Mundo

O Papa que não tem papas na língua

O cardeal que veio “do fim do Mundo” para mudar a Igreja e abriu as janelas do Vaticano ao vento da renovação e à saída de escândalos como a pedofilia.

Sempre que o Papa Francisco fala, a Igreja estremece. Os mais tradicionalistas porque estão abertamente contra as mudanças e a renovação que Francisco quer e está a fazer na Igreja e os progressistas porque estão sempre à espera que o Papa passe das palavras aos atos e transforme em doutrina, escrita, questões como o acolhimento dos recasados, a ordenação de mulheres, a integração dos divorciados na Igreja e o afastamento dos membros do clero acusados e condenados por abuso sexual de menores, entre outros.

No meio, estão os restantes fieis, para quem o Papa é, sem qualquer margem para dúvida, o sucessor de Pedro e cujas decisões são inquestionáveis. E Jorge Mário Bergoglio, desde 13 de março de 2013 apresentado ao Mundo como Papa Francisco, tem quase sempre algo a dizer sobre assuntos que, durante séculos, pareciam não interessar aos papas.

Leia mais no JN

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER