Temas de Capa

Fora de Jogo

soccer-player-in-action-on-the-soccer-stadium-2021-09-02-05-09-33-utc

 

Às segundas-feiras, na Camões TV e Camões Rádio, para além da nossa página de Facebook, Francisco Pegado conduz o Fora de Jogo, um programa de debate/conversa com três figuras da comunidade luso-canadiana que têm, pelo menos, um ponto comum – são apaixonados por futebol. E se nesses debates os pontos de vista divergem, muito influenciados pelas cores que defendem (Porto, Benfica e Sporting), quando se trata de falar de seleção nacional, haverá diferentes olhares sobre o mesmo assunto, mas sempre com o amor à camisola, que é de nós todos, acima de tudo. Estou a falar de Carmo Monteiro, Vítor Silva e Sérgio Ruivo.

Nesta edição dedicada ao Mundial de Futebol que vai arrancar no Qatar, pareceu-nos fundamental ouvir a opinião dos nossos comentadores residentes, sobre este evento, a polémica que o envolve e o que nos devia interessar mais, sempre – o desempenho das equipas do coração, Portugal e Canadá. É isso que vos apresento aqui. No entanto, chamo desde já a atenção para a entrevista feita pela Lizandra Ongaratto ao Sérgio Ruivo, que tem um cariz ligeiramente diferente uma vez que o Sérgio vai ver os jogos in loco.
No fim das contas, todos desejamos que vença o melhor e que o melhor seja Portugal!

 

milenio stadium - fore da jogo - carmo monteiro and viror silva

 

Milénio Stadium: Que expectativas tem relativamente ao desempenho da seleção portuguesa nesta fase de grupos?
Carmo Monteiro: Espero uma excelente prestação. Apesar de não concordar com a chamada de alguns jogadores, considero que na maioria temos um coletivo de muito talento e jovens com “fome” para mostrá-lo nas quatro linhas.
Vítor Silva: Antes de uma competição com esta ordem de grandeza, a começar todos têm legítimas expectativas. Mas a seleção nacional portuguesa tem todas as condições de passar a fase de grupos.

MS: E relativamente à seleção canadiana? Que hipóteses tem de passar esta fase?
CM: Honestamente, não conheço bem a equipa nem a maioria dos jogadores… portanto, não me vou pronunciar.
VS: São realidades completamente diferentes, claro que é possível passar, mas sinceramente não acredito que vá acontecer, face à inexperiência que esta seleção tem.

MS: Houve alguma contestação relativamente aos convocados de Fernando Santos para este Qatar 2022. Mesmo sabendo que estas escolhas nunca são unânimes, o que pensa do conjunto de jogadores que o selecionador escolheu?
CM: Como disse no início, penso que o coletivo tem muito talento, diria mesmo “topo de gama”. Apesar de termos dois jogadores com mais de 35 anos, a idade média da equipa é de aproximadamente 27 anos… acho que nunca tivemos uma seleção A tão jovem a competir num Mundial! Acresce que, dos 26 jogadores, 19 jogam nas melhores ligas europeias, ou seja, eles vão contribuir com experiência e competitividade.
VS: Portugal neste momento tem felizmente muitos e bons jogadores, claro que a tarefa do selecionador não é fácil. Compreendo todos os jogadores que Fernando Santos chamou, não entendo a ausência de Renato Sanches. Mas com os que chamou pode fazer uma equipa para disputar cada jogo com o pensamento na vitória. Deixo aqui o meu onze baseado nos 26 eleitos. Diogo Costa, João Cancelo, Rúben Dias, António Silva, Nuno Mendes. Palhinha, Vitinha, João Mário, Bernardo Silva, João Felix, Rafael Leão. (Espero que Fernando Santos leia o Milénio)

MS: Acha que Portugal tem alguma possibilidade realista de vencer este Campeonato do Mundo?
CM: Claro que acho… sempre! Se como portuguesa não acreditar, quem vai acreditar?!
VS: Sinceramente tem, mas não vamos jogar sozinhos e precisamos que Fernando Santos seja mais treinador e menos engenheiro.

MS: É a primeira vez que a seleção canadiana está num Campeonato do Mundo. Na sua opinião, o que se pode esperar desta equipa? Até onde poderá ir?
CM: Olhando para os adversários do Grupo F, acho que pode ter alguma dificuldade em passar a fase de grupos.
VS: A seleção canadiana tem um conjunto de bons jogadores, encabeçada por Alphonso Davies, muitos a jogar em alto nível na Europa, concretamente dois deles, Eustáquio e Steven Vitória a jogar em Portugal. A desfavor, como disse anteriormente, tem a falta de experiência numa competição deste gabarito.

MS: Que opinião tem sobre a escolha do Qatar como país anfitrião de um evento desta dimensão mundial?
CM: Acho que foi errada, por muitas e variadas razões. Mas basta uma razão, bem conhecida mundialmente… é um país que não respeita os Direitos Humanos. O Mundial de Futebol é suposto unir nações… nações livres e tolerantes. Como se pode celebrar futebol com todas as liberdades num país como o Qatar?!
VS: Tenho uma opinião negativa, onde não se teve em conta o que mais interessa no futebol que é o jogo dentro das quatro linhas, mas sim interesses financeiros. Lamentável.

MS: Por que razão, na sua opinião, durante estes anos, entre o anúncio da escolha do Qatar, (que de facto gerou muita polémica e fez correr muita tinta, na altura) e agora que o campeonato está prestes a começar, o mundo quase esqueceu que o campeonato iria acontecer num país que tem pouco ou nenhum respeito pelos direitos humanos e tem posições assumidamente homofóbicas?
CM: Na minha opinião, esquecer, ninguém esqueceu…, mas o Qatar já pagou à FIFA milhares de milhões de dólares e os adeptos nada puderam ou podem fazer quanto isso. Podem boicotar, na medida que não vão ao Qatar? Podem! Também podem não ligar a TV ou rádio…, mas isso vai impedir a realização do Mundial? Obviamente que não. Todavia, depois das últimas notícias de como a escolha foi feita, o boicote deveria vir das seleções, contudo isso não vai acontecer, porque infelizmente o futebol é um negócio muito rentável.
VS: Como disse anteriormente, A FIFA mostrou mais uma vez que o futebol pouco conta para a maneira como os seus dirigentes olham para a indústria do futebol. Sinceramente pode haver bons jogos, mas quanto ao ambiente fora dos estádios tenho algumas dúvidas que corra bem. Aliás, daqui a uns anos ninguém se vai lembrar de nenhum jogo concretamente, mas sim de um Campeonato do Mundo que foi realizado fora de tempo, e onde o respeito pelas pessoas não é nenhum. Espero que nunca mais volte acontecer.

MS: Deixe-nos o seu prognóstico – quem vai vencer este Campeonato?
CM: Como alguém uma vez disse “prognósticos, só no fim do jogo”…, mas acredito que Portugal vai ser campeão!
VS: Pelo coração Portugal. Pela razão Bélgica.

Madalena Balça/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER