Temas de Capa

Inteligência Artificial com ADN português

ROSS intelligence tem escritório em Silicon Valley

Andrew Arruda é luso-canadiano e desenvolve Inteligência Artificial aplicada à área do direito. A ROSS Inteligence nasceu na Universidade de Toronto em 2014 e desde aí que já tem dois escritórios, um em Silicon Valley, nos EUA e outro em Toronto, no Canadá.

Esta semana o Milénio Stadium traz-lhe uma entrevista com Arruda, o CEO e co-fundador da ROSS Inteligence, que tem como clientes algumas das maiores empresas de advocacia dos EUA.

Milénio Stadium: O que é que faz no seu escritório em Silicon Valley?
Andrew Arruda: Atualmente divido o meu tempo entre o escritório de Silicon Valley e o escritório de Toronto. Depois viajo em trabalho para vários países à volta do mundo. No nosso escritório de Silicon Valley normalmente estou envolvido em vendas, marketing e em programas de apoio ao cliente. No escritório de Toronto estou mais focado em engenharia e em criação de produtos.

MS: No futuro a IA vai mudar completamente a forma de trabalhar de um advogado.
AA: Para te dizer a verdade nós já usamos IA todos os dias sem pensarmos nisso. Se já falaste com o teu smartphone ou a tua Amazon Alexa isso é IA. Se leres notícias sobre o ultimo jogo de hóquei de ontem à noite algumas delas foram escritas com recurso a IA. Eu acredito que num futuro próximo vamos começar a ver a IA a mudar mais o nosso dia-a-dia do que propriamente algumas das tarefas dos advogados. Acho que a maioria delas se vai manter.

MS: Quem é que está a comprar os produtos da ROSS Inteligence?
AA: Advogados dos EUA e alguns do Canadá que precisam de entender a lei americana. Alguns dos nossos clientes são as maiores empresas de advocacia do mundo, mas a maioria dos clientes é de pequena dimensão. Sempre desejámos criar software que fosse acessível e usado por qualquer advogado. A maior empresa de advocacia do mundo também está a investir na minha empresa.

MS: Recentemente, Donald Trump, presidente dos EUA, anunciou mais investimento em IA, mas a China já investe há muito mais tempo nesta área.
AA: Embora os EUA tenham empresas muito avançadas nesta área, até agora o governo americano não avançou com o tipo de financiamento direto que vemos na China, na Europa e também no Canadá. A nível internacional o Trump tem sido visto como um investidor lento em AI.

MS: A vossa sede é nos EUA. Consideraram a hipótese de ficar apenas em Toronto?
AA: A maioria da nossa engenharia acontece no escritório de Toronto. Há alguns aspetos que Silicon Valley oferece que serão sempre ótimos, por exemplo ao nível de grandes talentos. Por isso vamos sempre ter escritórios em Silicon Valley e em Toronto. Temos orgulho na nossa grande presença no Canadá e quando abrimos o escritório de Toronto o presidente da Câmara Municipal e o presidente da Universidade de Toronto estiveram presentes e cortaram a fita.

MS: Quando investimos em IA estamos a poupar dinheiro?
AA: É como qualquer outro investimento, depende sempre se fizeste a tua pesquisa e se estás a investir de forma inteligente. Existem algumas empresas de IA absolutamente incríveis que estão a chegar agora ao mercado. Mas existem outras que dizem ser de IA e que são apenas uma fachada, por isso temos de ter cuidado, muito cuidado quando investimos o nosso dinheiro.

MS: Podes avançar-nos alguns números sobre a ROSS Inteligence, ao nível da equipa e dos clientes?
AA: A nossa equipa tem atualmente 40 pessoas e vamos recrutar nos próximos meses para algumas posições. A nível de clientes, temos muitas das grandes empresas de advocacia dos EUA, assim como dúzias e dúzias de empresas pequenas – este número agora está a aumentar constantemente porque fizemos com que fosse possível para qualquer empresa inscrever-se na nossa página e testar gratuitamente um produto.

MS: Já têm planos para expandir a empresa?
AA: Sim, mas provavelmente não será agora. Primeiro queremos que o software da ROSS inclua a lei canadiana – assim que o objetivo for conseguido vamos começar a planear o próximo passo.

MS: Alguns críticos garantem que a IA vai acabar com a nossa espécie. Concordas ou tens uma opinião completamente diferente?
AA: Discordo completamente. Todas as gerações anteriores à nossa viveram mudanças tecnológicas – a tipografia, o barco à vela ou a calculadora. Estamos a aumentar constantemente a nossa produtividade com a tecnologia, a IA é só o próximo exemplo disso, e como já mencionei, de facto, já é algo que usamos no dia-a-dia.

Joana Leal

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER