Portugal

Parâmetros das “linhas vermelhas” da covid-19 dão sinal positivo

Parâmetros das "linhas vermelhas" da covid-19 dão sinal positivo - milenio stadium - portugal
A unidade de saúde da Ilha de São Miguel, em articulação com a Direção Regional da Saúde, Câmara Municipal da Lagoa, Ordem dos Enfermeiros e com a Junta de Freguesia, vai realizar uma testagem em massa à covid-19, na Vila de Água de Pau, nos dias 5, 6 e7 de julho, Água de Pau, Ilha de São Miguel, Açores, 5 de julho de 2021. Os Açores registaram nas últimas 24 horas 30 novos casos positivos de covid-19, sendo 26 em São Miguel, três na Terceira e um no Pico, verificando-se ainda 33 recuperações da infeção pelo novo coronavírus, foi hoje divulgado. EDUARDO COSTA /LUSA

O risco de transmissibilidade R(t) de covid-19 apresenta uma tendência decrescente em todas as regiões do país e o número de internados em cuidados intensivos está a 40% do limite definido nas “linhas vermelhas” de avalição da evolução da pandemia em Portugal.

São animadores os dados que constam, esta sexta-feira, no relatório de monitorização das linhas vermelhas da covid-19. A Direção-Geral da Saúde (DGS) e o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) concluem que existe “uma atividade epidémica de infeção por SARSCoV-2 de moderada intensidade, com tendência decrescente a nível nacional, assim como uma tendência decrescente na pressão sobre os serviços de saúde e na mortalidade por covid-19″.

O risco de transmissibilidade R(t) “apresenta valor inferior a 1, indicando uma tendência decrescente da incidência de infeções por SARS-CoV-2 a nível nacional (0,83) e em todas as regiões”.

Outro dado a destacar, é a dimiuição dos doentes infetados internados em unidades de cuidados intensivos, “correspondendo a 40% (na semana anterior foi de 50%) do valor crítico definido de 255 camas ocupadas”.

Em relação à testagem, “a proporção de testes positivos para SARS-CoV-2 foi de 1,9% (na semana anterior foi de 3,1%) encontrando-se baixo do limiar definido de 4,0%”, isto quando se verificou “um aumento do número de testes para deteção de SARS-CoV-2 realizados nos últimos sete dias”.

A variante delta continua a ser a variante dominante em todas as regiões do país, estando presente em 99,7% dos casos avaliados entre 30 de agosto e 5 de setembro.

JN

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER