes noites de fado e os sócios e amigos desta casa gostam” e porque “em termos de confinamento e termos de segurança, as pessoas podem estar sentadas a confraternizar numa noite relaxada, e o fado é o mais adequado”.

 

 

Casa do Alentejo reabre com Fado-comunidade-mileniostadium
Cônsul-Geral de Portugal em Toronto, Dr. José Manuel Carneiro Mendes. Créditos: Carmo Monteiro

Quanto aos fadistas convidados, o presidente explicou que quiseram “abrir exatamente com os mesmos fadistas que fecharam a época do ano passado (…). Eles bem merecem pelo que têm ajudado esta casa – e no ano passado – e achámos por bem que só fazia senso reabrir com eles.” Questionado sobre futuros eventos, Carlos Sousa mantém-se prudente, porque “isto está sempre a mudar, praticamente de semana em semana e esperar bem que não haja outro confinamento porque os números estão a aumentar (…) e aquilo que estamos a pensar fazer para já, em setembro, é uma assembleia geral (…) tradicionalmente a Semana Cultural é em outubro, mas como não a podemos fazer, talvez façamos um fim de semana, mas ainda estamos a delinear qualquer coisa com o talento local”.

 

 

Casa do Alentejo  reabre com Fado-comunidade-mileniostadium
Teresa Santos. Créditos: Carmo Monteiro

 

Visivelmente contente, a deputada federal, Julie Dzerowicz, estava muito “feliz por voltar a ver velhos e novos amigos. É muito bom que a Casa do Alentejo tenha organizado este evento, de forma segura seguindo todas as diretivas do Ministério da Saúde, para celebrar o fado com artistas locais. Estou encantada por estar aqui!”.

 

 

 

 

Casa do Alentejo reabre com Fado-comunidade-mileniostadium
Manuel Silva. Créditos: Carmo Monteiro

A respeito do confinamento e a “nova realidade” pós-confinamento, Julie Dzerowicz disse que tinha saudades de ver e estar com as pessoas, contudo “para ser honesta, eu quero que as pessoas estejam protegidas (…). Agora que temos uma pequena abertura espero que a “quarta onda” seja curta e que passe rápido, para que possamos ter mais deste tipo de eventos seguros”. Para o Cônsul-Geral de Portugal em Toronto, Dr. José Manuel Carneiro Mendes, esta Noite de Fados marca oficialmente o seu primeiro evento associativo desde que chegou ao Canadá, no dia 29 de agosto de 2020, para assumir funções.

 

 

 

Casa do Alentejo  reabre com Fado-comunidade-mileniostadium
Julie Dzerowicz. Créditos: Carmo Monteiro

Acerca da importância do levantamento de algumas restrições que permitem a reabertura das associações, casas associativas e clubes comunitário, o Cônsul-Geral foi perentório: “para mim tem muita importância, mas com certeza que para comunidade portuguesa aqui radicada (…) tem muito mais impacto, tem muito mais significado do que para mim, como Cônsul-Geral, porque é o movimento associativo em si que vê já uma janela de oportunidade a abrir, voltar a reativar aquilo que é um sentimento profundo da comunidade portuguesa, que é comemorar e celebrar a sua portugalidade.”. E para que os presentes pudessem vivenciar a portugalidade, foram reunidos quatro ingredientes portugueses: caldo verde, bacalhau assado com batata a murro, arroz doce e claro… fado.

Carmo Monteiro/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER