Temas de Capa

As redes que nos inspiram…

Olá como está?

Bem, espero. Com mais um mês a findar. E num ápice. Tudo a correr em grande rodopio. Cá estamos a ver mais do mesmo.

Hoje vamos tocar novamente num tema super real na atual sociedade. A influência das redes sociais na comunicação humana. Espero que goste e que fique um pouco mais informado. Já parou para pensar sobre a influência das redes sociais nas nossas vidas, especialmente na nossa comunicação? É algo em que precisamos de refletir.

As redes que nos inspiram-canada-mileniostadium
Créditos: DR.

Desde a tenra época, o ser humano conseguiu sobreviver e manter sua espécie, praticamente, depois se unir em grupos ou comunidades: no primeiro período da história da humanidade não existiam povos independentes, nem estados, a humanidade vivia em pequenos grupos, clãs ou tribos.

Os homens das cavernas, com a sua estrutura cerebral mais limitada e rudimentar conseguiam comunicar entre si através de formas mais simplificadas e menos refinadas como gestos, posturas, gritos e grunhidos.

Acredita-se que num determinado momento desse passado, esse homem primitivo desenvolveu aos poucos a estrutura de aprendizagem que o fez conseguir relacionar-se com objetos, criar utensílios que o auxiliassem na caça e proteção e, o mais importante, adquiriu a capacidade de repassar esse conhecimento para as próximas gerações através de gestos e repetição do processo, criando assim uma forma simples e primitiva de comunicar .

Uma coisa é certa e é válida para todas as épocas, seja na primitiva ou na contemporânea, é a necessidade de se relacionar e garantir contactos com os grupos.

A diferença para os dias atuais é a velocidade e a forma como isso tem acontecido, deixando a comunicação de ser demorada e limitada para ser mais rápida e fácil. Tudo isso graças ao surgimento da internet e dos media de relacionamento, fazendo com que a distância deixasse de ser um fator impeditivo.

Com a chegada da internet, a comunicação deixou de ser um elemento social importante e passou a ser algo essencial. Lendo as estatísticas, inteiramo-nos da grande quantidade de acessos por dia e podemos constatar que as redes sociais deixaram de ser apenas uma forma de manter contactos, passando a ser fonte de informação, atração de novos clientes, publicidade, oportunidade e também lazer.

Nas redes sociais cada indivíduo tem sua função e identidade cultural. A sua relação com os outros indivíduos vai formando um todo coeso que representa a rede e a criação de grupos de interesse como desporto, cultura, entretenimento, educação, etc.

Atualmente, assistimos ainda à formação de uma nova sociedade, a qual denominamos de Aldeia Global. Exercendo uma grande influência direta no comportamento social e o comportamento social também exerce influência sobre ela.

E se alguém acha que não é influenciado pelo que está nesses media engana-se. As mudanças vindas desse meio afetam diretamente o quotidiano e a forma de agir e também a de pensar das pessoas.

Uma das formas mais eficazes para não sofremos manobras e manipulações é tentar estar sempre bem informado e conhecer os factos com o nosso próprio olhar e conhecimento. E não adianta evitar, isolar, ou dizer mesmo até que não faz parte, pois a tecnologia é, hoje em dia, a forma de comunicação mais acérrima e está ligada e vinculada a todas as outras, desde serviços básicos, à educação, à forma como compramos e vários outros aspetos válidos do nosso quotidiano. Se não sabia, tal como eu até ir ler e ler mais ainda, a primeira rede social informatizada foi criada no ano de 1997, chamava-se SixDegrees, mas acabou por não alcançar sucesso financeiro.

Em 2000, novas apostas foram inseridas no mercado, mas também não obtiveram sucesso, tendo sido substituídas pelas atuais redes conhecidas por todos nós. Como o Facebook, Youtube, etc . Outro facto atual e que não deixa de ser curioso, é a percentagem de utilizadores da net em números reais.

As ferramentas de relacionamento são responsáveis por 62% do tráfego da internet. Cerca de 4 biliões de pessoas têm acesso à internet, representando 52,63% da população mundial, sendo 476 milhões de internautas provenientes da Europa e 215 milhões de internautas da América Latina. O Brasil é o número 1 em quantidade de acessos e o 4º país com maior número de usuários ativos em sites de relacionamento, ficando atrás apenas da China, Estados Unidos e Índia.

Atualmente sites como Facebook com 2,2 biliões de usuários ativos, Youtube com 1,5 bilião WhatsApp com mais de 1,3 biliões e o Instagram com 1 bilião são febres entre os diferentes tipos de usuários, segundo a agência Kurtz (2017) extraído do relatório da Conferência das Nações Unidas.

Como podem constatar, as redes sociais alteraram e, em muito, a forma como vivemos o nosso dia a dia. A forma como interpretamos e agimos. .

Tudo em moderação, porque também existe o fator Fake News. Há que estar alerta.  É o que é e vale o que vale. Cuidem-se, continuem a respeitar as guidelines das autoridades de saúde e desejo-vos muita saúde. Leiam muito e mantenham-se sempre informados.

Até já,

Cristina Da Costa/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER