Saúde & Bem-estar

Lambendo suas próprias feridas

Acontecem coisas na nossa vida, alguns sentimentos são despertados que sinalizam que precisamos nos recolher e resguardar. Há momentos que precisamos ser egoístas. Mesmo! Espere, vou explicar… Isso quer dizer que há certas fases da vida em que é necessário nos voltarmos completamente para nós mesmos e nos cuidar. Deixar um pouco de lado o outro e “lamber” nossas próprias feridas a fim de curar a dor.

Lambendo suas próprias feridas-saude-mileniostadium
Créditos: DR

Muita gente engole a seco a própria dor para dar atenção ao outro que também está no mesmo ciclo de incertezas, medos e baixa energia. E não percebe que isso vai adoecendo a si próprio, pois a dor do outro ocupa um espaço que seria dedicado à sua própria melhoria.

Há que se cuidar e desenvolver cada vez mais um padrão de autocuidado, que possibilite, aos poucos, ir retornando ao mundo do auxílio, do apoio e da entrega aos demais.

Se alguns que te cercam não entenderem esse seu momento de autopreservação, é bom que reveja o rol de pessoas que estão ao seu lado. Aqueles que nos amam, nos compreenderão sem julgamentos e sem cobranças.

Todos nós passamos a todo momento por transformações e como diria Raul Seixas, somos metamorfoses ambulantes. E nem sempre podemos estar à disposição dos nossos familiares e amigos. Acontece que fomos tão condicionados a acreditar que para ser uma pessoa boa ou amada é necessário se entregar integralmente, independente de qualquer coisa, que acabamos nos prejudicando ainda mais em nome do outro.

Por isso, reafirmo: há momentos que precisamos ser egoístas. É um egoísmo altruísta, lhe garanto, que irá favorecer a sua saúde física e mental para que você, estabilizado, consiga se doar da forma que o outro merece.

Por isso, se você perceber que não está em condições de ajudar o seu próximo, seja claro, e não se preocupe, porque se o outro realmente mantiver por você sentimentos verdadeiros, ele também irá compreender o seu momento, sem que haja nenhum tipo de conflito. Agora, se de repente, essa pessoa lhe cobrar por sua atenção, mesmo sabendo que você precisa desse momento só seu, talvez seja necessário repensar sobre as relações que você quer manter para que assim, haja uma relação saudável. De qualquer modo é necessário uma conversa franca com essa pessoa com o objetivo de esclarecer o seu momento, fazê-la compreender a necessidade desse resguardo. O importante é, principalmente em questões que requerem nossa ajuda, colocar sempre como prioridade o estado da nossa saúde física e mental. Quando esquecemos de nós, corremos o risco de adoecer e não prestar a ajuda que gostaríamos de dar. O autocuidado favorece uma melhor percepção de nós mesmos nos capacitando ainda mais aos cuidados com o outro. Só não podemos inverter a ordem desses cuidados. Lembre-se: você é prioridade!

Adriana Marques/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER