Temas de Capa

Vox Pop

Aplicativos para encontros

Que a pandemia mudou nossas vidas e rotinas de diversas maneiras não há dúvidas. Impedidos de ir e vir como nos velhos tempos, o mundo online se tornou a ponte de conexão entre as pessoas em diversos sentidos: seja para atividades profissionais, de confraternização, esportivas e claro, possíveis encontros amorosos. Um dos grupos atingidos em cheio pelas ordens de restrição foram os solteiros. Sem poder ir à bares ou frequentar festas e socializar com os amigos…a solução foi recorrer as plataformas virtuais. E foram muitos que tomaram essa direção: basta constatar que diversos sites de relacionamentos ao redor do mundo viram o número de inscrições e usuários se multiplicarem desde o início das restrições, e sua rentabilidade e valor de mercado também, diga-se de passagem. E o universo do namoro ou diversão online é vasto e cheio de opções. Existem desde aqueles sites ou apps direcionados para quem busca um relacionamento sério até os que explicitamente vendem a ideia de diversão mais imediata, ou seja, todos os grupos são contemplados. Com essa edição do Milénio Stadium se voltando para os relacionamentos amorosos nascidos online, e suas vertentes, fomos à conversa com alguns usuários desses apps de relacionamentos para perceber o que pensam sobre, e se já tiveram sorte, nesses romances através do ecrã

voxpop-canada-mileniostadium
Credito: DR.

Drew Robinson – Social worker, 54 years

Have you ever used dating apps or agencies?

I am recently separated and have been using dating sites with limited success. I am not looking for casual hook ups! But a life partner.

What is your opinion towards these agencies or apps?

I am not entirely sure what my opinion is, I met my wife of 20 years on line but not through an app.  I believe there are many people who have found love on these sites.

Do you consider it’s possible to have a long-lasting relationship using these apps and agencies or do you feel most people are just looking for casual encounters and to have fun?

Absolutely it’s possible, I think the problem with them is too many choices for some people, thinking they will find perfection if they keep looking so even after they meet a suitable partner they keep looking for that someone better!

The use of these apps have increased a lot since the beginning of the pandemic. How healthy do you think this is for people?

I think anything that helps people connect during these difficult times is probably a positive, however connections in the digital world are not always real connections but many if not most people believe it is. I think it’s difficult to meet people organically in this environment. So apps are beneficial.


Anne Silva – Designer, 49 anos

Você já usou ou costuma usar aplicações ou agências de relacionamento amoroso?

Sim. Acho que nos dias de hoje e com a vida cheia de compromissos esta é uma forma que pode facilitar conhecer pessoas interessantes.

Qual é a sua opinião sobre essas aplicações e agências?

Hoje existem vários aplicativos com focos diferentes, incluindo entre eles tipos de relacionamentos e idades, o que facilita já que muitas vezes as descrições nos dão uma ideia de como a pessoa mora, gosta de viver e se tem hobbies etc.

Acha que com essas ferramentas é possível que um relacionamento duradouro aconteça ou a maioria das pessoas buscam apenas encontros casuais e diversão?

Acho que tem pessoas com focos diferentes, mas geralmente quem entra em um site de relacionamento é porque está à procura de um companheiro, mas isso não quer dizer que é para casar e sim de partilhar momentos juntos, um namoro.

O uso desses apps se tornou cada vez mais frequente, em especial desde o início da pandemia. Até que ponto acha isso saudável para as pessoas?

O número de usuários deve ter aumentado bastante, porque não temos mais opção de estar num ambiente com pessoas, mesmo festas entre amigos, por enquanto está tudo vetado e temos essa opção. Que bom!


Linda C.- Gerente comercial, 45 anos

Você já usou ou costuma usar aplicações ou agências de relacionamento amoroso?

Sim.

Qual é a sua opinião sobre essas aplicações e agências?

Nunca usei agência e não gosto dos aplicativos.

Acha que com essas ferramentas é possível que um relacionamento duradouro aconteça ou a maioria das pessoas buscam apenas encontros casuais e diversão?

Acho possível, porém difícil pois a maioria não é sincera ou não sabe exatamente o que está procurando.

O uso desses apps se tornou cada vez mais frequente, em especial desde o início da pandemia. Até que ponto acha isso saudável para as pessoas?

Difícil rotular como saudável ou não. É uma opção e como o mundo gira em torno da internet muita gente prefere se comunicar on-line.


Carlos Nery – Bancário, 31 anos

Você já usou ou costuma usar aplicações ou agências de relacionamento amoroso?

Sim, acho uma boa alternativa. Comecei a me aventurar nesse mundo em especial na pandemia quando os encontros presencias foram restritos.

Qual é a sua opinião sobre essas aplicações e agências?

Acho que facilitam a vida, mas também não se pode acreditar em tudo que se lê. É preciso ter “filtro” e saber que nesse ambiente e mais fácil mentir e inventar histórias do que na “vida real”.

Acha que com essas ferramentas é possível que um relacionamento duradouro aconteça ou a maioria das pessoas buscam apenas encontros casuais e diversão?

Acho que se a pessoa der sorte pode ter um relacionamento duradouro, porem a maioria procura só diversão. Tem muitos apps e preciso escolher o que combina melhor com o que a pessoa está a procura. Já conheci amigos que tiveram relacionamentos duradouros.

O uso desses apps se tornou cada vez mais frequente, em especial desde o início da pandemia. Até que ponto acha isso saudável para as pessoas?

Se for usado com moderação, como tudo na vida, não vejo problema. Existem pessoas mais tímidas, ligadas ao mundo virtual, e para elas facilita bastante. Eu ainda prefiro conhecer pessoas do modo tradicional, num bar ou festa entre amigos, mas isso se tornou mais difícil na pandemia, então gostei de ter uma opção extra.


André Moura – Chef, 34 anos

Você já usou ou costuma usar aplicações ou agências de relacionamento amoroso?

Sim, eu já usei apps algumas vezes.

Qual é a sua opinião sobre essas aplicações e agências?

Eu acredito que é bem interessante para conhecer novas pessoas, inclusive para quem é tímido ou não gosta muito de sair para bares e clubes.

Acha que com essas ferramentas é possível que um relacionamento duradouro aconteça ou a maioria das pessoas buscam apenas encontros casuais e diversão?

Acredito que é possível encontrar alguém que queira algo realmente sério e duradouro, porém não é uma tarefa fácil, pois hoje em dia muitas pessoas procuram essa ferramenta para conseguir diversão ou alguma coisa casual, sem nenhum tipo de compromisso, mas com paciência e persistência, uma hora acontece.

O uso desses apps se tornou cada vez mais frequente, em especial desde o início da pandemia. Até que ponto acha isso saudável para as pessoas?

Bom, atualmente devido a essa pandemia nos vemos restritos a fazer quase tudo, acredito que isso possa nos ajudar a nos conectar mais com as pessoas, já que esse seria por enquanto o único meio “seguro” de conhecer novas pessoas, mas é claro sempre tomando certos cuidados, pois assim como no mundo real o mundo virtual também tem seus perigos.


Patrick Smith – Musician, 23 years

Have you ever used dating apps or agencies?

Yes! I’ve used several dating apps for phones before, but I’ve never used any of the website oriented ones. Some are better than others, and some have specific niches or perks. To be honest, I think for younger millennials, it’s pretty standard to be on a dating app if you’re single at the time. Although, I think more men use the apps than women.

What is your opinion towards these agencies or apps?

I think dating apps are great, if used correctly and respectfully, they can be a great mechanism for meeting people with similar interests. I do think people need to be aware of the mental health effects of prolonged use of dating apps though. Overexposure to these apps can almost be an addiction, and often the dopamine rush of getting a match being the primary motivation for using the app at all. I think that using these apps frequently for extended periods of time overexposes the brian to a “rollercoaster” of affection and rejection, and it can be very taxing on your psyche without you even knowing it.

Additionally, I think over the years, the apps have become increasingly infested with pay-walls or in-app purchases, which is unfortunate. Ie, the app is free to use, but the apps encourage you to spend money on getting your profile visibility up, or other things to increase your profile appeal to other users.

Do you consider it’s possible to have a long-lasting relationship using these apps and agencies or do you feel most people are just looking for casual encounters and to have fun?

Yes absolutely! I know several people who are in long term relationships from apps such as Tinder, Hinge or Bumble. But I think that most people are using the app for either more casual encounters, or just with lower expectations than a long-term relationship. I definitely do think people find love on dating apps, but I think the majority of users don’t.

The use of these apps have increased a lot since the beginning of the pandemic. How healthy do you think this is for people?

I think it’s unhealthy. But dating apps almost became an essential service during the pandemic. Lockdown has necessitated that the only way to really meet new people, date or socialize was virtual/online. I think during the pandemic, the number of users went up, and the interest in long-term relationships went down. Since Covid19 the general interest of the dating app pool has shifted even more towards casual encounters or short term relationships.

 

Lizandra Ongaratto/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER