Comunidade

Luso Canadian Charitable Society junta $213,000

A 12.ª Gala Anual da Luso Canadian Charitable Society (LCCS) contou com a presença de cerca de 650 pessoas e angariou $213,000.

Jack Prazeres, presidente do LCCS, explicou-nos a importância deste evento. “Juntamos todo este grupo que durante o ano inteiro ajuda a Luso e angariamos fundos para darmos seguimento aos projetos que temos na gaveta e para financiar os programas do dia-a-dia”, avançou.

O jantar de gala decorreu no Pearson Convention Centre e contou com a presença de várias figuras políticas como Charles Sousa, o antigo ministro das Finanças de Ontário; Ana Bailão, vice-presidente da Câmara Municipal de Toronto; Cristina Martins, antiga MPP de Davenport e Bonnie Crombie, presidente da Câmara Municipal de Mississauga.

“O Luso tem ajudado muito as nossas famílias, portuguesas e não só. Na minha família eu tenho um exemplo concreto, o irmão da minha mulher teve muitos anos a aguardar por este tipo de cuidados porque antigamente não existiam. É importante estarmos aqui hoje a juntar dinheiro para apoiar estes centros”, disse Charles Sousa ao nosso jornal.

O Luso nasceu graças à visão da comunidade portuguesa que sempre defendeu que os deficientes têm direito a uma vida digna. A classe política reconhece o pioneirismo da nossa comunidade nesta área, mas admite que ainda há muito a fazer em matéria de inclusão. “Os portugueses não fizeram apenas a sua parte, nós fomos líderes na forma como lidámos com este problema. Primeiro criámos uma solução para o transporte destas pessoas e depois construímos um espaço com todas as condições. Tenho muito orgulho em ser português e enquanto tive no poder sempre apoiei este grupo. Agora espero que o governo continue a fazê-lo”, explicou.

No entanto, para o presidente do LCCS, o governo deveria fazer mais. “Estas pessoas não votam e não fazem manifestações junto ao Queen’s Park. Estão entaladas entre a terceira idade e o ministério da saúde”, lamentou Jack Prazeres.

Foram dezenas os patrocinadores que não ignoraram esta causa, desde a construção civil à banca. Todos eles mostraram a sua solidariedade para com um grupo de pessoas que ainda vive à margem da sociedade. “É muito importante para nós estarmos aqui hoje. Nós sabemos que nunca é suficiente porque são muitas associações, mas tentamos ajudar toda a gente. O nosso sindicato apoia muitas instituições de solidariedade e esta é muito especial porque muitos dos nossos membros são portugueses”, referiu Marcello Di Giovanni, recording secretary da LiUNA Local 183.

Para Manuel DaCosta, proprietário da Viana Roofing & Sheet, é prioritário apoiar o LCCS. “O Luso faz um trabalho notável ao apoiar estas famílias que precisam muito de ajuda. E nós como sociedade civil temos a obrigação de fazer a nossa parte, até porque não podemos contar com o governo para fazer tudo por nós. Na minha opinião, as crianças, os idosos e todos aqueles que não são capazes de se ajudar a si próprios devem ser a nossa prioridade”, justificou o empresário.

O novo Cônsul-Geral de Portugal em Toronto também esteve presente e relembrou que o Governo português já apoiou esta associação que conta com três pólos. O presidente da instituição já sabe qual o destino do valor angariado com a gala. “Temos que pagar a nossa hipoteca e começar a pensar num centro onde eles possam passar a noite. Alguns dos pais já são bastante idosos e as listas de espera do governo variam em média entre os 7 e os 15 anos. Além do mais muitos deles acabam os dias num lar de terceira idade, o que é um crime”, avançou Prazeres.

Atualmente o Luso recebe cerca de 200 jovens e em Toronto já há lista de espera. Na comunidade portuguesa muitas vezes os pais acabam por querer resolver o problema sozinhos, o que não é aconselhável até porque os programas ajudam no desenvolvimento dos jovens.

O contacto com deficientes permite-nos ver o mundo com outros olhos e relativizar parte dos problemas que julgamos ter. “Estava a ter um dia muito difícil, com tudo a correr mal e decidi passar pelo centro da St. Clair. Quando vim embora senti-me completamente diferente e comecei a pensar que afinal os meus problemas não eram assim tão sérios quando comparados com os daquelas pessoas”, confessou o presidente do LCCS.

Segundo as estatísticas nacionais, em 2012, quase 14% da população canadiana com 15 anos ou mais relataram ter uma deficiência que limitava suas atividades diárias. O que significa que o problema afecta quase 4 milhões de habitantes. A nível de províncias, Nova Scotia regista os números mais preocupantes, já o Quebec, por outro lado, tem a percentagem mais baixa de todas as províncias do Canadá.

A Gala contou com a actuação dos cantores Karoline Podolok e Steve Medeiros e terminou com uma performance de acrobacias aéreas feita por um dos membros do grupo Toronto Dance Life e com um sorteio silencioso.

De entre os prémios sorteados, uma camisa oficial da seleção portuguesa autografada por Cristiano Ronaldo e outra dos Maple Leafs, assinada por John Tavares, o luso-canadiano que integra a equipa canadiana de hóquei no gelo.

O Luso homenageou Charles Sousa e Frank Alvarez, do ramo dos media, com um título honorífico e chamou ao palco os patrocinadores que mais apoiaram a Associação.

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER