Comunidade

Berta Nunes despediu-se na Casa da Madeira de Toronto

Berta Nunes despediu-se -toronto-mileniostadium
Créditos: Carmo Monteiro

A encerrar a sua visita oficial ao Canadá, a Secretária de Estado das Comunidades Portuguesas foi recebida na Casa da Madeira de Toronto. No discurso de boas-vindas, José Assunção Rodrigues, Conselheiro das Comunidades Madeirenses no Canadá, começou por fazer um breve historial da Casa da Madeira de Toronto recordando as razões para a sua fundação, a atividade que desde então tem desenvolvido e a importante aquisição do terreno que viria a transformar-se no Madeira Park que, sublinhou, tornou a Casa da Madeira de Toronto na proprietária da “maior área de terreno português no Canadá, ou seja, este clube acrescentou a Portugal, para além da sua mais-valia, uma considerável área de propriedade, com aproximadamente 50 hectares”.

O Conselheiro das Comunidades Madeirenses no Canadá continuou o seu discurso enumerando algumas situações que, no seu entender, merecem particular atenção por parte do governo português, nomeadamente a pouca representatividade da diáspora no parlamento português. José Assunção Rodrigues defendeu mesmo a criação de mais um círculo eleitoral a que se poderia chamar “círculo da lusofonia” que iria permitir passar dos atuais quatro para seis deputados a representar os portugueses espalhados pelo mundo. Falou ainda da necessidade de melhorar o programa Regressar nas Regiões Autónomas. A TAP e a sua importância para a comunidade portuguesa também não foi esquecida no discurso de boas-vindas de José Assunção Rodrigues que considerou “pertinente que o Governo de Portugal garanta que a TAP, companhia aérea de Bandeira Portuguesa, sirva os interesses nacionais” o que implica assegurar “uma ligação aérea permanente e estável, com as nossas principais Comunidades”, como é o caso da comunidade luso-canadiana.

Berta Nunes despediu-se -toronto-mileniostadium
Assinatura do livro de Honra. Créditos: Carmo Monteiro

O ensino do português foi também um dos temas na lista de pedidos/reivindicações do Conselheiro das Comunidades Madeirenses no Canadá que defendeu que deveria ser mais “ampliado e melhorado, de forma que as gerações atuais e futuras, nunca deixem de falar a nossa língua”.  Ainda antes de elogiar o atual Cônsul pela sua capacidade de diálogo e pelas ideias que tem demonstrado ter para o desempenho do seu cargo, José Assunção Rodrigues não esqueceu a situação dos portugueses indocumentados a residir no Canadá, apelando a que se encontre, pela via diplomática, uma solução para a sua legalização no país.

Berta Nunes fez questão de responder a todas as questões levantadas e assegurou o empenho do governo português na resolução da situação dos indocumentados, dando conta que nas reuniões oficiais com membros do governo canadiano esse assunto foi abordado e que há, de parte a parte, vontade de resolver de forma definitiva e favorável aos portugueses que ainda estão à espera de ver a sua vida no Canadá regularizada. Berta Nunes prometeu empenho da parte dos representantes portugueses neste processo.

Julie Dzerowicz, MP por Davenport, teve também oportunidade de dirigir algumas palavras de acolhimento a Berta Nunes e restante comitiva e sublinhou o dinamismo das associações e clubes portugueses que com os eventos que promovem mantêm a cultura e as tradições portuguesas vivas. A deputada federal salientou ainda a capacidade de liderança dos que têm estado à frente destas instituições, nomeadamente da Casa da Madeira, que com o seu trabalho promove a língua e a cultura portuguesa.

Em entrevista ao Milénio Stadium, a Secretária de Estado fez um balanço positivo da sua visita que estava prestes a terminar – “é difícil fazer um resumo porque tantas coisas aconteceram, no entanto posso dizer aquilo que para mim será talvez um dos aspetos essenciais desta visita – foi fazermos visitas às Casas às Associações, aos Clubes e encontrarmos as pessoas muito motivadas para continuarem a fazer este trabalho. Estas casas são fundamentais para que a comunidade portuguesa se encontre, para transmitir a cultura portuguesa e muitas vezes também ensinar a língua portuguesa. Temos uma rede aqui no Canadá, muito forte e que, apesar do Covid, está capacitada para continuar o seu trabalho e com muitos projetos para o futuro. Depois estivemos também a analisar e a ver localmente questões relacionadas com a cultura portuguesa, onde tivemos a oportunidade de salientar o esforço, o trabalho e a dedicação de várias professoras da língua portuguesa aqui no Canadá, visitámos também algumas paróquias que têm capelas ou mesmo igrejas construídas pela comunidade onde se celebram as tradições religiosas do continente e das ilhas. Encontrámos uma comunidade muito organizada, bem-sucedida, integrada, mas com capacidade para apoiar os que mais necessitam. Hoje visitámos o Luso-Canadian Charitable Society que tem uma extraordinária obra de apoio a pessoas com necessidades especiais. Visitámos também o Lar de Sta. Isabel em Winnipeg, que resultou de um esforço das associações da comunidade para encontrar soluções para as pessoas seniores. Aqui também em Toronto sei que há projetos nesse sentido, porque como os portugueses chegaram aqui nas décadas de 50 e 60 do século passado há a necessidade de agora apoiar essas pessoas. E esta comunidade tem sabido ser generosa e organizar-se para apoiar os que necessitam desse apoio. Vou daqui com a sensação de que a nossa comunidade dá muito, mas também recebe muito”.

João da Câmara, Embaixador de Portugal no Canadá, era um homem satisfeito pela forma como decorreu a visita de Berta Nunes à comunidade portuguesa residente no Canadá – “Foi um programa muito intenso – Winnipeg, Otava, Kingston e Toronto – e foi para muita gente, incluindo para mim, o primeiro programa de uma visita de um membro do governo depois da pandemia. Estávamos todos ansiosos de retomar o nosso trabalho normal, de visitas e ir ao encontro das pessoas. E a Senhora Secretária de Estado foi exatamente isso que fez – veio ao terreno, falar com as pessoas e saber quais são as suas necessidades e as suas preocupações e também agradecer o trabalho que tem sido feito e homenagear as pessoas que merecem essa homenagem. Penso que a Dra. Berta Nunes vai daqui muito satisfeita porque teve sempre uma receção muito calorosa por parte de todas as comunidades por onde passou”. José Manuel Carneiro Mendes, Cônsul-Geral de Portugal em Toronto, sublinhou a importância da visita às comunidades de um membro do governo português “porque não apenas o próprio membro do governo, neste caso a Senhora Secretária de Estado das Comunidades Portuguesas, tem oportunidade de ouvir a comunidade, mas também o inverso e, mais ainda, têm oportunidade de mostrar o seu orgulho em serem portugueses e como tão bem preservam a identidade e cultura portuguesa. Esta interação serviu para troca de impressões e para recolha de informação”.

Presente no evento, Matthew Correia, Conselheiro da Diáspora Açoriana no Canadá, lamentou não lhe ter sido dada oportunidade para discursar em nome da comunidade açoriana, mas afirmou que subscrevia as palavras do colega Conselheiro representante da comunidade madeirense. Salientou que a sua presença na Casa da Madeira simbolizava o espírito de união que defende que deve existir para se trabalhar em projetos futuros. Porque a união faz a força.

Reportagem: Carmo Monteiro/MS

 

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER