Uncategorised

Conselho das Finanças Públicas espera abrandamento da economia em 2023

financas - portugal - milenio stadium
Dinheiro danificado na área de valorização de notas, no complexo do Banco de Portugal, no Carregado, 2 de junho de 2022. (ACOMPANHA TEXTO DO DIA 12 JUNHO 2022) MÁRIO CRUZ/LUSA

 

O Conselho das Finanças Públicas melhorou as perspetivas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano para 6,7%, mas cortou as do próximo ano, prevendo agora uma forte desaceleração para 1,2%.

No relatório de atualização das perspetivas económicas e orçamentais 2022-2026, a instituição presidida por Nazaré Costa Cabral prevê uma aceleração do crescimento da economia portuguesa para 6,7% este ano face aos 4,9% registados em 2021. A revisão em alta de 1,9 pontos percentuais face ao previsto em março resulta sobretudo do “forte desempenho” registado no primeiro semestre.

Contudo, para o próximo ano revela-se mais pessimista, esperando um “abrandamento expressivo” do crescimento para 1,2%, um corte de 1,6 pontos percentuais face a março, refletindo as pressões inflacionistas, o abrandamento da procura externa e o agravamento das condições de financiamento da economia.

Inflação a subir para 7,7% e défice de 1,3

O Conselho das Finanças Públicas (CFP) reviu em alta a taxa de inflação para este ano para 7,7%, esperando uma redução gradual para 5,1% em 2023 e 1,9% no médio prazo. Por outro lado, o défice deverá fixar-se em 1,3% este ano, 0,6 pontos percentuais abaixo da meta do Governo, ajudado pela inflação, e Portugal poderá voltar a atingir um excedente orçamental de 0,1% em 2023, segundo as estimativas do CFP.

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER