Temas de Capa

Quem somos nós?

Quem somos nós-portugal-mileniostadium
O primeiro navio com imigrantes portugueses “O Saturnia ” chegou a Halifax, a 13 de maio de 1953. Créditos: DR.

Caros leitores. Sejam bem-vindos. Um gosto e um grato prazer poder escrever para vocês. Semana após semana.

Espero-vos bem e, principalmente, com muita saúde.

O jornal Milénio tem uma equipa, liderada pelo Manuel DaCosta, que todas as semanas nos surpreende com o tema que escolhe para nos apresentar depois toda a informação que é recolhida e tratada, através de entrevistas, reportagens e artigos diversos. É que não lhes falta criatividade. Bem hajam.  Esta semana lembraram-se do seguinte tema – como é que as outras comunidades nos veem, a nós portugueses, enquanto sociedade?

Esta semana vou fazer uma introspeção tipo relatório escolar, “report card”, analisando e avaliando a nossa comunidade como sendo não lusa. Parece-vos bem?

Então bora lá.

Como comunidade radicada no Canadá é sabido que quando o primeiro navio “O Saturnia ” chegou a Halifax, a 13 de maio de 1953, curiosamente Dia de Nossa Senhora de Fátima, nele vinham 69 homens portugueses  com a alma repleta de sonhos e desejos de procurar uma vida melhor. Deixando para trás famílias e o que lhes era mais familiar para desembarcarem num país longínquo e estranho, onde se falava outro idioma que muitos até hoje ainda não dominam.  Não obstante. A “raça“ lusa tem “aventura” nos genes, no sangue.  Descendentes dos navegadores mais famosos que até hoje a história jamais conheceu. Chegavam e foram-se instalando até onde os deixavam ir. Para onde havia trabalho e necessidade de mão de obra.

Tempos difíceis sem qualquer sombra de dúvida. Homens e mulheres de louvar. Estas gentes, e muitos outros como eles e após eles, aventurarem-se mar dentro com uma “mala de cartão” tipo Linda de Souza, em busca de algo sem saberem se seria, ou não, melhor. Os anos passaram. A evolução aconteceu e gratos estamos, ou deveríamos todos nós estar, a estes guerreiros e valentes homens que “furaram” e “abriram” caminho para todos nós.  Avós, pais, tios. Homens de coragem. Sem egoísmo e muita vontade.  Com o passar das eras, mudaram-se os tempos e vão-se mudando as vontades.  Continuamos na luta. Cada um da melhor forma que sabe. Nem todos doutores, mas todos dignos. Continuando esta comunidade de quem tão bem se fala neste país.  A inovar e a construir. Sobretudo continuando a ensinar às gerações existentes e vindouras, o valor do trabalho árduo e do precipício que é a vida, embora em tempos diferentes.  O poder pertencer a um grande país como este onde vivemos, que nos deu asas para sonhar até onde queiramos. Com regras e democracia. Bem hajam todos os membros desta comunidade lusa por continuarem a erguer a nossa bandeira portuguesa e canadiana em mastros bem altos, repletos de orgulho e boa vontade.

É o que é e vale o que vale.

Nunca se esqueçam de onde vieram. Onde estão e para onde querem ir. Sempre a pensar que o respeito para com o próximo é imperativo. Ao fim ao cabo, lutamos todos os dias por um lugar ao sol.

Protejam-se e muita saúde.

Até já,

Cristina Da Costa

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER