FYIBlog

A fala do Papagaio

A FALA DO PAPAGAIO-fyi-mileniostadium
Créditos: DR

Mas afinal de contas, como é que os papagaios falam? Alguma vez pararam para pensar nisso? É muito provável que já se tenham questionado como é que é possível uma ave conseguir produzir sons como os papagaios fazem… Eu, pelo menos, acho incrível!

Entenderão eles o que cada ave desta espécie diz quando comunicam entre si? Existe algum raciocínio por trás dessas palavras debitadas ou simplesmente repetem as informações que escutam?

Ao contrário dos seres humanos, os papagaios não têm cordas vocais. Enquanto nós temos uma laringe, essas aves têm nesse lugar uma siringe — órgão responsável por produção e emissão de sons nos pássaros. Sendo assim, os papagaios falam ao modificar o ar que passa pela siringe para criar novos sons. Esse órgão fica localizado exatamente na parte do corpo dessas criaturas em que a traqueia se divide nos pulmões.

Algumas espécies de papagaios, especialmente os papagaios-cinzentos e papagaios-verdadeiros, são notoriamente bons em imitar os seres humanos e reproduzir as nossas falas.

Considerando que um papagaio não tem dentes ou lábios, o facto deles conseguirem imitar a sonoridade humana é realmente impressionante; porém, é uma habilidade que desenvolveram ao longo de várias gerações.

Porque falam?

Na natureza, os papagaios usam as suas vozes para alertar, cortejar ou para se comunicar com as suas crias e também para defender um território. Em comparação com essas espécies, os papagaios domésticos estão a apenas algumas gerações de distância dos seus primos mais selvagens.

A gama de sons que um papagaio pode reproduzir é bastante vasta. Ao mesmo tempo em que podem reproduzir canções muito agradáveis, também têm o poder de emitir gritos estridentes que nos fazem desejar não conseguir ouvir nada!

No entanto, existe uma clara separação entre os papagaios selvagens e os domésticos. Enquanto as espécies que vivem livres usam assobios, gritos e ruídos para se comunicar, como é possível que os seus descendentes domésticos tenham criado a habilidade de modificar a sua comunicação para sons entendíveis pelos seres humanos? Esse é um tema que ainda está a ser explorado por investigadores, que tentam a todo custo aprofundar mais os estudos sobre as habilidades vocais dessas aves e também o seu senso de ritmo.

Será que entendem os humanos?

Os papagaios fazem parte de um grupo seleto de animais que precisam desenvolver uma interação verbal com os seus relativos para interagir uns com os outros – pelo menos é isso que indica um estudo feito pela Universidade dos Papagaios, uma instituição nos Estados Unidos que pretende educar os donos dessas aves.

Sendo assim, quanto mais cedo um papagaio for ensinado a vocalizar as coisas, mais fácil será para ele conseguir desenvolver uma linguagem extensa com o seu dono. Famílias de pessoas que se comunicam com maior frequência ou que falam um pouco mais alto costumam obter maior sucesso nessa jornada.

Durante esse processo, é bem provável que o papagaio misture um pouco da linguagem humana com os sons naturais que essas aves utilizam na natureza. Mas quando nós estamos a tentar falar com eles, será que nos entendem? A resposta é um pouco mais complexa do que parece.

Em geral, caso o papagaio em questão tenha recebido contextualização sobre o significado da frase, é provável que ele tenha uma certa noção do que aquilo quer dizer. No entanto, ele não aprenderá o sentido de uma palavra apenas por repetição ou explicação sonora. A comunicação de um papagaio depende exclusivamente dos hábitos de interação com o seu dono e como essa comunicação pode ajudá-lo a expressar os seus desejos.

Aves muito inteligentes

Seria um papagaio capaz de manter uma conversa com um ser humano? Por mais incrível que pareça, isso pode ser possível. Apesar de não compreenderem exatamente tudo que nós dizemos, esses pássaros conseguem fazer associações e lembram-se de outras frases que são usadas em determinados contextos.

De acordo com o investigador Tim Wright, que se especializou na evolução dos mecanismos de comunicação das aves, tudo depende da situação. Para Wright, quando um papagaio nos vê entrar numa divisão da sala e diz “Tudo bem?”, ele não está necessariamente a querer saber se estamos bem. Porém, isso pode demonstrar que o papagaio aprendeu que essa é uma frase usada com frequência quando alguém entra num novo espaço.

O cérebro dos papagaios, impressionantemente, é bastante similar ao dos primatas, tendo uma larga região que atua como uma via de transmissão de informações entre as duas partes essenciais: o córtex e o cerebelo. Esse é um dos fatores que faz que eles processem mais informações e tenham um comportamento mais sofisticado do que outros animais.

Devido a essas habilidades cognitivas, os papagaios conseguem desenvolver uma enorme gama de talentos, como manusear certas ferramentas ou simplesmente falar com seres humanos. Dessa forma, esse cérebro relativamente “parecido” com o nosso torna-os criaturas realmente fantásticas.

Kika/FYI

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER