Entretenimento

Ford charcoal briquets

A BLAST FROM THE PAST - Briquetes de carvão Ford

Today’s article will briefly introduce the reader to one of Henry Ford’s industries within an industry. Henry Ford was indeed very resourceful and had many pokers in the fire, all at the same time. 

The charcoal briquets venture started as follows. In 1918, Edward G. Kingsford was operating and managing a Ford authorized dealership in Iron Mountain, Michigan. Henry Ford was his cousin-in-law and eventually he contacted Edward to inquire about acquiring Timberlands in the Upper Peninsula of Michigan. 

Ford charcoal briquets-toronto-mileniostadiumKingsford searched, inquired and eventually arranged the purchase of 313,000 acres on behalf of the Ford Motor Company. Henry was so impressed by his loyal deal making cousin, that he appointed him Vice President of Ford’s Upper Peninsula portfolio operations. Kingsford was now responsible for the factories, sawmills and wood chemical plant. 

The Ford Motor Company sawmills produced tons of wood waste per shift. Some of the waste was used to produce steam which drove factory machinery. The remainder wood waste was carbonized or converted through destructible distillation into charcoal briquets. The process included mixing partially burnt hardwood shavings and chips with starch, and this process resulted in the forming of 100 tons, that’s right, 100 tons of charcoal briquets each day. 

Ford dealers retailed Ford branded barbecues in several different sizes, i.e., size 10, 20 and 30. The distribution of his briquettes was also promoted by Ford employee commissaries, as well as sporting good stores, general and hardware stores. Charcoal was a very efficient replacement for gathering and igniting firewood. The briquettes were quickly burning and produced tremendous heat, which made the cooking process more efficient. 

The actual briquettes each measured 1-3/4” x 1-3/4” and were 1-1/8” in overall thickness. They were compact pillow shaped blocks of powered charcoal put together under tremendous amounts of pressure. This process resulted in easy lighting, hot burning, no smoke or sparks and leaving virtually no ash. These were real advantages that made Ford charcoal briquettes the preferred fuel for many different uses. These briquettes were extensively used by railroads of the day in their dining room car broilers, in heating freight cars to guard perishable goods in transport during winter months. Also used by foundries for skin drying molds, by manufacturing facilities as a very effective reducing agent on the exterior surface of molten metal pots, by sheet metal workers, tinsmiths and many other industrial users. Other uses included home uses as a means of lighting furnace fires and a fire place fueled furthermore, they burned approximately twice as long as lump charcoal with an extremely intense concentrated hot glow and less than 3% ash residue. 

The following examples form part of the collection:  

  • 1925 – Original box of Ford charcoal briquets, 3” x 8” x 6” box in pristine condition and full of charcoal. Crisp example, displays well with minimal shelf wear. C-9 condition. Net weight listed as “not less than one pound”. 
  • 1935 – Brochure, “Ford charcoal briquets, fuel of a hundred uses”. This 1930’s brochure suggests the various ways this Ford by product may be used. C-9 condition. 
  • 1920’s – Ford grill No. 20, complete with original box, brochure, instructions and grill. Measures 19” x 10” x 9” and is exceedingly rare. 
  • 1920’s – Ford grill No. 10, smaller than No. 20, with original box, instructions and grill. Measures 8” x 6” x 3” and is also exceedingly rare. 

Armando Terra/MS


Briquetes de carvão Ford

O artigo de hoje apresentará brevemente ao leitor uma das indústrias de Henry Ford dentro de uma outra indústria. Henry Ford era realmente muito engenhoso e tinha muitas cartas na manga, tudo ao mesmo tempo.

Ford charcoal briquets-toronto-mileniostadium

O empreendimento de briquetes de carvão começou da seguinte forma: em 1918, Edward G. Kingsford estava a operar e a gerir uma concessionária autorizada da Ford em Iron Mountain, Michigan. Henry Ford era o seu “cousin-in-law” e eventualmente contactou Eduardo para perguntar sobre a aquisição de Timberlands na Península Superior de Michigan.

Kingsford procurou, consultou e eventualmente acabou por conseguir a compra de 313.000 hectares em nome da Ford Motor Company. Henry ficou tão impressionado com o seu leal primo parceiro de negócio que o nomeou vice-presidente das operações de carteira da Península Superior da Ford. Kingsford era agora responsável pelas fábricas, serrações e fábricas de produtos químicos de madeira.

As serrações da Ford Motor Company produziram toneladas de resíduos de madeira por turno. Alguns dos resíduos foram usados para produzir vapor que conduzia máquinas de fábrica. Os restantes resíduos de madeira foram carbonizados ou convertidos através de destilação destrutiva em briquetes de carvão. O processo incluía a mistura de aparas de madeira parcialmente queimadas e pequenas partes de madeira com amido, e este processo resultou na formação de 100 toneladas de briquetes de carvão por dia.

Ford charcoal briquets-toronto-mileniostadiumOs concessionários da Ford venderam churrascos de marca Ford em vários tamanhos diferentes, ou seja, tamanhos 10, 20 e 30. A distribuição dos seus briquetes também foi promovida pelos comissários de funcionários da Ford, bem como por boas lojas desportivas, lojas de artigos gerais e de ferragens. O carvão foi uma substituição muito eficiente para recolher e incendiar lenha. Os briquetes queimavam rapidamente e produziam um calor tremendo, o que tornou o processo de cozedura mais eficiente.

Os briquetes reais mediam cada um 1-3/4” x 1-3/4” e tinham uma espessura geral de 1-1/8”. Eram blocos compactos em forma de almofada de carvão vegetal, montados sob uma enorme pressão. Este processo resultou numa fácil combustão, grande aquecimento, sem fumo ou faíscas e não deixando praticamente cinzas algumas. Estas foram vantagens reais que fizeram das briquetes de carvão da Ford o combustível preferido para muitos usos diferentes. Estes briquetes eram extensivamente utilizados pelos caminhos de ferro nas suas carruagens de refeição, no aquecimento de vagões de carga para guardar mercadorias perecíveis no transporte durante os meses de inverno. Eram também utilizados pelas fundições para secagem de pele, pelas instalações de fabrico como agente redutor muito eficaz na superfície exterior das panelas de metal fundido, pelos trabalhadores de Ford charcoal briquets-toronto-mileniostadiumchapa, latoaria e muitos outros usos industriais. Outros usos incluem usos domésticos como meio de iluminação de fogueiras e locais alimentos por fogo, e além disso eles queimavam aproximadamente o dobro do tempo do carvão vegetal com um brilho quente concentrado extremamente intenso e menos de 3% de resíduos de cinzas.

Os seguintes exemplos fazem parte da coleção:

1925 – Caixa original de briquetes de carvão Ford, caixa de 3” x 8” x 6” em perfeitas condições e cheia de carvão. Exemplo nítido, exibe bem com o desgaste mínimo da prateleira. Condição C-9. Peso líquido listado como “não menos de uma libra”. 

1935 – Brochura, “Ford briquetes de carvão, combustível de uma centena de utilizações”. Esta brochura de 1930 sugere as várias formas de utilização deste produto da Ford. Condição C-9. 

1920’s – Grelha Ford nº 20, completa com caixa original, brochura, instruções e grelhador. Mede 19” x 10” x 9” e é extremamente raro. 

1920’s – Grelha Ford nº 10, menor que o nº 20, com caixa original, instruções e grelha. Medidas 8” x 6” x 3” e também é extremamente raro.

Armando Terra/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER