Futebol

Cantar de galo

 

milenio stadium - gil vicenet e- liga - galo

 

O Gil Vicente não canta… mas joga e encanta. A equipa de Ricardo Soares está a fazer uma temporada realmente incrível e para além de estar no quinto lugar – que dá acesso à qualificação para a Liga Conferência – e a apenas um ponto do quarto classificado, o Braga, só nesta segunda ronda, para além de ainda não ter perdido qualquer partida, já empatou no Dragão e venceu no Estádio da Luz e, nesta jornada, em Braga. Uma bonita página está a ser escrita neste clube de Barcelos que com um orçamento bem mais reduzido do que os três grandes consegue ser um exemplo para o futebol português… e quem sabe internacional!

Carlos Carvalhal, na conferência de imprensa de antevisão da partida, já tinha deixado bem claro que Ricardo Soares merecia o “título de treinador do ano” – de facto, o ex-futebolista trouxe para o Gil Vicente um projeto de qualidade, que tem valorizado não só o clube como também os seus jogadores… e quando assim é, os resultados aparecem em campo.

Desta vez os gilistas aproximaram-se do seu principal rival, o Braga, (e afastaram-se do Vitória SC) vencendo no Municipal de Braga com um golaço de Henrique Gomes ao cair do pano. O defesa barcelense entrou, aos 88’, para o lugar de Hackman e passado apenas um minuto deu a vitória à sua equipa com um remate forte e colocado. Dá vontade de ver mais e mais deste Gil Vicente!

O mesmo já não se pode dizer do Benfica que, logo quando parecia estar a “encarreirar”, voltou a despistar-se. Na Luz, os encarnados não foram além de um empate a uma bola frente ao 14.º classificado Vizela e voltaram a perder terreno para o segundo lugar – se é que isso ainda é um objetivo real…

A equipa de Nélson Veríssimo viu-se condicionada logo aos sete minutos, com a expulsão de Taarabt. O marroquino viu, num primeiro momento, um cartão amarelo após uma dura falta sobre Kiki Afonso mas após consultar as imagens do VAR o árbitro decidiu expulsar o médio dos encarnados. Ainda assim, o Benfica lá foi conseguindo criar ocasiões que podiam ter ditado um outro desfecho, mais favorável, mas mais uma vez faltou a eficácia que já fez com que a equipa perdesse, só em casa, 13 pontos.

Não se pode deixar de referir que também Pedro Silva, guarda-redes vizelense, foi uma peça fundamental para a equipa de Álvaro Pacheco levar um ponto da Luz – e que falta pode esse ponto fazer ao Vizela na luta pela manutenção!

Os golos só surgiram na segunda parte do encontro e foi mesmo o Vizela o primeiro a marcar: um golo que resultou de uma excelente jogada, com Cassiano a bater Vlachodimos após cruzamento de Koufi.
Nélson Veríssimo mexeu na equipa para tentar inverter o sentido do jogo e fez uma aposta certeira: lançou Henrique Araújo por troca com Morato e mal entrou o avançado fez o que era preciso ser feito: após defesa incompleta de Pedro Silva a um primeiro remate de Gonçalo Ramos, o jovem atleta encarnado atirou a contar para o empate na Luz, resultado que se manteve até ao apito final.

O Estoril voltou aos triunfos após três jornadas sem vencer – na receção ao Portimonense o espanhol Mboula adiantou os canarinhos aos 29’ e Francisco Geraldes ampliou a vantagem aos 46’. O Estoril está em sétimo lugar com 34 pontos, enquanto que os algarvios, que já não vencem há 12 partidas, são 11.º com 29.

Em Arouca os locais viram a equipa de César Peixoto levar os três pontos para Paços de Ferreira. Um triunfo construído com um único golo de Nicolás Gaitán, aos 33’, e que coloca os pacenses no nono lugar, com 30 pontos.

O Famalicão – Santa Clara e o Belenenses-SAD – Boavista terminaram ambos empatados e sem golos.
Beneficiando da derrota do Portimonense frente ao Estoril, os açorianos – que somaram o quarto jogo consecutivo sem perder – colocaram-se no 10.º lugar, em igualdade pontual com o Paços de Ferreira, enquanto que os famalicenses, que já não vencem há duas jornadas, estão em 12.º, com 27 pontos.

Já os axadrezados, que repetiram o resultado da primeira volta frente aos Azuis, angariaram mais um “nulo” para a sua já extensa lista – em 26 jornadas, a equipa de Petit não foi além de um empate em 15. Estão em 13.º lugar, a 10 pontos do lanterna-vermelha Belenenses SAD.

De visita à Madeira, o Vitória SC venceu os locais por 1-0, recuperando o sexto lugar da I Liga. Nicolás Janvier marcou o único golo do embate aos 82’ minutos, fazendo com que o Marítimo caísse para o oitavo lugar, com 32 pontos.

O líder F.C. Porto venceu de forma incontestável o Tondela: ainda que tenha demorado a encontrar a “chave” que abria caminho para a vitória, os dragões acabaram por golear por 4-0 os beirões, impulsionados pela grande penalidade convertida por Taremi aos 45’ e pela expulsão de Manu Hernando, aos 67’.

Já na segunda parte o F.C. Porto abriu portas à goleada, marcando três golos no espaço de seis minutos. O 2-0 foi apontado por Galeno, aos 73’, após passe de Otávio. Os beirões ainda estavam a recuperar quando levaram mais um “abanão”: desta vez foi Fábio Vieira, aos 76’, que encostou após Trigueira ter deixado a bola à sua mercê. O médio portista ainda iniciou o lance que resultou no 4-0, da autoria de Francisco Conceição, aos 79’, num remate de primeira.

Por fim, o Sporting foi a Moreira de Cónegos vencer tranquilamente por 2-0. O resultado fixou-se durante a primeira parte do encontro, primeiro com Slimani – que já vai em quatro golos em três jornadas – a cabecear e a desbloquear o marcador após um cruzamento perfeito de Edwards (29’). Depois, o extremo inglês voltou a assistir, tocando de calcanhar para Porro, que ultrapassou Pablo Santos com um bonito gesto técnico, cruzou e encontrou Paulinho que desviou para a baliza de Pasinato (39’).

Inês Barbosa/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER