Mundo

Grupo Wagner contradiz Putin: “O exército russo está a retirar-se”

russia - milenio stadium

 

O exército russo está a recuar em vários setores do sul e leste da Ucrânia, disse hoje o líder do grupo paramilitar Wagner, contradizendo as afirmações de Moscovo de que a contraofensiva de Kiev era um fracasso.

“O exército [russo] está a retirar-se das áreas de Zaporíjia e Kherson, as forças armadas ucranianas estão a avançar”, declarou Yevgeny Prigozhin num vídeo publicado na rede social Telegram citado pela agência francesa AFP. Prigozhin disse que o mesmo está a acontecer em Bakhmut, no leste da Ucrânia, onde as forças ucranianas estão a penetrar nas defesas russas.

As forças do Kremlin afirmam ter capturado a cidade, onde lutaram os mercenários do Grupo Wagner, mas os ucranianos dizem ter avançado pelos flancos nas últimas semanas. “Não há controlo, não há sucessos militares” por parte de Moscovo, declarou Prigozhin, afirmando que os militares russos estavam a “lavar-se no seu próprio sangue”, uma forma de dizer que estavam a sofrer pesadas perdas.

Os comentários de Prigozhin, que não podem ser verificados de forma independente, contradizem o Presidente russo, Vladimir Putin, e o ministro da Defesa, Sergei Shoigu, que afirmaram que o exército estava a repelir todos os ataques ucranianos.

Putin tem falado em “fracasso”

Nos últimos dias, Putin tem repetido que a contraofensiva ucraniana estava a ser um fracasso e que as forças de Kiev sofreram perdas quase catastróficas. Na quinta-feira, Shoigu disse que o exército ucraniano estava a reagrupar-se, depois de não ter conseguido romper as defesas russas.

Prigozhin descreveu as declarações vitoriosas do Ministério da Defesa em Moscovo como um “profundo engano” e acusou o Estado-Maior de esconder as dificuldades e as perdas russas no terreno.

Numa prova de que está a levar a sério a contraofensiva ucraniana, Putin pronunciou-se várias vezes em poucos dias sobre a situação no campo de batalha, após algum tempo sem comentar em pormenor a situação no terreno.

Enquanto muitos opositores russos e pessoas anónimas estão na prisão por criticarem o conflito na Ucrânia, o líder do Grupo Wagner questionou hoje abertamente as razões pelas quais a intervenção militar foi lançada. “A guerra foi necessária para que um grupo de bastardos fosse promovido”, afirmou.
Prigozhin acusou também os oligarcas russos de terem empurrado o país para a guerra porque precisavam dela, enquanto Kiev, segundo disse, estava “pronta para qualquer acordo”.

 

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

O Facebook/Instagram bloqueou os orgão de comunicação social no Canadá.

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER