Saúde & Bem-estarBlog

Uma nova vida

Uma nova vida-saude-mileniosatdsium
Créditos: DR

É literalmente fazer renascer aquilo que já teve uma “outra vida” – o ato de cultivar a partir de pevides, grainhas e caroços é bastante interessante mas requer algum conhecimento, preparação e cuidados para que consigamos ter sucesso.

E é exatamente isso que vos trago desta vez: algumas dicas para que em casa e de forma económica possam aproveitar estas partes dos alimentos que numa situação “normal” muito provavelmente acabariam no lixo. É um processo incrível, que pode ser realizado por pessoas de qualquer idade, mas que acaba por ser bastante interessante para as crianças, já que estas conseguem acompanhar todas as etapas e todo o processo de crescimento das plantas.

Recolha de sementes

Na hora de adquirir os alimentos de onde vão retirar as pevides, sementes ou caroços devem ter alguns pontos em atenção, tais como optar pelos que são frescos, sem serem submetidos a qualquer tratamento e, se possível, orgânicos.

Deixar amadurecer

Caso o fruto ainda não esteja no ponto quando o comprarem, coloquem-no junto de bananas maduras, num local ameno e soalheiro, para acelerar o processo de amadurecimento.

A colheita

Depois de extraídas, lavem as pevides com cuidado e plantem-nas o mais rapidamente possível.  Se por acaso necessitarem de as guardar durante alguns dias, coloquem-nas entre algumas folhas de papel de cozinha húmidos ou num saco de plástico selado. 

Do que vão precisar 

Na realidade, o processo de cultivo não obriga a um grande investimento em utensílios. Alternativas para equipamento básico podem inclusive, e caso não queiram gastar dinheiro, ser encontradas nas nossas cozinhas! Assim, vão precisar:

  • De uma pá ou uma colher grande (para transferir o substrato do saco para o vaso)
  • Substrato vegetal
  • Um ancinho ou um garfo (para remover possíveis ervas daninhas e acomodar o substrato)
  • Faca afiada
  • Vasos ou bandejas
  • Tampas de plástico transparentes ou película aderente (para cobrir os vasos e/ou bandejas)
  • Luvas
  • Tesoura de poda ou tesoura afiada para desbastar as plantas 
  • Pulverizador e/ou regador (ou até uma garrafa de água)

Um exemplo prático

São fãs de abacate? Porque não então plantarem e fazerem crescer o vosso próprio abacateiro? É bastante simples, fiquem com o passo a passo.

Começamos… pelo abacate!

Antes de mais precisamos de… um abacate! Se possível, adquiram um que seja orgânico, já que os não orgânicos muitas das vezes são sujeitos a processos de mudança genética, que posteriormente resultam em dificuldades na sua reprodução.

Separar o caroço

Cortem o abacate, retirem o caroço e reservem-no. Façam-no com cuidado – o ideal será fazer um corte longitudinal no abacate com cerca de 1,5 cm de profundidade e depois girar as duas metades para abrir e tirar o caroço. Lavem-no muito bem (não retirem a casca castanha) e depois disso encham um copo com água, espetem três palitos no caroço e coloquem-no sobre a boca do copo – certifiquem-se que a água cobre metade do caroço. Coloquem o copo perto de uma janela.

Paciência!

Tudo o que é bom demora o seu tempo… e agora não há outro “remédio” senão aguardar! Por norma começarão a ver algumas raízes a brotarem no espaço de duas a quatro semanas – no entretanto podem e devem ir mudando a água do copo uma vez por semana.

Crescer a olhos vistos

Cerca de dois meses depois as primeiras folhas vão começar a surgir. É importante manter o caroço no copo até que as raízes, caule, folhas e planta atinjam cerca de 20 a 30 cm. Depois a semente estará pronta para ser transplantada para um vaso para que continue a crescer.

Inês Barbosa/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER