Temas de Capa

Vox Pop

Um lar que se pareça com o aconchego de casa, uma daquelas de tradição portuguesa, com comida típica à mesa, atividades alusivas à cultura e claro, com funcionários e equipe médica que falem a língua dos utentes.  A ideia é tornar o ambiente o mais acolhedor e confortável possível para aqueles que chegaram a fase da vida onde voltam a precisar de ajuda contínua para desempenhar atividades de rotina e necessitam uma atenção especial voltada à saúde física e mental. Essa é a proposta do Magellan Community Care, um local que será o resultado da união de forças, e da solidariedade, da comunidade portuguesa em Ontário. Para que o projeto saia do papel será necessário um esforço tremendo, uma obra dessas exige alta verba e trabalho, por isso a angariação de fundos para tornar esse sonho uma realidade depende da generosidade de muitos. Diversos representantes da comunidade já o fizeram e fica o convite para aqueles que possam contribuir. Em causa está a construção desse lar que quer proporcionar um envelhecer mais saudável e feliz aos nosso idosos. Com o tema centrado nesse assunto, o Milénio Stadium nesta semana ouviu alguns membros da comunidade portuguesa para perceber qual a opinião deles sobre a criação, e a necessidade antiga, de um lar com serviços e programas específicos.

VOX POP-toronto-mileniostadium
Créditos: DR.
  • Maria Ribeiro, 70 anos, Executive Assistant

A comunidade portuguesa em Toronto vai iniciar o processo de angariação de fundos para construir o Magellan Community Centre, um lar de idosos que vai ter serviços culturalmente específicos – com recurso às tradições, gastronomia e serviços em língua portuguesa. Qual a sua opinião sobre esse projeto?

Acho uma idea excelente e como se diz em bom português, já não é sem tempo pois a necessidade é cada vez maior, os nossos ‘Baby Boomers’ estão a ficar velhotes!! 

Acha que era uma necessidade antiga termos um lar deste tipo, destinado à comunidade portuguesa?

Sim, já era uma necessidade antiga termos um lar que tem a língua portuguesa como a língua principal.  Manter as nossas tradições e gastronomia portuguesas é com certeza importante e seria muito agradável para os futuros utentes do Magellan Community Center. Realmente é essencial que tanto as pessoas que prestam os serviços pessoais (PCW) como os médicos, enfermeiros e equipe falem o português.  Quando a minha mãe esteve internada num dos lares que eu considero um dos melhores em Toronto, o maior problema que acho que existia era a falta de comunicação entre os utentes e os PCW’S . Os PCW’s tentavam de todas as formas comunicar mesmo usando algumas poucas expressões em português, no caso da minha mãe, mesmo assim era difícil para minha mãe perceber o que estavam a dizer ou a pedir-lhe.  Eu visitava minha mãe com muita frequência e claro que ajudava sempre na comunicação, mas via que os utentes das outras etnias tinham bastante dificuldade em perceber as pessoas que tratavam deles, o que fazia com que se sentissem com ansiedade.  A ansiedade era um dos problemas bastante evidente nos utentes que tinham dificuldade em comunicar com quem os compreendessem. Quanto a nossa gastronomia, claro que seria um luxo para os nossos futuros utentes deste projeto!!  A minha sogra estava internada num lar em Portugal que nós visitávamos umas três a quatro vezes por ano (e quando estávamos lá íamos dar-lhe o almoço todos os dias).   Eu via a diferença da comida que serviam lá e a comida que serviam aqui no lar onde minha mãe estava – era como fosse dia e noite – e o gosto com que todos os utentes comiam a sua comida bem portuguesa era de admirar! Via-se que estavam a comer com prazer em vez de serem forçados a comer como acontecia com a maioria dos utentes no lar aqui em Toronto (que era muito bom como já disse).

Considera que oferecer cuidados em língua portuguesa, com cultura e gastronomia portuguesa, se torna mais humano e promove um envelhecimento mais saudável aos idosos?

Claro que oferecer todos os cuidados em língua portuguesa, cultura e gastronomia portuguesa se torna não só mais humano mas essencial para o bem estar físico e mental dos idosos.  Tal qual como todos nós, quando nos sentimos felizes, tudo nos corre melhor.  Os nosso idosos, mesmo internados em lares e com vários problemas de saúde, se forem tratados em sua própria língua e com os costumes e gastronomia a que estavam acostumados nas suas próprias casas, irão sentir-se mais felizes e calmos e tudo isso ajuda na boa qualidade de vida que eles merecem e todos nos temos obrigação de oferecer aos nossos pais. Bem haja as pessoas que estão a trabalhar neste grande projeto – Magellan Community Center!!


Ana Pereira, 56 anos, Cuidadora de Idosos

A comunidade portuguesa em Toronto vai iniciar o processo de angariação de fundos para construir o Magellan Community Centre, um lar de idosos que vai ter serviços culturalmente específicos – com recurso às tradições, gastronomia e serviços em língua portuguesa. Qual a sua opinião sobre esse projeto?

Acho uma boa ideia, os idosos vão se sentir mais felizes num ambiente português, seguindo Como portuguesa acho que o projecto Magellan Community Centre, aonde as nossas raízes serão implantadas, é algo maravilhoso e necessário, temos uma comunidade muito forte que unida pode fazer projectos lindos como este.

Acha que era uma necessidade antiga termos um lar deste tipo, destinado à comunidade portuguesa?

Sim, acho uma necessidade, o que isola o idoso é a questão da língua e eu que tenho trabalhado com idosos sei que o que mais gostam é conversar contar as suas histórias e até quem não se lembra por motivos de saúde ainda assim gosta de falar e ser ouvido.

Considera que oferecer cuidados em língua portuguesa, com cultura e gastronomia portuguesa, se torna mais humano e promove um envelhecimento mais saudável aos idosos?

Sim, claro. Os cuidados, cultura e a gastronomia são parte de uma cultura da qual o idoso se sente confortável estando inserido e ainda mais num país estrangeiro, isso representa manter as nossas raízes numa comunidade que vai se sentir mais confortável assim. O idoso só porque é idoso isso não lhe tira o valor, ele por si próprio já se desvaloriza porque não produz, então acha que é inútil. Todos juntos podemos mudar essa mentalidade e dar uma qualidade de vida aos nossos idosos, eles merecem. Amanhã seremos nós.


  • Albert Fernandes, 57 anos, Reformado

The Portuguese community in Toronto is doing a fundraising process to build the Magellan Community Centre, a long-term care for seniors that will have culturally specific services –Portuguese speaking staff, traditional Portuguese meals, and other services. What is your opinion about this project?

Yes, I think it is a great idea to have a LTC facility that caters to people of Portuguese heritage. My mother would definitely benefit from being in a Portuguese speaking environment. She suffers from Mixed Dementia and is starting to revert to her mother tongue more often than not. She would certainly be better off in a LTC facility that caters to people of Portuguese heritage. My mother is not in a LTC home but is in a Retirement home that caters to people who suffer from Alzheimer’s/Dementia it is called the Memory floor.

Do you think it was a long-standing need to have this kind of facility for the Portuguese community?

Yes. I have seen in other communities LTC homes been built for their ethnic groups, that live in their cities. Toronto has such a large Portuguese population that I am surprised that there is not one yet.

Do you think that offering care in the Portuguese language, with Portuguese culture and gastronomy, makes the environment more human and promotes a healthier aging to the elderly?

Definite yes. It would be beneficial for our elderly to have a facility like this especially for their mental health as well as physical health. The comforts of Portuguese cuisine would be comforting and feel like she is at home. We often bring her Portuguese treats knowing that some of them are her favourites. Being able to communicate in Portuguese would make things so much easier for her and for us because it would give us some peace of mind.


  • Susana Pereira, 52 anos, Professora

The Portuguese community in Toronto is doing a fundraising process to build the Magellan Community Centre, a long-term care for seniors that will have culturally specific services –Portuguese speaking staff, traditional Portuguese meals, and other services. What is your opinion about this project?

I think that’s an excellent undertaking. An LTC specifically aimed at providing residents with comfort, familiarity and that keeps them tied to their cultural upbringing is long overdue. I know that similar care homes exist for other cultural groups, so I’m pleased to hear that our Portuguese community will be given this option as well. For the elderly population that emigrated here when they were young adults (like my parents), this gives them an opportunity to continue to live in a manner similar to how they had been accustomed. Most portuguese immigrants adapted to Canadian way of life, but I don’t know any who didn’t continue to speak the portuguese language, cook portuguese food, celebrate portuguese customs etc. It seems cruel to expect them to abandon this way of life when they enter a retirement home/assisted living home or a long-term care home.

Do you think it was a long-standing need to have this kind of facility for the Portuguese community?

As I said above, absolutely. When our family found it was time to move my mother to an assisted living facility, our options were very limited. Although we found proximity to be the most important factor to ensure that all family members could visit on a regular basis, I think that having a culturally-sensitive option would have tempted us to consider a home outside of our geographic area.

Do you think that offering care in the Portuguese language, with Portuguese culture and gastronomy, makes the environment more human and promotes a healthier aging to the elderly?

This is exactly right. The elderly population deserves to live with dignity. In my own situation, my mother has lived in Canada for almost 50 years. She and my late father adapted and embraced Canadian culture, language and food. Since we live outside of Toronto, they had to. However, I have many friends and relatives who settled in the portuguese diaspora of Toronto and did not need to make as many adaptations to their lifestyle. Their language, food and friend groups stayed very Portuguese. Given my mom’s situation in her current assisted living home (which is very “Canadian”), I can only imagine how difficult their transition would be from eating new foods, hearing only English being spoken and other culturally new habits that would be expected to adapt to. It adds stress, confusion and dissatisfaction to their final years. From my perspective as a caregiver to a mom living with rapidly progressing dementia, I can tell you that an individual living with Alzeihmers regresses. My mom, who was comfortable and fluent in English, now often forgets the language and reverts more naturally to her first language, portuguese. It leads to occasional difficulty communicating with staff none of whom speak portuguese. Living with dementia often means living in the past. My mom often believes she is young and still living in Portugal. It would be very comforting for her to be surrounded with people who remind her of home which is where her brain currently wants her to be.


  • Maria Melo – Reformada – Atualmente é voluntária

A comunidade portuguesa em Toronto vai iniciar o processo de angariação de fundos para construir o Magellan Community Centre, um lar de idosos que vai ter serviços culturalmente específicos – com recurso às tradições, gastronomia e serviços em língua portuguesa. Qual a sua opinião sobre esse projeto?

Acho uma boa ideia, os idosos vão se sentir mais felizes num ambiente português, seguindo as mesmas tradições. Não há melhor opção que ter uma velhice alegre.

Acha que era uma necessidade antiga termos um lar deste tipo, destinado à comunidade portuguesa?

Sim, já devíamos ter há muito tempo um lar para a comunidade portuguesa, mas mais vale tarde que nunca, sempre é uma boa inciativa.

Considera que oferecer cuidados em língua portuguesa, com cultura e gastronomia portuguesa, se torna mais humano e promove um envelhecimento mais saudável aos idosos?

Tenho a certeza que sim. Sempre é bom manter as nossas tradições. Bom sucesso nesta iniciativa e parabéns pela ideia. Deus queira que eu veja o projeto acabado. Eu gostava de mencionar nas minhas respostas que a comunidade portuguesa também tem muitas pessoas com deficiência mental que também necessitam de assistência e ficam mais felizes num ambiente português, porque são postos nos hospitais e alguns nunca mais veem os familiares e por lá ficam a sofrer. Será bom que alguém se ocupe de ajudar essas pessoas, são seres humanos e alguns muito jovens.


  • Avelino Teixeira, 77 anos, Reformado

A comunidade portuguesa em Toronto vai iniciar o processo de angariação de fundos para construir o Magellan Community Centre, um lar de idosos que vai ter serviços culturalmente específicos – com recurso às tradições, gastronomia e serviços em língua portuguesa. Qual a sua opinião sobre esse projeto?

Acho um projeto interessantíssimo e devido à comunidade portuguesa há muitos anos. Que seja quanto antes realizado tendo em mente todos os preconceitos inerentes, e que seja devidamente gerenciado para que não aconteça o que se verificou em lares da terceira idade de índole privada durante a pandemia: centenas de mortes que poderiam ter sido evitadas se os mesmos lares não tivessem tido em mente apenas fazer dinheiro porque parece ter sido para isso que eles foram construídos. Não podemos permitir que tal catástrofe volte a repetir-se. O governo tem que os supervisionar.

Acha que era uma necessidade antiga termos um lar deste tipo, destinado à comunidade portuguesa?

Obviamente, mas que seja gerenciado e cuidado apenas por portugueses, se é que isso é possível, tendo em conta as leis laborais.

Considera que oferecer cuidados em língua portuguesa, com cultura e gastronomia portuguesa, se torna mais humano e promove um envelhecimento mais saudável aos idosos?

Absolutamente! Creio já ter referido a este parágrafo anteriormente.


  • Marilia dos Santos, Counsellor/Senior’s Program Co-Ordinator Abrigo Centre

A comunidade portuguesa em Toronto vai iniciar o processo de angariação de fundos para construir o Magellan Community Centre, um lar de idosos que vai ter serviços culturalmente específicos – com recurso às tradições, gastronomia e serviços em língua portuguesa. Qual a sua opinião sobre esse projeto?

Na minha opinião este projeto é extremamente importante e valioso para os idosos da nossa comunidade. Criado por portugueses e para portugueses. A transição para um lar ou casa de repouso é um processo e uma decisão que não é fácil para ninguém. Uma organização como o projeto “Magalhães” terá certamente um grande impacto na vida de muitos idosos, que eventualmente vão escolher viver o resto das suas vidas num ambiente mais íntimo onde a língua e cultura/costumes/gastronomia portuguesa serão prevalentes. Como dizem em inglês “uma casa fora de casa”.

Acha que era uma necessidade antiga termos um lar deste tipo, destinado à comunidade portuguesa?

Este projeto irá fazer a diferença na vida de muita gente que trabalhou e contribuiu para esta sociedade e merecem ter uma continuação de vida digna e merecida num ambiente confortável e cheio de coisas boas para oferecer aos idosos da nossa comunidade.

Considera que oferecer cuidados em língua portuguesa, com cultura e gastronomia portuguesa, se torna mais humano e promove um envelhecimento mais saudável aos idosos?

Não tenho qualquer dúvida de que este projeto, há tanto tempo esperado por muitos, fará a diferença. Desejo o maior sucesso e estou a disposição para prestar apoio se assim for necessário.

Lizandra Ongaratto/MS   

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER