CanadáComunidadePortugal

Costa visita Otava, Toronto e Montreal

Joana Leal

O PM António Costa está a visitar esta semana o Canadá. A comitiva oficial tem sete representantes e o itinerário incluiu Otava, Toronto e Montreal. O CETA, a proteção dos oceanos, as alterações climáticas e a segurança coletiva são alguns dos assuntos que vão ser discutidos na visita entre os dois chefes de Estado.
A comitiva de António Costa inclui o presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro; o Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral; o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, João Luís Carneiro; o Secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Dias; o presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) e o candidato à Organização Internacional para as Migrações (OMI), António Vitorino.

 

 

 

 

Na quarta-feira (2 de maio), o Embaixador de Portugal em Otava, o presidente do governo dos Açores e o PM visitaram o Centro Recreativo Português Lusitâniae e na quinta-feira (3 maio) reuniram com a Governadora-geral do Canadá, Julie Payette e com o PM Justin Trudeau no Parlamento.
Depois de terem um encontro com o Grupo Parlamentar de amizade Canadá-Portugal, um grupo de 11 deputados, a comitiva visitou, em Kingston, a Frulact, uma empresa agroalimentar que abriu em 2017 e que criou 55 postos de trabalho.
A Frulact foi criada em Portugal em 1987 e deste aí que tem conseguido desenvolver uma estratégia de internacionalização. Hoje tem oito fábricas, três em Portugal, uma em França, duas em Marrocos; uma na África do Sul e mais recentemente uma no Canadá, onde produz iogurtes.
A Frulact fechou 2017 com vendas de 112 milhões de euros, mais sete milhões do que no ano anterior, com as exportações a valerem 97,5%. Em 2018 a empresa prevê chegar aos 120 milhões.

 

 

 

Esta sexta-feira o PM António Costa vai reunir com a Primeira-Ministra de Ontário, Kathleen Wynne, no Queen’s Park e ao final da manhã deverá participar na conclusão do simpósio económico que dá pelo nome “Relações económicas entre Canadá e Portugal: maximização dos benefícios do CETA”.
O encontro é organizado pelo AICEP e pelo Economic Club of Canada e vai decorrer no Marriot Eaton Centre na Bay Street. No encerramento, para além de António Costa, vai discursar o PM do Canadá.
E porque falamos do CETA (Acordo Económico e Comercial Global), um acordo económico que poderá ser vantajoso para ambas as partes, interessa aqui referenciar as exportações e as importações entre Portugal e o Canadá.
Segundo dados da AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal), num relatório elaborado em 2017, a Agência dá conta que os produtos alimentares foram em 2016 o principal produto das exportações portuguesas para o Canadá (20,3% do total). Seguiram-se as matérias têxteis (11,6%), os químicos (9,8%), as máquinas e aparelhos (9,4%) e os metais comuns (8,8%). “Os cinco primeiros agrupamentos representaram cerca de 60% das nossas vendas de bens para esse país, naquele ano”, explica a AICEP.
No capítulo das importações portuguesas do Canadá, também em 2016, os produtos agrícolas são o mais relevante (65,3% do total). Seguem-se valores menos significativos, como é o caso dos veículos e outro material de transporte (15,0%), as máquinas e aparelhos (6,3%), os produtos químicos (6,1%) e os metais comuns (2,4%). “Estes cinco agrupamentos representaram, em conjunto, 95,1% do valor das importações, no último ano”, cita a AICEP.
Depois do simpósio económico Trudeau vai almoçar com Costa e a sua comitiva no restaurante The Carlu na Yonge Street. O almoço vai durar cerca de duas horas e segue-se uma visita a duas empresas mineiras – a Lundin Mining e a Almonty.
A Lundin Mining está a explorar as Minas de Neves Corvo, em Beja. O investimento foi de 386 milhões de dólares e pretende duplicar a produção de zinco. A Almonty comprou as Minas da Panasqueira, na Covilhã, em 2016. A empresa canadiana já tinha sido proprietária da única exploração de extração de volfrâmio a laborar em Portugal entre 2005 e 2008.
O zinco protege o aço e o ferro da corrosão e o volfrâmio é utilizado na indústria elétrica, nomeadamente para a produção de lâmpadas.
À tarde, por volta das 17:30h, a comitiva vai reunir na LiUNA Local 183 com representantes da comunidade e empresários locais. A reunião é à porta fechada e vai durar cerca de uma hora. Seguem-se os discursos de Joseph Mancinelli, vice-presidente da LiUNA; Jack Oliveira, Business Manager da Local 183; Justin Trudeau, PM do Canadá e António Costa, PM de Portugal.
É aqui que deverá ser assinado o acordo de mobilidade para jovens de que o Secretário de Estado das Comunidades falou na quarta-feira aos jornalistas.
O evento é aberto à comunidade e em Toronto a visita termina com a actuação de Camaná na Local 183.

 

 

 

 

No sábado (5 de maio) a visita continua em Montreal. A comitiva do PM de Portugal vai visitar a Escola Comunitária Missão Santa Cruz e o Centro Canadiano de Arquitetura onde haverá uma mostra sobre a obra de Siza Vieira, vencedor do Pritzker em 1992, o prémio nobel da arquitetura.
A luso-canadiana Suzi Silva, recentemente distinguida nos IPMA nos EUA, vai interpretar os hinos no Cais Alexandra Room e vai ser acompanhada pelo pianista Renato Diz. A visita de António Costa ao Canadá termina com um concerto de Camané em Montreal.

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

 

O Facebook/Instagram bloqueou os orgão de comunicação social no Canadá.

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER