Temas de Capa

Os riscos ocultos da “era moderna”

Os riscos ocultos-capa-mileniostadium
Cyber attack with unrecognizable hooded hacker using virtual reality, digital glitch effect. Créditos: Standret

Olá, muito bom dia,

Como estão? Espero-vos bem. Com saúde e vontade de saborear mais um fim de semana que já nos bate à porta. Como já vem sido habitual, todas as semanas o departamento criativo do jornal Milénio (e são bastante, creia), trazem até nós temas que necessitam atenção. Até porque vivemos numa sociedade que está em franco desenvolvimento sem que, por vezes, nos apercebamos. Desta feita o tema de capa debruça -se sobre algo que quase toda a população mundial utiliza e a “bandeiras despregadas “, ou seja, no seu dia a dia e cada vez mais. Multimédia, internet, canais a que estão associados e claro, poderia tudo correr bem ou não vivêssemos nós no seio de uma sociedade que quanto mais sabedoria adquire, mais “escura” se torna.

Fala-se bastante em termos técnicos sobre o streaming, e numa função integral do mundo da tecnologia que envia informações multimédia, através da transferência contínua de dados, utilizando redes de computadores, especialmente a Internet. Tem vantagens? Claro! Até certo ponto, toda a tecnologia as tem e, neste caso, a principal vantagem dos serviços de streaming é permitir uma maior velocidade no envio dos dados, que são armazenados de forma temporária nos dispositivos, não ocupando espaço em disco. Um dos maiores exemplos e com mais sucesso de streaming é a plataforma da Netflix, líder mundial no mercado que utiliza essa tecnologia para transmitir conteúdos em vídeo (filmes e séries).Pronto, este ponto ficou mais ou menos esclarecido. Vamos passar também a perceber o mundo escuro da net. A tal “dark web” por onde passam situações que desconhecemos. A maldade da tecnologia. O mundo dos hackers e a podridão da net.

A Dark Web é o coletivo oculto de sites da Internet que só podem ser acessados com um navegador de Internet especializado. Este é, consequentemente, utilizado para manter atividades anónimas e privadas na Internet, algo que pode ser útil em contextos legais e ilegais. Embora algumas pessoas a utilizem para evitar a censura do governo, contudo há quem a use para atividades altamente ilegais. Com o avançar dos tempos e da tecnologia, a Internet possui milhões de páginas da Web, bancos de dados e servidores que funcionam 24 horas por dia. Mas a Internet chamada de “visível” (também chamada de Web da superfície ou aberta) que são sites encontrados em mecanismos de pesquisa como Google e Yahoo, sendo estes apenas a ponta do iceberg.São inúmeros os termos que circundam a Web invisível, mas vale a pena conhecer as diferenças entre eles, caso você queira ir além do lugar-comum. Fique também a perceber melhor e caso esteja interessado em saber como poderá acessar à Dark Web.

Contudo, e se for uma pessoa sem maldade, nem experiência neste campo, que é o meu caso, decerto que poderá questionar se é ilegal ou não acessar a Dark Web. A resposta é não. Ilegal pode ser o que é feito quando se lá está, mas isso depende de si e de cada um de nós. Está a esta altura o leitor a dizer – “ok Cristina diz-nos então como se entra no mundo da Dark Web?”.O método mais popular é usar o navegador anónimo Tor. Esse navegador pode ser baixado como o Chrome ou o Firefox ou qualquer outro navegador de sua escolha, mas funciona um pouco diferente. TOR que significa “The Onion Router (O roteador cebola)” que se refere à maneira como ele funciona. A atividade de Internet via Tor deve percorrer diferentes redes de sobreposições ou camadas (como uma cebola), e cada uma delas ajuda a criptografar o tráfego do seu computador. Devido a essas camadas extras de segurança, o Tor funciona mais devagar do que os navegadores comuns. Muitos usuários do Tor também recomendam o uso simultâneo de uma VPN para obter a máxima privacidade.

O porquê da utilização da Dark Web

Se você já ouviu falar da dark web, provavelmente foi sobre as transações ilícitas. No entanto, a dark web é, simplesmente, um lugar de extrema privacidade online. Algo que você pode fazer na dark web é comprar drogas ilegais por correspondência. Outra coisa que você pode fazer é ler o New York Times ou navegar no Facebook, ambos com versões onion da dark web (embora ainda lhe seja solicitado que se inscreva ou faça login). O que você realmente faz na Dark Web depende das suas necessidades pessoais.

Mesmo! É o que é e vale sempre o que vale. Com cautela. Navegue à vontade, mas com boas intenções, porque por vezes nestes cenários ilícitos, por muita privacidade que possam oferecer, há sempre alguém, que também disto entenda, e lhe pode dar um lado menos “azul”.

Fiquem bem, desfrutem do merecido descanso e, se Deus quiser e os homens deixarem, na próxima sexta-feira, dia 26, temos encontro marcado em mais um Roundtable.

Até já, cuidem-se,

Cristina

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER