Temas de CapaBlog

“Nenhuma pessoa não vacinada deve estar numa sala de aula ou num ambiente de cuidados de saúde”

Marit Stiles, MPP Davenport eleita pelo NDP

Depois da província de Ontário exigir que os trabalhadores da área da Saúde e da Educação apresentem prova de vacinação, a Porter Airlines, a Câmara Municipal de Toronto e o TTC anunciaram esta semana que vão seguir a mesma política com os seus trabalhadores. O tema da vacinação COVID-19 tem marcado a campanha eleitoral, mas depois de Otava confirmar que os funcionários federais afetos à área dos Transportes vão ter de provar que têm a vacina, parece que cada vez mais empresas estão a seguir o mesmo caminho.

Nenhuma pessoa não vacinada-canada-mileniostadium
Marit Stiles, MPP Davenport eleita pelo NDP. Credito: DR.

O Milénio Stadium ouviu esta semana a opinião da MPP eleita em Davenport pelo NDP. Marit Stiles lamenta que a “ausência de liderança” tenha obrigado as empresas a criar as suas próprias políticas de vacinação e que isso tenha criado problemas. Stiles diz que o passaporte nacional de COVID-19 já deveria ter sido lançado e sublinha que “nenhuma pessoa não vacinada deve estar numa sala de aula ou num ambiente de cuidados de saúde”.

Sobre as eleições federais antecipadas de 20 de setembro, a MPP de Davenport acusa Justin Trudeau de colocar os seus próprios interesses em primeiro lugar e espera que a quarta vaga não afaste os canadianos das urnas.

Milénio Stadium: O ministro da Imigração Marco Mendicino diz que os canadianos totalmente vacinados vão ter em breve um documento que vai comprovar o seu historial de vacinas COVID-19 para viagens internacionais. Entretanto, o Quebec confirmou também que a província vai ter um passaporte doméstico de vacinação para evitar novos confinamentos. Concorda com um passaporte de vacina COVID-19 em Ontário?

Marit Stiles: A nível provincial, o NDP tem pressionado o Governo de Ford de forma consistente para alguma forma de certificado de vacinação, tal como foi recomendado pela Mesa Consultiva Científica da província. Na ausência de liderança da província, tem sido deixado às empresas e organizações individuais o desenvolvimento das suas próprias políticas nesta matéria, e isso está a conduzir a problemas. Com o risco da variante Delta, precisamos de uma forma de as pessoas determinarem o risco para si próprias, para os seus empregados e outros patronos.

A nível federal, sei que muitos na comunidade portuguesa têm estado ansiosos por notícias sobre como será um passaporte de vacinas e como terá impacto nos planos de ver a família e amigos no estrangeiro. O governo federal disse que estes passaportes não estarão disponíveis durante muitos meses e isso preocupa-me.

MS: As vacinas são agora obrigatórias para os trabalhadores federais. Acredita que deveriam ser obrigatórias para outros trabalhadores, como, por exemplo, os trabalhadores do setor da Saúde e da Educação?

MStiles: Temos de proteger os mais vulneráveis em Ontário – incluindo crianças que ainda não podem ser vacinadas, idosos, pessoas doentes e pessoas com deficiência. O nosso foco é a proteção da saúde das pessoas e é por isso que pedimos vacinas obrigatórias para aqueles que trabalham nos cuidados de saúde e na Educação. Nenhuma pessoa não vacinada deve estar numa sala de aula ou num ambiente de cuidados de saúde. Os casos da COVID-19 estão novamente a aumentar e a variante Delta é uma preocupação muito real.

MS: O Canadá é agora o líder mundial na vacinação COVID-19. Será que os canadianos vão precisar de um reforço da vacinação ou deverá ser apenas para alguns grupos específicos, tais como os idosos?

MStiles: Como sempre, o governo deveria estar a ouvir a ciência e a analisar as provas de outras jurisdições. É evidente que as vacinas COVID-19 são tremendamente eficazes, mas Ontário já confirmou esta semana que vai começar a oferecer vacinas de reforço a algumas das pessoas mais vulneráveis. As pessoas têm feito a sua parte para se vacinarem e o governo deve ser claro sobre quem precisa de um reforço e como o conseguirá.

MS: Esta é a melhor altura para enviar os canadianos às urnas? Ainda estamos numa pandemia, e os números da quarta vaga estão a aumentar a cada dia.

MStiles: Fiquei surpreendida ao ver Justin Trudeau convocar uma eleição antecipada, dado que só passaram dois anos e ele teve o apoio do NDP para aprovar legislação urgente. Frequentemente parece que Trudeau e os Liberais estão a escolher colocar os seus próprios interesses em primeiro lugar – estou contente por ver Jagmeet Singh e o NDP a concentrarem-se em fazer as coisas pelas pessoas. Espero que a escalada da pandemia não impeça as pessoas de participarem nas eleições e de expressarem a sua opinião.

MS: Na primeira semana, a campanha política tem sido dominada pelas vacinas COVID-19. Nos EUA, as vacinas e a politização científica não funcionaram bem. Acha que pode acontecer o mesmo no Canadá com as pessoas que ainda não foram vacinadas?

MStiles: Temos visto muita desinformação por aí durante esta pandemia, mas apesar disso, os canadianos arregaçaram as mangas em grande número e fizeram a coisa certa para se protegerem a si próprios e aos outros. Penso que todas as partes concordam que a vacinação é o nosso caminho para regressar a uma vida mais normal, pelo que não espero que se torne tão polarizada como o debate nos EUA.

MS: Nas últimas eleições federais, o NDP ganhou 24 lugares no parlamento. Quais são as principais razões para votar no NDP a 20 de setembro?

MStiles: Penso que o NDP federal tem conseguido fazer muito pelos canadianos neste parlamento minoritário. Desde assegurar benefícios de emergência ao apoio aos trabalhadores e pequenas empresas – estas melhorias foram feitas graças à pressão do NDP no sentido de melhorar. Toronto tem tido apenas deputados liberais representando-nos durante seis anos e penso que muitas pessoas o tomam por garantido.

Estou extremamente orgulhosa pela minha amiga Alejandra Bravo ter dado um passo em frente para representar a nossa comunidade aqui em Davenport. Ela é uma organizadora comunitária multilingue que compreende as lutas que estamos a enfrentar. Com Jagmeet Singh, ela está a pressionar para garantir que os mais ricos pagam a sua justa parte, para que possamos investir nas coisas que mais importam: cuidados infantis, cuidados de saúde e construir mais habitação.

Toronto precisa de uma representação mais forte em Otava e de pessoas que levem a nossa voz à Câmara dos Comuns em vez do contrário.

Joana Leal/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER