Temas de Capa

Aprender a viver sem telemóveis

 

Reduzir as distrações, e ajudar a melhorar a saúde mental das crianças, eis as principais motivações para um conjunto de alterações que foram feitas no sistema de ensino do Ontário. Trata-se de reforçar as medidas já existentes para corresponder a uma necessidade de melhor o desempenho escolar e ter uma atitude proativa no travar de uma dependência cada vez mais evidente em várias gerações, com especial incidência nos mais novos. Agora o uso de telemóveis está proibido nas salas de aula, de uma forma geral. Além disso, os sítios Web das redes sociais serão removidos de todas as redes e dispositivos escolares e os boletins escolares incluirão comentários sobre os níveis de distração dos alunos nas aulas.

Um funcionário do ministério da Educação provincial partilhou com a nossa equipa, de forma mais detalhada, as medidas que foram tomadas, depois de se ter auscultado quem mais interessa, quando se trata de proteger a saúde e bom desempenho das crianças – os pais e educadores. Todos aplaudiram esta iniciativa governamental.
Todos devemos preocupar-nos com este assunto da dependência dos smartphones, que já está a atingir proporções alarmantes, se olharmos para os números que vão sendo revelados. Deixem-me sublinhar estes: no Ontário, 83% dos alunos do 7º ao 12º ano, confessaram passar mais de 3 horas em frente a um ecrã eletrónico e 35% passam 5 ou mais horas no smartphone, tablet, computador ou a jogar videogames. Se tirarmos as oito horas de sono e as horas de aulas diárias… que tempo sobra para a socialização interpessoal?
É tempo de ensinar aos mais novos que há mais vida para além da que lhes passa pelos dedos e pela mente, quando têm à sua frente um telemóvel.

O que levou o Governo Provincial a tomar novas medidas relativamente ao uso de telemóveis nas salas de aula?
O Ministro Lecce falou com pais e educadores e obteve um apoio esmagador à restrição de telemóveis nas aulas e à proibição de vapores nas escolas. Tomámos medidas para atualizar o nosso Código de Conduta Provincial nas escolas de modo a incluir estas medidas e a fornecer mais orientações aos conselhos executivos sobre a forma de salvaguardar a saúde mental e física das crianças através destas iniciativas.

Como resultado, o ministério atualizou o Código de Conduta Provincial para implementação no ano letivo de 2024-25. O Código atualizado estabelece que:

– Os alunos do 6.º ano e inferior não podem utilizar telemóveis ou outros dispositivos móveis pessoais durante o dia escolar;
– Os alunos do 7º ao 12º ano não podem utilizar telemóveis ou outros dispositivos móveis pessoais durante as aulas.

Existem três exceções a estas regras.

Um aluno só pode utilizar o seu dispositivo quando:

  • Um professor disser para o utilizar como parte da aprendizagem – por exemplo, para fazer investigação ou visitar um sítio Web específico;
  • For necessário por motivos de saúde ou médicos;
  • For necessário para satisfazer necessidades educativas especiais.

O ministério, os pais e os educadores têm sérias preocupações relacionadas com a utilização de telemóveis e outros dispositivos pessoais pelos alunos.

Da informação que têm, podemos afirmar que já há um real problema de dependência de telemóveis nos estudantes até ao grau 12?
O Ontario Student Drug Use and Health Survey (OSDUHS) de 2021, realizado com alunos do 7.º ao 12.º ano de 122 escolas em 31 conselhos escolares, revelou que mais de três quartos (83%) dos alunos passam três horas ou mais por dia em frente a um ecrã eletrónico no seu tempo livre (“tempo de ecrã recreativo”), contra 71% em 2019.
(Nota: o OSDUHS é realizado pelo Centro de Dependência e Saúde Mental (CAMH). A edição de 2023 não perguntou aos alunos sobre o uso de dispositivos de ecrã).
Vários estudos associaram o tempo de ecrã excessivo ao aumento do risco de problemas de saúde mental, como a depressão, a ansiedade, a irritabilidade, os problemas de conduta, os défices de atenção e sintomas semelhantes aos observados nas dependências de substâncias. Os estudos revelaram que o tempo de ecrã excessivo está associado a riscos para a saúde física, como perturbações do sono, redução da atividade física, excesso de peso/obesidade, cansaço e dificuldade em adormecer ou permanecer a dormir. Pode também ter um impacto negativo na vida social e no bem-estar, uma vez que tem sido associado a interações negativas com os pais e os colegas de turma.
Há também provas de que o aumento do tempo de ecrã pode afetar negativamente a cognição e os resultados académicos das crianças. Estudos demonstraram que as crianças que passam mais tempo a utilizar dispositivos de ecrã têm maior probabilidade de ter uma cognição e um funcionamento executivo, inferiores, bem como um fraco desempenho em matemática e ciências.

As escolas por si não tinham meios para enfrentar este problema? Porque foi necessária a intervenção do governo provincial?
O atual Código de Conduta Provincial, introduzido em 2019, já restringe a utilização de dispositivos móveis pessoais durante o tempo de aula, a menos que a sua utilização seja para fins educativos, de saúde/médicos ou para apoiar necessidades educativas especiais. No entanto, os parceiros do sector salientaram que essas restrições têm sido difíceis de aplicar, levando a inconsistências na forma como as regras são aplicadas em toda a província. Consequentemente, o ministério atualizou o Código de Conduta Provincial para introduzir requisitos adicionais e mecanismos de aplicação. Desta forma, as escolas e as direções escolares estarão mais aptas a gerir a utilização de telemóveis pelos alunos de forma consistente em todo o Ontário.
Para apoiar a implementação do Código de Conduta Provincial atualizado, o ministério também atribuiu 17,5 milhões de dólares para apoiar o plano mais abrangente do Canadá para reduzir as distrações na sala de aula e melhorar a saúde dos alunos. Este novo financiamento irá para novos apoios abrangentes para a saúde mental dos alunos e envolvimento dos pais durante o ano letivo de 2024-25. Isso incluirá:

  • $15 milhões para fornecer apoio aos alunos em risco de comportamentos aditivos;
  • $ 1 milhão para fazer parceria com a School Mental Health Ontario para desenvolver webinars e recursos direcionados a pais e alunos em toda a província para aprender como falar sobre os efeitos adversos do vaping e do uso excessivo de telefones celulares;
  • 1,5 milhões de dólares para os Comités de Envolvimento dos Pais e para os grupos de estudantes, com vista à realização de campanhas de prevenção locais que ajudem a dissuadir o uso de vaporizadores e as distrações causadas pelo uso de telemóveis.

Além disso, o ministério está a criar um grupo de trabalho que inclui parceiros educativos, pais, estudantes e especialistas em saúde para apoiar a aplicação do Código de Conduta Provincial atualizado. O grupo de trabalho prestará aconselhamento ao ministério e ajudará a garantir que as novas regras sejam aplicadas de forma eficiente e coerente em todas as escolas do Ontário.

Para além do efeito que a distração com telemóveis pode ter no rendimento escolar, podemos afirmar que as medidas tomadas nesta matéria se relacionam com a prevenção de questões de saúde mental?
Estas mudanças e investimentos fazem parte do plano do governo para levar os alunos de volta ao básico. Ao eliminar as distrações na sala de aula, os alunos podem concentrar-se na aprendizagem das competências de que necessitam para serem bem-sucedidos após a licenciatura. Esta nova política ajudará os alunos, professores e pais a garantir que as escolas proporcionem um ambiente propício à aprendizagem e ao ensino. Alguns diretores de escolas e pais dizem-nos que apreciam as novas alterações destinadas a eliminar as distrações na sala de aula e a apoiar a aprendizagem e a saúde mental dos alunos.
MB/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

O Facebook/Instagram bloqueou os orgão de comunicação social no Canadá.

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER