Portugal

“Situação financeira má” da imprensa é “sinal de democracia doente”, diz Marcelo

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, discursa durante a visita ao Regimento de Cavalaria N.º 6, em Braga, 10 de maio de 2021. HUGO DELGADO/LUSA

O presidente da República disse, nesta segunda-feira, que a situação “económica e financeira má” dos órgãos de comunicação social é “sinal de democracia doente”, salientando que esta está dependente de uma “imprensa livre”.

“Um dos problema das nossa democracia é a situação económica e financeira má, e a morte de um a um, de órgãos, primeiro de imprensa local, depois regional e depois nacional. Isso é sinal de democracia doente”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, em Esposende, à margem de uma visita a uma empresa de laticínios.

O chefe de Estado cumpre nesta segunda-feira o primeiro de uma visita de três dias ao Minho, Braga e Viana no Castelo. Hoje de manhã esteve no Regimento de Cavalaria n.º6, em Braga, e durante a tarde visitou a Loja Social de Esposende e uma rádio local em Caminha.

Questionado sobre o motivo da visita a um órgão de comunicação social local, o presidente da República explicou que aquele tipo de órgão é um garante de “proximidade” e de democracia. “A proximidade passa muito pela sobrevivência da imprensa e das rádios locais. Já tiveram períodos muito bons, agora atravessa uma profundíssima crise”, referiu.

JN

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER