BlogMundo

Guterres acredita que pandemia pode acabar já este ano

 MILENIO-STADIUM-GUTERRES-PANDEMIA
(FILES) In this file photo taken on September 13, 2021, UN Secretary-General Antonio Guterres looks on during a press conference on a hosts aid conference on Afghanistan, in Geneva, Switzerland. – Guterres told leaders in Beijing he expects them to allow UN human rights chief Michelle Bachelet to make a “credible” visit to China including a stop in the troubled Xinjiang region, his spokesman said on February 5, 2022. (Photo by Fabrice COFFRINI / AFP)

O secretário-geral da ONU, António Guterres, defendeu, esta quarta-feira, que o mundo tem os recursos necessários para acabar com a pandemia de covid-19 ainda este ano, embora para isso seja necessário ajudar os países menos desenvolvidos.

“Podemos acabar com a pandemia em 2022. Estamos no melhor caminho para o conseguir. Mas só o conseguiremos juntos”, disse Guterres, durante um evento organizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para angariar fundos para ajudar na luta contra a covid-19.

Guterres disse que a pandemia entrou no seu terceiro ano sem que ainda tenham sido alcançados “objetivos cruciais”, como a vacinação generalizada da população mundial, o aumento de testes ou a disponibilização de todos os tratamentos capazes de salvar vidas.

“A desigualdade na distribuição de vacinas é a maior falha moral dos nossos tempos, e os países e as suas populações estão a pagar por isso”, argumentou Guterres, que admitiu, no entanto, que a distribuição de doses das vacinas em países com menos recursos ” está a aumentar exponencialmente”. “Podemos trazer a economia de volta para o normal e atingir as metas de desenvolvimento sustentável, mas precisamos de agir agora”, defendeu o secretário-geral da ONU.


VER MAIS


Na iniciativa desta quarta-feira, a OMS pediu aos países desenvolvidos que contribuíssem com mais 23 mil milhões de dólares (cerca de 20 mil milhões de euros) para a luta global contra a pandemia.

Deste total, 16 mil milhões de dólares (cerca de 14 mil milhões de euros) destinam-se ao ACT Accelerator – um programa internacional de produção de testes, medicamentos e vacinas – e o restante servirá para outros instrumentos de combate ao novo coronavírus.

Com o dinheiro solicitado, o ACT Accelerator planeia comprar 600 milhões de vacinas, 700 milhões de testes de diagnósticos, tratar 120 milhões de doentes e fornecer equipamentos de proteção para 1,7 milhões de profissionais de saúde, especialmente em países com redes de saúde mais frágeis.

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER