Augusto Bandeira

A lenda do Galo de Barcelos

Tornou-se numa iguaria que representa a gastronomia Barcelense e, um dos símbolos que representa o nosso país, o GALO DE BARCELOS.

A lenda do Galo de Barcelos-portugal-mileniostadiumOs galos estão tradicionalmente associados a grandes virtudes, mas muito mais importante é o canto do galo anunciar o dia. Em todas as casas de agricultores havia um senhor galo, havia uma razão para haver um galo, desde sempre se ouviu dizer que a noite e a sombra estão associadas ao mal e, portanto, o nascer do sol representa a vitória do bem e o galo é o seu arauto. Diziam os entendidos que o galo era como uma figura protetora, em congressos de turismo muitas vezes ouvi a lenda do Galo de Barcelos, contada pelo meu amigo Dr. Francisco Sampaio, um Sr. do Turismo.

Como ele só conheci o falecido Fraga, foi um dos presidentes da Galiza. Tanto um como outro fizeram das suas regiões locais obrigatórios de visitas turísticas, pelo facto de terem feito doutoramento em História Local, estudaram as tradições usos e costumes – assim aconteceu com o Galo de Barcelos, e a lenda diz a realidade: em algumas igrejas com portas viradas a Norte (chamavam-lhe o lado sombrio) da entrada do mal, um galo está sempre associado a fatores positivos, por isso ali existe um galo. Lenda arrepiante se foi realidade: o galo salvou o peregrino que se tornou suspeito e ninguém acreditou na sua inocência até o galo depois de assado cantar.

Assim se lê na lenda que certo dia um galego na passagem por terras barcelenses tornou-se suspeito e as autoridades resolveram prendê-lo e mesmo com juramentos de inocência ninguém acreditou que o galego se dirigisse a Santiago de Compostela, em cumprimento de uma promessa, e que fosse fervoroso devoto de Santiago, S.Paulo e Nossa Senhora. Como ninguém acreditou, foi condenado à forca. Como não convenceu ninguém pediu que o levassem à presença do juiz que o condenara – foi-lhe então concedida a autorização. Levaram-no à residência do juiz, que nesse dia estava com alguns amigos com boa mesa, era mesmo um banquete. O galego voltou a afirmar a sua inocência e perante todos os presentes no banquete ele apontou para um galo assado que estava sobre a mesa e exclamou: “É tão certo eu estar inocente, como certo é esse galo cantar quando me enforcarem”. Ninguém teve a coragem de comentar, foi tão vincada a expressão do galego que ninguém se riu. Todos confusos ninguém tocou no galo. Aquilo que parecia impossível tornou-se realidade! Quando o peregrino estava a ser enforcado, o galo assado ergueu-se na mesa e cantou, logo mais ninguém duvidou das afirmações de inocência do condenado. O juiz correu à forca e viu, com espanto, o pobre homem de corda ao pescoço, o nó impedia o estrangulamento. Imediatamente solto foi mandado em paz e passados alguns anos um monumento foi erguido em louvor a Santiago e à Virgem.

O Galo de Barcelos, segundo a lenda, tem ligações a Santiago – é um símbolo de respeito e além de representar o munícipe de Barcelos representa Portugal, as cores vivas, o vermelho que representa o sangue a paixão, o verde a esperança e liberdade, o amarelo a luz o calor, o fundo em preto o luto os corações a paixão, tudo isto faz sentido depois de se conhecer a lenda e foi pintado com as cores que significavam o acontecimento com o peregrino.

Todos sabemos que o munícipe de Barcelos ofereceu um galo gigante para ser colocado em Toronto, mais propriamente na Dundas, tudo isto numa parceria com a Associação de Comércio e Serviços do Little Portugal, para manter viva a imagem de Portugal naquela zona que está a ficar sem comércio português. O Galo vai ser, ou já está a ser, vestido e a artista vencedora inspirou-se no tema novos inícios, esperança e otimismo. Os temas até concordo, e isto não é uma crítica, é a minha opinião – dou os parabéns a todos os envolvidos neste projeto, porque é muita gente, sem dúvida vai ser uma atração aos que realmente amam o nosso país, o que me deixou um pouco perplexo foram as cores usadas no Galo- Quando ouvi dizer que é para homenagear a cultura do povo português, pela importância simbólica do Galo, também li algures que as cores vibrantes foram utilizadas de forma a celebrar a energia proveniente da escultura, representando uma interpretação do bordado português num toque mais moderno. Na minha opinião de bordados não diz muito, ou então será um moderno já muito avançado e as cores deixam um pouco atrás do que é o Galo que todos conhecemos, o Galo de Barcelos.

Leia também:  Os marcos de Portugal em Toronto

Aceito, não desgosto, mas podia haver cores sem fugir muito da lenda do Galo e ao terem tentando homenagear os bordados, mesmo no tom moderno, podia ter havido uma inspiração nos típicos bordados do Minho, sendo que Barcelos pertence ao Minho. Mesmo assim deixo os parabéns ao Clube de Barcelos pelo excelente trabalho e pela envolvência da Câmara Municipal, e a toda a equipa da BIA – Business Improvement Area pelo trabalho no terreno em escolher a localização. O júri, na minha opinião, ou não conhece a lenda e a história do Galo ou inspirou-se mais na área onde vai ser colocado e não propriamente no que representa.

Viva o GALO DE BARCELOS, que mesmo depois de assado cantou e salvou uma vida.

Bom fim de semana e feliz Dia do Pai a todos os pais.

milenio stadium - augusto bandeira

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER