AmbienteBlog

Cidades sustentáveis

Terra Viva

vancouver convention center
vancouver convention center

Até 2030 prevê-se que cerca de 60% da população humana viva em cidades, ou sejam 5,6 mil milhões de pessoas. A concentração de milhões de pessoas em espaços reduzidos acarreta imensos problemas relativamente ao ambiente.

A gestão de efluentes poluentes, águas residuais, dejetos, poluição atmosférica, impermeabilização de solos, ocupação massiva de espaço não permitindo existência de biodiversidade, são tudo elementos de difícil gestão quando as suas dimensões são imensas.

As Nações Unidas, nos seus 17 Objetivos para Desenvolvimento Sustentável (un.org/sustainabledevelopment), inscrevem no Objetivo 11, a Sustentabilidade das Cidades e Comunidades. Apesar de as cidades e áreas metropolitanas serem geradoras de cerca de 60% do PIB (Produto Interno Bruto, “GDP” na sigla inglesa), são também responsáveis por 70% da emissão de gases de efeito estufa e de 60% de recursos.

Deveríamos estar a programar a dispersão de pessoas, promovendo a ocupação de territórios de forma equilibrada, no entanto, pela incapacidade de tal ação, teremos de mitigar de algum modo os impactos resultantes de elevadas concentrações de população, para isso teremos de moldar as nossas cidades na persecução da sustentabilidade.

Transcrevo informação disponível em unescoportugal.mne.gov.pt

Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 11: Tornar as cidades e as comunidades mais inclusivas, seguras, resilientes e sustentáveis

Até 2030, garantir o acesso de todos a habitação segura, adequada e a preço acessível, aos serviços básicos e melhorar as condições nos bairros de lata. Até 2030, proporcionar o acesso a sistemas de transporte seguros, acessíveis, sustentáveis e a preço acessível para todos, melhorando a segurança rodoviária através da expansão da rede de transportes públicos, com especial atenção para as necessidades das pessoas em situação de vulnerabilidade, particularmente mulheres, crianças, pessoas com deficiência e idosos

Até 2030, aumentar a urbanização inclusiva e sustentável, e as capacidades para o planeamento e gestão de assentamentos humanos participativos, integrados e sustentáveis, em todos os países Fortalecer esforços para proteger e salvaguardar o património cultural e natural do mundo

Até 2030, reduzir significativamente o número de mortes e o número de pessoas afetadas por catástrofes, e diminuir substancialmente as perdas económicas diretas causadas por essa via no produto interno bruto global, incluindo as catástrofes relacionadas com a água, focando-se sobretudo na proteção dos pobres e das pessoas em situação de vulnerabilidade

Até 2030, reduzir o impacto ambiental negativo per capita nas cidades, prestando especial atenção à qualidade do ar, gestão de resíduos municipais e outros Até 2030, proporcionar o acesso universal a espaços públicos seguros, inclusivos, acessíveis e verdes, particularmente para as mulheres e crianças, pessoas idosas e pessoas com deficiência

Apoiar relações económicas, sociais e ambientais positivas entre áreas urbanas, periurbanas e rurais, reforçando o planeamento nacional e regional de desenvolvimento

Até 2020, aumentar substancialmente o número de cidades e assentamentos humanos que adotaram e implementaram políticas e planos integrados para a inclusão, a eficiência dos recursos, mitigação e adaptação às mudanças climáticas, resiliência a desastres; e desenvolver e implementar, de acordo com o Enquadramento para a Redução do Risco de Desastres de Sendai 2015-2030, a gestão holística do risco de desastres, a todos os níveis

Apoiar os países menos desenvolvidos, por meio de assistência técnica e financeira, nas construções sustentáveis e resilientes, utilizando materiais locais.

Existem já alguns exemplos de cidades que têm em marcha ações e planos para a sustentabilidade, Vancouver é apresentada como um dos exemplos mundiais.

Em Vancouver:

  • transporte de bicicleta, a pé e de autocarro correspondem a 50% dos deslocamentos urbanos
  • autocarros têm estruturas para acondicionar bicicletas
  • 90% dos táxis são híbridos
  • 200 pontos para carregamento de veículos elétricos
  • 50 pontos de bicicletas de uso público, num total de 500 bicicletas

Estes são apenas alguns exemplos, de uma enorme lista, que abrange desde redução de emissões de carbono, utilização de energias renováveis e até os incríveis jardins no telhado do Vancouver Convention Centre, onde foram introduzidas colmeias, num total de cerca de 60 mil abelhas.

Sigamos os bons exemplos, construamos cidades sustentáveis, a Terra será assim um melhor planeta para todos os seus habitantes.

Paulo Gil Cardoso/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER