Temas de CapaBlog

Mercado pet resiste à crise pandêmica e segue em alta no país

Grande parte das famílias canadianas tem como integrante um animal doméstico e os números provam isso.  Diferentes estudos mostram que mais de metade da população tem em casa pelo menos um pet. Um levantamento de 2021 da Abacus Data apontou que eles estão presentes em pelo menos 56% dos lares do país. Outra pesquisa de 2020 da Pet Population Survey conduzida pelo The Canadian Animal Health Institute apurou que esse índice é ainda mais alto: 58%. De 2018 a 2020, a população de cachorros continuou a crescer, passando de 7,6 milhões para 7,7 milhões, enquanto a de gatos se estabilizou. No entanto, os felinos continuam presentes em mais casas do que os cães, com 8,1 milhões. A pandemia fez com que mais pessoas, cerca de 18% segundo o site Statista, decidissem por incorporar um pet à família, uma convivência que especialistas relatam ser positiva para a saúde mental e física dos donos. 

E com uma demanda desse tamanho o mercado de serviços relacionados aos cuidados com animais de estimação, avaliado no Canadá em $7 bilhões, continua crescendo e faturando alto. A província de Ontário tem o maior número de estabelecimentos nesse setor – 758 em 2020. Sejam grandes redes de lojas, clínicas, hotéis ou pessoas que oferecem serviços para passear ou cuidar. E quem tem um animalzinho em casa sabe da responsabilidade e dos gastos que isso implica. 

Mercado pet resiste-capa-mileniostadium
Talis Fonseca, proprietário do Booboo Pet Grooming Services. Créditos: DR.

Um desses lugares voltados ao atendimento e bem-estar dos amigos patudos é o Booboo Pet Grooming Services, localizado em Etobicoke, Toronto. O proprietário é o brasileiro Talis Fonseca, de 33 anos, que está à frente do negócio há sete. Ele, que também é tosador, conta que a procura pelo serviço é elevada e que muitos clientes deixam horários reservados durante todo o ano, já que conseguir uma brecha na agenda nem sempre é fácil. O empresário diz que ao contrário de muitos colegas que mantem negócios em outros remos o dele não sofreu com impactos negativos relacionados à pandemia, a demanda inclusive, aumentou. “Não posso reclamar. Mesmo durante o auge da pandemia nós continuamos com uma procura muito grande e com novos clientes, inclusive alguns que adquiriram animais de estimação durante essa época pandêmica”.

A loja oferece serviços como tosa, banho, limpeza dental, spa treatment, entre outros mimos para cuidar da saúde e da estética de cães e gatos. Entre os serviços mais requisitados, banho e tosa, os preços variam de acordo com o tamanho dos animais e para os cachorros pode ser de $85 a $150 e para gatos preço único de $120. E a agenda está sempre cheia: “Minha clientela é muito fiel e as pessoas valorizam nosso trabalho porque sabem que requer cuidado e tempo, então fazem questão de pagar para que um profissional qualificado tose e dê banho nos seus pets”. Nas redes sociais da loja, Talis exibe algumas fotos de tosas mais inusitadas e pedidos específicos feito por clientes, como colorir os pêlos de cores diferentes ou algo assim, mas diz que a maioria opta por um serviço mais básico já que dessa forma fica mais fácil a conservação. 

E quem tem animais de estimação sabe do trabalho e dos gastos envolvidos em manter um amigo peludo. Uma estimativa do site Statista mostra que o custo anual pode ser em média de $3.724. Um valor alto, mas que muitos não se importam em pagar para receber de volta um companheirismo, amizade e lealdade sem igual. “Esse setor é muito rentável e sabendo trabalhar e possível ser bem-sucedido. Além de gostarem de animais, as pessoas sabem a importância de cuidar deles e que alguns cuidados básicos são necessários, como tosa e banho, por exemplo”, diz Talis.

Mercado pet resiste-capa-mileniostadium
Sara Galodne-Weizmann, dog-sitter. Créditos: DR.

No caso da aposentada Sara Galodne-Weizmann, de 64 anos, foi o amor aos animais, e a oportunidade, que a levou a atuar nessa área de cuidados com pets. Ela é mãe de uma filha de quatro patas, como costuma dizer, chamada Lua, que tem 11 anos e é da raça Shitzu. Para amigos e conhecidos, já há alguns anos, ela oferece o serviço de cuidar e hospedar os cachorros quando os donos viajam ou precisam, uma espécie de dog-sitter. O valor que cobra pela diária varia de $40 a $50. “Para mim não é sobre o dinheiro. É porque eu amo animais e gosto que minha cachorrinha tenha companhia. Tenho bastante espaço na minha casa além disso saio para passear com os cães. Preciso mantê-los sadios e fazer com que gastem energia. É uma responsabilidade muito grande”. Um trabalho que requer cuidados e paciência de ensinar. Sara já perdeu as contas de quantas vezes por dia precisa limpar xixi de cachorro na casa: “Aqueles que não são adestrados, que são filhotes, costumam dar mais trabalho.  Isso faz parte”, relata. 

Como “mãe” de pet ela sabe que os cuidados com animais exigem uma significativa quantia mensal. Calcula que em média gaste de $500 a $600 com Lua, já que precisa de serviço de tosa, ração hipoalérgica, cookies e demais serviços de saúde.  “Manter um animalzinho tem um custo, mas acho que no meu caso nada paga o amor e companhia de minha cadelinha. É um compromisso para a vida, criar e manter um pet.”

Uma responsabilidade financeira e emocional que muitas famílias optam em ter, alimenta um mercado em crescimento, a previsão é de que até 2025 ainda cresça 4,3% no país que assim faz a alegria de empresários do setor e dos donos, que têm como retorno aquilo que dizem ser  a amizade mais pura e verdadeira de todas. 

Lizandra Ongaratto/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER