Temas de CapaBlog

North york

North york-canada-mileniostadium
Design by Stella Jurgen

Uma “cidade” dentro de outra com uma população diversa, com mais de 800 mil habitantes, e características distintas. Assim é North York, uma região que passou a integrar a cidade de Toronto há pouco mais de duas décadas e que antes era um município com autarquia própria. Dentro dessa vasta área territorial, cortada por avenidas e rodovias, há lugar para tudo um pouco. A pobreza e a riqueza dividem espaço entre os conjuntos habitacionais populares e mansões multimilionárias. O cruzamento entre a Jane St. e a Finch Av. tem destaque constante nos noticiários locais pelo alto índice de criminalidade e tiroteios entre gangues. Durante a pandemia de Covid-19 o bairro esteve entre os hot spots de Toronto, e uma clínica de vacinação em massa foi montada aqui. Com o afrouxamento das regras de confinamento e a reabertura da economia, as ruas e rodovias que compõe North York começam a retomar a movimentação normal, com as lojas e restaurantes reabrindo, e o ir e vir de carros e caminhões pesados a encher as vias. Nessa semana percorremos algumas ruas e pontos da região e tentamos ilustrar através de algumas fotos, além de conversas com moradores e trabalhadores locais, a realidade da comunidade que aos poucos está voltando a vida normal.

North york-canada-mileniostadium
Credito: Lizandra Ongarato

Arena desportiva vira clínica de vacinação

A clínica de vacinação em massa contra a Covid-19 foi montada pelo Humber River Hospital na Downsview Arena, em North York. Dentro do ginásio, o que era a pista de patinação no gelo, agora serve de “arena” para a performance de médicos, enfermeiros e auxiliares que todos os dias imunizam centenas de pessoas. “Agora a movimentação está mais tranquila, acho que a maioria já foi vacinada. Há alguns meses a situação era outra: as filas eram longas e algumas vezes os ânimos ficaram exaltados”. Esse foi o relato de Kadir Dereli, de 22 anos, um dos funcionários da equipe de segurança do local.

 

 

North york-canada-mileniostadium
Credito: Lizandra Ongarato

O jovem monitora a fila e confere a documentação dos que aguardam a imunização. Há três meses ocupando esse posto, ele relata que vivenciou apenas uma situação problemática, quando uma mulher, que não era elegível, ficou furiosa ao receber a informação de que não seria vacinada. “Ela gritou, xingou, chegou a dar um pontapé na porta…demonstrou bem o descontentamento, mas não agrediu fisicamente nem partiu para cima de nenhum de nós. Acho que extravasou a emoção e foi embora”. Ainda ele conta que essa foi uma exceção e que o ambiente de trabalho costuma ser tranquilo.

 

North york-canada-mileniostadium
Crédito: Lizandra Ongarato

O trabalho não pode parar…

O setor da construção, ao contrário de muitos outros, permaneceu ativo durante a pandemia, em especial as obras consideradas essenciais como aquelas em edifícios, moradias e a de reparação de vias públicas. Os altos andaimes nos prédios comerciais e as placas de fechamento de trechos de rua indicam que nessa área a demanda e o trabalho não pararam.

North york-canada-mileniostadium
Crédito: Lizandra Ongarato

“Hora de tentar recuperar o prejuízo dos últimos meses”

Era início da noite, por volta de 18h de uma segunda-feira, e a movimentação era intensa na esplanada do Peter G’s Bar and Grill, restaurante localizado na Wilson Avenue. A gerente do bar, Samantha Greco, servia as bebidas, naquela tarde quente os copos de cerveja estavam entre os mais pedidos pelos clientes, e ajudava a anotar os pedidos de jantar e diz: “Desculpa. Não terei muito tempo para conversar, essa é nossa hora mais movimentada, aliás, desde que reabrimos está sendo assim, não paramos. Desde clientes antigos até novas caras, o movimento é constante. Ainda bem, afinal é preciso recuperar todo esse tempo perdido em que estivemos fechados”.

 

 

North york-canada-mileniostadium
Crédito: Lizandra Ongarato

O local foi um dos tantos restaurantes de Toronto e da região afetados pelas restrições de funcionamento impostas pelas autoridades. “Estar de volta é bom”, complementa Samantha.  Em outro ponto da cidade quem também está feliz em retornar é Younah Yoseph. Há 24 anos ele e o irmão mantêm um ponto de venda de cachorro-quente no cruzamento das Sheppard com Yonge. Mas por ali, uma área cercada por altos prédios comerciais e centros de negócios, o movimento não está tão intenso como antes da pandemia: “Muitas pessoas a trabalhar de casa, alguns serviços públicos não voltaram a 100%, portanto minhas vendas não estão tão boas como já foram”, conta ele.

North york-canada-mileniostadium
Credito: Lizandra Ongarato

Ofertas de empregos começam a reaperecer

Pelos canteiros de rua e coladas em postes de avenidas de North York lá estão elas. As placas com ofertas das mais variadas ocupações estão espalhadas por diversos pontos da região.  Algumas, na tentativa de atrair um maior número de interessados, divulgam o valor que o trabalhador ganhará por hora. As vagas oferecidas são em padarias, limpeza e no setor da construção.  Um primeiro sinal de que aos poucos a economia vai retomando seu caminho e os empregos perdidos ou que desapareceram durante a pandemia começam a ressurgir.

North york-canada-mileniostadium
Credito: Lizandra Ongarato

Closed for good

Nem todos os comércios resistiram a tantos meses seguidos de fechamento ou de restrições. Assim como em várias outras áreas de Toronto basta dar uma volta pela região norte para se deparar com as portas de diferentes lojas permanentemente fechadas. Reflexo da pandemia que castigou o setor do comércio como um todo na província.

North york-canada-mileniostadium
Crédito: Lizandra Ongarato

Reabertura da economia gera maior movimentação no trânsito

Com o retorno de muitas atividades presenciais o movimento de carros, nas ruas, avenidas e rodovias de North York, com destaque para a Highway 401, retorna a normalidade e durante as horas do rush pontos de lentidão e congestionamento são normais e cada vez mais frequentes.

North york-canada-mileniostadium
Credito: Lizandra Ongarato

Há esperança e agradecimento pelas ruas da cidade

O reconhecimento aos profissionais de saúde e trabalhadores essenciais estão espalhados em placas de agradecimento que se tornaram comuns na cidade. Uma singela forma de agradecer o trabalho incansável dessas pessoas. Pequenos gestos de esperança encontrados em uma comunidade que busca, e espera, poder voltar à vida normal o mais rápido possível.

Lizandra Ongaratto/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER