Temas de CapaBlog

VOX POP

Do sonho à realidade

voxpop-canada-mileniostadium
Créditos: DR

O que você quer ser quando crescer? Essa é uma pergunta que crianças e jovens estão muito acostumados, e às vezes até fartos, de terem de responder. Na primeira infância é muito comum sonharmos com possibilidades mágicas, futuros glamorosos e heroicos, afinal quem nunca respondeu a esse questionamento dizendo que queria ser astronauta, bombeiro, piloto de avião, atriz de cinema, médica…ou na atualidade influenciador digital ou gamer. Difícil é encontrar em meio as respostas as profissões comuns do dia-a-dia, cheias de importância, mas que aos olhos infantis talvez não pareçam tão animadoras e interessantes.

Porém entre os sonhos e a realidade…a vida acontece e muitas vezes nos leva por caminhos bem diferentes daquele que tanto desejamos, ou até mesmo, planejamos. Alguns conseguem de fato atingir o sonho infantil, mas muitos acabam trilhando outros rumos, inclusive por vontade própria, afinal nossos sonhos, vontades e necessidades também mudam e se moldam conforme vamos amadurecendo.

Nessa edição do Milénio Stadium, na qual falamos sobre o futuro do mundo laboral e seus protagonistas, perguntamos às crianças e adolescentes sobre os seus sonhos atuais relacionados a carreira profissional. Por outro lado, replicamos as perguntas a pessoas que já estão no mercado de trabalho, para perceber quais eram seus interesses no passado, no que de fato estão a trabalhar e os fatores que os trouxeram até esse lugar atual.


  • Gustavo Rodrigues da Silva, 11 anos, Grade 6

1. Já sabes o que queres ser quando fores grande?

Sim. Um criador de jogos ou um artista.

2. O que consideras mais importante na hora de definir uma profissão para o futuro? Por exemplo, gostar do que faz, o salário?

Salário e diversão.

3. Se você tiver dúvidas ou questionamentos na hora de definir uma profissão a seguir, pretende buscar ajuda com quem? Pais, professores, conselheiros educacionais?

Família.

4. Costuma falar com professores ou pais sobre o queres fazer no futuro profissional?

Não.


  • Vítor Rodrigues da Silva, 17 anos, Grade 12

1. Já sabes o que queres ser quando fores grande?

Tenho algumas ideias mas ainda não tenho 100% de certeza.

2. O que consideras mais importante na hora de definir uma profissão para o futuro? Por exemplo, gostar do que faz, o salário?

Tem que ser algo que eu goste de fazer e que também tenha um salário bom.

3. Se você tiver dúvidas ou questionamentos na hora de definir uma profissão a seguir, pretende buscar ajuda com quem? Pais, professores, conselheiros educacionais?

Minha família.

4. Costuma falar com professores ou pais sobre o queres fazer no futuro profissional?

Sim, costumo falar com meus pais às vezes.


  • Rosechantal, 14anos, Grade 9

1. Já sabes o que queres ser quando fores grande?

Sim, sei. Eu quero ser enfermeira como a minha mãe e a minha avó.

2. O que consideras mais importante na hora de definir uma profissão para o futuro? Por exemplo, gostar do que faz, o salário?

Na hora de definir uma profissão para o futuro, eu considero ser mais importante gostar do que se faz, por ser algo que irá ocupar grande parte da sua vida.

3. Se você tiver dúvidas ou questionamentos na hora de definir uma profissão a seguir, pretende buscar ajuda com quem? Pais, professores, conselheiros educacionais?

Eu pretendo buscar ajuda com os meus pais, meus avós ou um conselheiro escolar, por serem pessoas que me conhecem melhor

4. Costuma falar com professores ou pais sobre o queres fazer no futuro profissional?

Costumo falar com os meus pais, meus professores e também com os meus tios e tias.


  • Ayana, 12 anos, Grade 7 – French Immersion

1. Já sabes o que queres ser quando fores grande?

Sim, cientista química.

2. O que consideras mais importante na hora de definir uma profissão para o futuro? Por exemplo, gostar do que faz, o salário?

As duas coisas, tens que gostar do que fazes e também tens que fazer dinheiro.

3. Se você tiver dúvidas ou questionamentos na hora de definir uma profissão a seguir, pretende buscar ajuda com quem? Pais, professores, conselheiros educacionais?

Eu consulto os meus pais.

4. Costuma falar com professores ou pais sobre o queres fazer no futuro profissional?

Sim, com os meus pais.


  • Kamia, 15 anos, Grade 11

1. Já sabes o que queres ser quando fores grande?

Explorar advocacia.

2. O que consideras mais importante na hora de definir uma profissão para o futuro? Por exemplo, gostar do que faz, o salário?

Salário e reputação.

3. Se você tiver dúvidas ou questionamentos na hora de definir uma profissão a seguir, pretende buscar ajuda com quem? Pais, professores, conselheiros educacionais?

Meus pais, conselheiros profissionais educacionais.

4. Costuma falar com professores ou pais sobre o queres fazer no futuro profissional?

Sim, com os meus pais e com profissionais.


  • Waleska Dreyer Cupples, 39 anos, dentista

1. O que querias ser quando eras pequeno?

Cientista.

2. Qual sua profissão atual e como analisa esse desejo infantil?

Dentista. A infância é uma fase de descobertas diárias e crianças questionam e querem saber o porquê de absolutamente tudo. Muitas coisas meus pais e professores não tinham a resposta. Acredito que o desejo de ser cientista veio da vontade de descobrir coisas novas e explorar fenômenos já existentes.

3. O que foi determinante na hora de escolher sua carreira profissional?

Meus pais são dentistas e desde pequena passava as tardes brincando no consultório, atendendo o telefone, sentando na cadeira e fingindo que era dentista. Acredito que esse desejo já estava sendo aos poucos construído dentro de mim. Desde o início da adolescência já havia tomado minha decisão e não me imaginava fazendo outra coisa.

4. Se considera satisfeito com sua escolha/oportunidade profissional? Ou se pudesse voltar atrás escolheria outra área de trabalho?

Sim, me considero satisfeita. Não voltaria atrás e não escolheria outra profissão.


  • Fa Azevedo, 49 anos, multimedia designer

1. O que querias ser quando eras pequena?

Queria cuidar de pessoas, sempre vi a medicina como minha primeira opção, mas tinha também aquela imagem da professora e com o amadurecimento pensei até em seguir a carreira acadêmica, mas na área da medicina.

2. Qual sua profissão atual e como analisa esse desejo infantil?

Há mais de 20 anos trabalho na área como designer, mas o caminho até aqui foi de testes profissionais até realmente me encontrar. Comecei pela medicina, cursando nove meses na Universidade de Vassouras, no interior do Rio de Janeiro, quase enlouqueci. Optei então por cursar Farmácia, porém após um ano de estudos não achei que esse era meu sonho profissional, então passei a estudar Química Industrial por quatro anos. A paixão pela arte falou mais alto e acabei por me formar como arquiteta em 2000. Segui na área de designer usando maquete digital para fazer apresentações a clientes e acabei por me encantar com a mágica que os computadores podem fazer, agora aqui estou há mais de 20 anos atuando como designer gráfica.

3. O que foi determinante na hora de escolher sua carreira profissional?

A arte em geral sempre influenciou minha vida, minha irmã é doutora em Artes, me mostrou que é possível viver disso. Mesmo ela seguindo no mundo acadêmico, me fez enxergar a arte em várias formas.

4. Se considera satisfeito com sua escolha/oportunidade profissional? Ou se pudesse voltar atrás escolheria outra área de trabalho?

Sim, gosto do que faço, especialmente quando se trata do momento atual, tecnologia ao alcance de todos, a mídia social. Existem bons exemplos nas redes sociais, basta ser seletivo e acompanhar conteúdos que de fato sejam bons exemplos.


  • Felipe Ferreira, 38 anos, engenheiro

1. O que querias ser quando eras pequeno?

Muitas coisas, muitas profissões; talvez trabalhar em alguma agência espacial. Acho que fui muito bem orientado pela minha mãe a cursar engenharia. Foi a maneira mais próxima dentro da lógica de mercado de ficar próximo do espaço.

2. Qual sua profissão atual e como analisa esse desejo infantil?

Hoje sou engenheiro formado e manager em logística de manufatura na indústria de aviação.

3. O que foi determinante na hora de escolher sua carreira profissional?

Gostar de números, oportunidades de trabalho e minha mãe.

4. Se considera satisfeito com sua escolha/oportunidade profissional? Ou se pudesse voltar atrás escolheria outra área de trabalho?

Não tenho muito do que reclamar tendo em vista o quão difícil é para muitas pessoas ter essa questão definida mesmo após o high school. Não me vejo no momento trabalhando em outro tipo de mercado. Adoro o que faço. Faço com muito orgulho e dedicação por mim, pela minha família e quem sabe para tentar transformar esse mundo em algo melhor e mais sustentável dentro da minha área de atuação.


  • Fernando Biondo, 33 anos, bancário

1. O que querias ser quando eras pequeno?

Jogador de futebol.

2. Qual sua profissão atual e como analisa esse desejo infantil?

Bancário, era um desejo pela idade e pela influência da mídia. Hoje não considero um bom estilo de vida.

3. O que foi determinante na hora de escolher sua carreira profissional?

Dinheiro e estabilidade.

4. Se considera satisfeito com sua escolha/oportunidade profissional? Ou se pudesse voltar atrás escolheria outra área de trabalho?

Satisfeito, é uma área que, apesar dos problemas, eu tenho bastante interesse e sempre tem muita demanda, não importa o cenário econômico.

Lizandra Ongaratto/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER