Portugal

Azores Airlines: Batismo do Airbus “Marciano Veiga”

Intervenção do Presidente do Governo, Vasco Cordeiro, proferida em Ponta Delgada, na cerimónia de batismo da nova aeronave Airbus A 321 NEO “Marciano Veiga”, da Azores Airlines:
“É com muito gosto que presido a esta cerimónia de batismo deste novo Airbus A321 NEO, a primeira aeronave deste género a ser entregue em Portugal, no âmbito da renovação em curso da frota da Azores Airlines.
Após um ano 2017 particularmente exigente e desafiante para o Grupo SATA, com muitos e diversos assuntos, – e alguns percalços -, que puseram à prova a resiliência, o profissionalismo e a capacidade de superação da companhia e dos seus colaboradores, a Azores Airlines inicia este ano 2018 com uma inequívoca nota de confiança no futuro e de convicção quanto à sua capacidade de cumprir o seu papel e a sua obrigação.
É, pois, uma dupla circunstância, e circunstância feliz, aquela que hoje aqui nos traz. Por um lado, o simbolismo da entrada ao serviço de uma nova aeronave e, por outro, a reafirmação da vontade e da convicção da nossa companhia aérea de cumprir a sua função primeira: servir os Açores e servir os Açorianos. Este património de serviço aos Açores tem sido bem evidente ao longo dos tempos. Para falarmos apenas nos tempos mais recentes, destaco dois momentos: – O contributo vital que deu para a sobrevivência do setor turístico dos Açores, em especial entre 2009 e 2014, anos de maior retração turística na Região;
E se assim é em relação à Azores Airlines, mais evidente se torna a mesma conclusão em relação à SATA Air Açores.
A Azores Airlines opera atualmente numa realidade bastante diferente da do passado recente. Há pouco mais de três anos operavam regularmente nos Açores duas companhias com gestão 100% pública. Hoje, este cenário alterou-se profundamente, havendo mais companhias a operar nos Açores e apenas uma, a SATA, com gestão 100% pública. A caminho dos três anos sobre a alteração do modelo de acessibilidades aéreas aos Açores, essa realidade e a sua compreensão, ao invés de justificar lapsos, apenas reforça a urgência e a ambição de todos quantos, dentro e fora da SATA, querem mais e melhor.
Todas estas circunstâncias, quer as relativas à Azores Airlines, quer as relativas à Air Açores, colocam a todos – acionista, administradores, dirigentes setoriais da empresa e trabalhadores -uma grande e única responsabilidade: a de fazer as empresas triunfarem e, assim, servir os Açores. Como temos visto, sobretudo nos tempos mais recentes, a nível europeu não há companhias de aviação eternas.
É irrelevante se são públicas ou se são privadas, se são de bandeira ou de baixo custo. Qualquer uma pode soçobrar.
Conseguir que a nossa SATA triunfe e voe é uma tarefa e responsabilidade de todos.
Desde um colaborador num escalão inicial de ingresso na empresa, a um diretor, um técnico, pessoal de voo, pessoal de terra, administradores e acionista. É o trabalho e a responsabilidade de todos que fará com que a companhia avance. Por isso, face à dimensão dos desafios e à oportunidade de transformar, da minha parte, da parte do Governo dos Açores, respondemos presente!” Fonte: Azoresairlines

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER