Editorial

O bem-estar – para o seu bem

bem-estar – para o seu bem -editorial-mileniostadium
Cartoon by Stella Jurgen

A palavra bem-estar evoca imagens de um estado espiritual onde os nossos mundos são equilibrados preventiva e holisticamente. Contudo, a realidade é que a maioria de nós não é mental ou fisicamente estável para garantir que a nossa saúde seja naturalmente protegida sem o recurso à medicina convencional.

A Covid-19 gerou um estado de tensão e abalou completamente a nossa capacidade de lidar com os desafios diários que, em circunstâncias normais, seriam tratados de uma maneira organizada e cuidadosa.  À medida que nos afastamos dos aborrecimentos da pandemia e nos dirigimos para esta normalidade modificada, como é que removemos os fatores irritativos das nossas vidas para reavermos o corpo e alma que faz parte de cada um de nós? A indústria de mindfulness cresceu para níveis nunca antes vistos. Desde a comida orgânica, ao ioga e aulas de respiração, exercício, tratamentos criogénicos e exorcismos, o negócio de tratar a saúde mental e física tornou-se um fenómeno de marketing nunca antes experienciado. O comércio dos vários produtos é feito de forma a incutir uma culpa mental na nossa aparência e comportamento. As pressões sociais no que diz respeito ao que consumimos ou vemos estão consistentemente relacionadas com os nossos corpos imperfeitos e mentes confusas. O estigma associado às nossas imperfeições é muitas vezes originado nas profundezas do nosso ser, devido à perceção de que não estamos à altura. Mas, não estamos à altura de quê? Talvez se os espelhos não existissem, muitas pessoas estivessem mais felizes com a sua vida.

Os custos associados com a felicidade e bem-estar continuam a crescer, já que os fornecedores de imagens falsas apostam na ideia de que a sociedade não consegue superar as suas profundezas de desespero. Nós entramos num supermercado para comprar os essenciais para nutrir os nossos corpos, na esperança de que o nosso cérebro aprove as nossas compras, sem transmitir culpa. Então, surgem as questões sobre os alimentos orgânicos ou normais, onde o desafio é comparar o custo da comida orgânica e da comida normal. Eu nunca experienciei uma diferença no meu corpo depois de comer comida orgânica ou outras comidas. Como é que poderemos saber? Existe uma falta de transparência na indústria alimentar e, assim, o público consome mais comida de plástico do que nunca, criando na sociedade ocidental, um mundo de pessoas obesas e pouco saudáveis que continuam a ignorar as pessoas famintas e necessitadas dos países do terceiro mundo. A gula e a falta de autocontrolo são os maiores desafios do bem-estar das pessoas.

As modalidades holísticas e de bem-estar ganharam uma visibilidade considerável com a sua abordagem de cura e cuidados preventivos. Para alcançar uma vida equilibrada, a prática de uma vida saudável, a autoajuda, o fitness, a nutrição, dieta, e práticas espirituais devem ser um aspeto próspero das nossas vidas diárias como uma procura ativa. As nossas escolhas, intenções e ações devem trabalhar em conjunto para atingir o estado ideal de bem-estar. Embora o bem-estar seja uma busca individual, e nós somos responsáveis pelas nossas próprias escolhas, comportamentos e estilo de vida, mas tem de se exercer cuidado com as pessoas e ambiente que nos rodeiam. As pessoas ao redor do nosso círculo de vida são, na sua maioria, camaleões cujo principal objetivo é servirem-se à custa da nossa saúde mental. Escolher bem o nosso círculo social e renunciar as condições não contribuintes, que afetam o nosso estado mental, são um longo caminho para canalizar um karma positivo no nosso quotidiano. Ao invés de apenas sobreviver, devemos prosperar. Conecte-se aos seus amigos ou ente queridos que irão acrescentar o doce sabor do bem-estar à sua vida.

Fique bem e pratique a verdadeira gratidão.

Manuel DaCosta/MS


version in english

bem-estar – para o seu bem -editorial-mileniostadium
Cartoon by Stella Jurgen

Wellness – For your sake

The word wellness conjures up images of a spiritual state of being where our worlds are balanced both preventively and holistically.  The reality is that most of us are not mentally or physically stabilized to ensure that our health is naturally protected without using conventional medicine.

Covid-19 has played havoc with our stressors and completely abated our ability to deal with daily challenges, which in normal circumstances would be dealt with in a mindful and orderly manner.  As we move away from the annoyances of the pandemic and move on to modified normalcy, how do we remove the irritants from our lives so we re-acquire the body and soul, which comprises each of us?  The mindfulness industry has grown to levels never previously experienced.  From organic foods, yoga and breathing classes, exercise, cryogenic treatments and exorcisms, the business of treating mental and physical health has become a marketing phenomenon never before seen.  The commerce of the various products is done in a manner to instill mental guilt on how we look and behave.  Societal pressures due to what we consume and watch are consistently related to our imperfect bodies and confused minds.  The stigma attached to our shortcomings often originates within the depts of our beings due to a perception that we don’t measure up.  But who are we measuring up against?  Perhaps if mirrors didn’t exist, many people would be happier with their place in life. 

The costs associated with happiness and wellness continue to grow as the purveyors of false imagery bet that society can’t grow out of its depths of despair.  We walk in a supermarket buying our essentials to nurture our bodies hoping that our brain approves of our purchases without communicating guilt.  Then the questions about normal or organic foods arise where therein the challenge is to measure the costing of organic against normal foods.  I have never experienced a difference in my body eating organic or the other foods.  How can we tell?  The food industry lacks transparency and thus the public eats more junk food than ever, creating a world of obese and unhealthy people in a western society, which continues to ignore the have-nots and hungry in third world countries.  Gluttony and lack of self-control are the biggest challenges to the well-being of people.

Wellness and holistic modalities have gained considerable visibility with their approaches of self-healing and preventive care.  To achieve a balanced way of life, the practice of healthy living, self-help, fitness, nutrition, diet, and spiritual practices should be a thriving aspect of our daily lives as an active pursuit.  Our intentions, choices and actions must work together to achieve an optimal state of well-being.  While wellness is an individual pursuit, and we have the responsibility for our own choices, behaviors and lifestyles but caution has to be exercised because of the people and environments with which we surround ourselves.  The people surrounding our circle of life are for the most part chameleons whose main purpose is to be self-serving at your mental expense.  Choosing our social circle well and divesture of non-contributing conditions, which affect our mental state, will go a long way to channel positive karma into our everyday life.  Instead of just surviving we must thrive.  Connect with friends or loved ones who will impart the sweet taste of well-being in your life.

Be well and practice real gratitude.

Manuel DaCosta/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER