Temas de Capa

Canadá a crescer: Como vai o país acolher tanta gente?

young-multiracial-friends-having-fun-together-hang-2022-04-06-18-07-04-utc

 

A população está a crescer de uma forma muito mais rápida do que a Statistics Canada previa há apenas três anos. A marca dos 40 milhões de habitantes já foi ultrapassada e a julgar pelo ritmo de crescimento só dos últimos meses a tendência será para se continuar a verificar uma progressão acentuada no total de população residente no Canadá.

A questão que se coloca agora é: como vai o país acolher tanta gente? São vários os especialistas que defendem que é tempo de os decisores políticos arranjarem soluções para a falta de habitação a preços aceitáveis, e melhorar todo o conjunto de infraestruturas essenciais para alguém viver em grandes centros urbanos, onde como sabemos se concentra o maior número de recém-chegados. É por isso necessário abrir caminho a mais projetos de habitação e de infraestruturas para acomodar uma população nacional em rápido crescimento, que deverá aumentar em cerca de 10 milhões de pessoas até 2043.

Em fevereiro, o Governo do primeiro-ministro Justin Trudeau anunciou planos para aumentar os níveis de imigração “para ajudar a economia canadiana a recuperar e para alimentar o crescimento pós-pandémico”, na sequência de uma queda acentuada do número de recém-chegados ao Canadá em 2020. A imigração recuperou em 2021, e em 2022, o Canadá acolheu 437 180 imigrantes e o número de residentes não permanentes aumentou em 607 782 pessoas. Ambos os números são os mais elevados de que há registo e refletem o cumprimento dos objetivos de imigração mais elevados, com o registo de um ano recorde para o processamento de pedidos de imigração.

Ao abrigo do plano trienal anunciado, o Governo de Trudeau pretende continuar a aumentar os objetivos anuais em matéria de imigração, com o objetivo de conceder residência permanente a 465 000 pessoas em 2023 e aumentar esse objetivo para 500 000 pessoas até 2025.

O plano coloca a tónica no aumento do número de imigrantes que serão admitidos com base nas suas competências ou experiência profissional nos próximos três anos.

Nesta edição que dedicamos ao futuro do Canadá e respetivo crescimento populacional, sabendo que esse crescimento se está a construir graças à abertura de portas a novos imigrantes, pareceu-nos fundamental saber a opinião dos ministros, federal e provincial, responsáveis por esta tão importante área da estrutura sociopolítica do Canadá.

Sofica Lukianenko, porta-voz e assessora de comunicação e relações públicas da agência federal Immigration, Refugees and Citizenship Canada, respondeu em nome do ministro Sean Fraser e obtivémos também as respostas de Monte McNaughton, Ontario’s Minister of Labour, Immigration, Training and Skills Development.

sofica - milenio stadiumMilénio Stadium: É consensual que o Canadá precisa de mais população para melhorar a economia e principalmente ajudar determinados setores económicos, como é o caso da construção, que lutam com falta de pessoal. Quais são neste momento as prioridades do Ministério da Imigração?
Sofica Lukianenko: O 2023-2025 Immigration Levels Plan (Plano de Níveis de Imigração 2023-2025) procura encontrar um equilíbrio delicado entre as necessidades do país e as nossas obrigações internacionais. Centra-se na atração de trabalhadores qualificados que contribuam para a economia do Canadá e resolvam o problema da escassez de mão de obra, ao mesmo tempo que reconhece a importância do reagrupamento familiar, facilitando a chegada de cônjuges e parceiros de direito comum e ajudando as populações mais vulneráveis do mundo através da reinstalação de refugiados e de outras respostas humanitárias. O governo federal trabalha em estreita colaboração com parceiros provinciais e municipais no desenvolvimento do Plano, que estabelece o número de recém-chegados e residentes permanentes que o Canadá planeia acolher.

MS: No ano passado o Canadá registou um número recorde de novos habitantes, mais de 1 milhão, dos quais 437 mil imigrantes. Se se cumprir o plano do Governo Federal, esse ritmo de entrada de novos imigrantes vai continuar até 2025. Na sua opinião, o país está preparado, em termos de infraestruturas, para um aumento de população como o que se está a prever?
SL: O Immigration, Refugees and Citizenship Canada (IRCC) administra uma série de programas para residentes temporários e residentes permanentes que procuram estabelecer-se no mercado de trabalho canadiano e preencher necessidades persistentes de mão de obra. Por exemplo, em maio, o IRCC anunciou uma seleção baseada em categorias para o principal sistema canadiano de gestão da imigração económica, o Express Entry, que ajudará a acolher profissionais muito procurados em comunidades de todo o país.

MS: Como se está a articular a necessidade de melhorar as condições de acolhimento – mais casas, mais unidades de saúde, melhor rede viária… – com a necessidade de mais população ativa?
SL: Os recém-chegados desempenharão um papel crucial no futuro das comunidades e da economia do Canadá e é imperativo que estejam preparados para o sucesso. É por esta razão que o orçamento de 2022 disponibilizou 534,5 milhões de dólares para ajudar a aliviar as pressões que os municípios e os parceiros provinciais enfrentam em matéria de alojamento para recém-chegados, requerentes de asilo e refugiados. Os cuidados de saúde são da responsabilidade das províncias. Além disso, como parte da Estratégia Nacional de Habitação, a Iniciativa de Habitação Rápida (RHI) e o Fundo Nacional de Co-investimento em Habitação (NHCF) oferecem financiamento para construir, manter e reparar habitações a preços acessíveis e espaços de abrigo para estes grupos. A RHI, recentemente alargada, já criou cerca de 10 300 novas unidades de habitação a preços acessíveis em todo o país para os mais vulneráveis, incluindo os sem-abrigo e os que correm o risco de ficar sem casa. Além disso, o Orçamento 2022 forneceu US $ 4 bilhões ao longo de cinco anos, começando em 2022-23, para lançar o Fundo Acelerador de Habitação (HAF). O objetivo do HAF é reduzir as barreiras sistêmicas à oferta de habitação e fornecer incentivos aos municípios para modernizar e construir novas casas. O objetivo é criar pelo menos 100 000 novas unidades habitacionais líquidas ao longo dos cinco anos de duração do programa. Em breve, estarão disponíveis mais pormenores sobre este programa.
O Governo do Canadá também estabeleceu parcerias com as províncias e territórios através de acordos bilaterais para enfrentar os desafios da habitação e ajudar os recém-chegados quando chegam ao Canadá. O Governo está também a trabalhar na criação de flexibilidade nos programas federais de infraestruturas para incentivar as províncias, os territórios e os municípios a utilizarem os fundos de infraestruturas para aumentar a oferta de habitação, sempre que tal se justifique.
As comunidades rurais e do Norte enfrentam desafios económicos e demográficos específicos, incluindo a emigração de jovens, o envelhecimento da população e a escassez de mão de obra. Esta situação dificulta a satisfação das necessidades do mercado de trabalho, o que, por sua vez, impede o crescimento económico. Ao mesmo tempo, a maioria dos novos imigrantes instala-se nos grandes centros urbanos, onde a habitação e o custo de vida são menos acessíveis. Com isto em mente, o Governo do Canadá está a encorajar mais recém-chegados a instalarem-se em comunidades rurais mais pequenas, através dos nossos programas de imigração regional.

MS: Quais são as áreas profissionais mais necessitadas e que tipo de qualificações são mais bem acolhidas, neste momento, no Canadá?
SL: Reconhecendo o imenso valor e o potencial transformador que os profissionais da ciência, tecnologia, engenharia e matemática (STEM) trazem para o país, o sistema de Entrada Expressa do Canadá está agora adaptado para fornecer um caminho simplificado e eficiente para indivíduos com experiência nestes domínios críticos. Ao dar prioridade ao convite de recém-chegados qualificados com experiência em STEM, o Canadá pretende satisfazer a crescente procura de talentos e preencher posições-chave que contribuem para o crescimento económico e o avanço tecnológico da nação. Também foi anunciado esta semana um novo fluxo de imigração específico para os trabalhadores do setor da saúde.

MS: Que tipo de garantias o Canadá oferece atualmente a quem escolhe este país para viver e trabalhar?
SL: O Governo do Canadá continua a trabalhar com as províncias e territórios para garantir que o Canadá está bem posicionado para atrair e reter os recém-chegados, que contribuem significativamente para as nossas comunidades a nível económico, social e cultural. Isto inclui um compromisso contínuo para garantir que estamos a tornar a habitação acessível e económica, e a trabalhar com as províncias e territórios para garantir que temos os recursos e apoios certos disponíveis para os recém-chegados, de modo a garantir que eles possam ter sucesso no Canadá.

 

Monte McNaughtonMilénio Stadium: É consensual que o Canadá precisa de mais população para melhorar a economia e principalmente ajudar determinados setores económicos, como é o caso da construção, que lutam com falta de pessoal. Quais são neste momento as suas prioridades enquanto ministro desta área na província do Ontário?
Monte McNaughton: Em toda a nossa província, 300.000 postos de trabalho não são preenchidos todos os dias – em setores críticos como os cuidados de saúde, a tecnologia e as profissões especializadas – custando à nossa economia milhares de milhões em perda de produtividade. Cabe-me a mim preenchê-los.
Ao mesmo tempo, apenas 1 em cada 4 imigrantes com formação internacional está a trabalhar nas áreas para as quais estudou, o que é uma injustiça.
É por isso que o Ontário foi a primeira província do Canadá a proibir os requisitos discriminatórios de experiência profissional canadiana, para que os recém-chegados possam trabalhar nas profissões para as quais se formaram. (Recentemente, anunciámos que os Engenheiros Profissionais do Ontário foram a primeira associação a eliminar os seus requisitos, o que ajudará milhares de profissionais qualificados a concretizarem os seus sonhos nos próximos anos – tudo isto mantendo os requisitos de licenciamento e exame de classe mundial do Ontário).

MS: No ano passado o Canadá registou um número recorde de novos habitantes, mais de 1 milhão, dos quais 437 mil imigrantes. Se se cumprir o plano do Governo Federal, esse ritmo de entrada de novos imigrantes vai continuar até 2025. Na sua opinião, a província está preparada, em termos de infraestruturas, para um aumento de população como o que se está a prever?
MM: Para construir os hospitais, as escolas e as casas de que as famílias dependem, precisamos de todas as mãos no convés. O nosso governo tem um plano ambicioso para construir 1,5 milhões de casas até 2031, e vamos fazê-lo.

MS: Concretamente na província do Ontario, como se está a articular a necessidade de melhorar as condições de acolhimento com a necessidade de mais população ativa?
MM: É por isso que o meu Ministério está a investir milhões em programas de formação inovadores que ajudam os candidatos a emprego e os recém-chegados a adquirir as competências de que necessitam para encontrar bons empregos perto de casa. Desde pedreiros em Niagara a carpinteiros em Thunder Bay e eletricistas em Ottawa – se quiser trabalhar, dar-lhe-emos as ferramentas necessárias para uma vida melhor.
Também investimos $96 milhões por ano para apoiar mais de 150 organizações em toda a província que prestam serviços para ajudar os refugiados e outros recém-chegados a aprender inglês ou francês, a instalarem-se no Ontário, a terem acesso a formação e a conseguirem bons empregos.

MS: Que tipo de garantias a província do Ontário oferece atualmente a quem a escolhe para viver e trabalhar?
MM: Sob a liderança do primeiro-ministro Ford, continuamos a espalhar oportunidades por todos os cantos da nossa província e a fazer do Ontário o melhor local para viver, trabalhar e criar uma família.
Qualquer pessoa interessada em obter ajuda para encontrar um emprego ou aceder a programas de formação gratuitos deve visitar um dos nossos 700 locais do Employment Ontario.

Madalena Balça/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

 

O Facebook/Instagram bloqueou os orgão de comunicação social no Canadá.

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER