EditorialBlog

A Música transforma-se na Vida

milenio stadium - SJ-IPMA2-final2

 

Nos últimos anos, a indústria da música tem vivenciado uma fase de transição colossal na forma como o negócio é conduzido e no marketing geral dos artistas e das suas músicas.

O caminho transitório que a música percorre deve-se à influência na distribuição e no comércio pela internet que alterou completamente o seu mundo e transformou-o num modelo de negócio anárquico e caótico. O futuro da indústria musical tem sofrido um grande impacto com a pandemia, com empresas como a Live Nation a experienciarem um declínio de ano para ano, e no segundo trimestre de 2020 a rondar os 98%. Embora se preveja uma recuperação em 2022 e 2023, esta será uma reconstrução gradual. Os danos causados pela pandemia impactaram severamente a riqueza dos artistas, deixando muitos artistas de nível secundário numa situação de stress financeiro.

Espera-se que 2022 seja um ano de novas tendências, que incluirá novas formas de encontrar música, NFT’s, cães detetores de Covid em espetáculos, os milennials a impulsionar a procura por concertos e atuações, o regresso do bar da esquina com música ao vivo, as novas formas de encontrar música do escalão demográfico dos 18 aos 29 anos, através de jogos de vídeo e as NFT a tornarem-se convencionais. Artistas independentes e bandas estabelecidas vão abraçar este novo conceito e poderá tornar-se o aspeto predominante da negociação de bens musicais entre usuários num sistema de transação público. Os NFT dão a oportunidade ao criador de se conectar diretamente com os seus fãs e permite um novo tipo de experiência exclusiva que pode ser virtual, presencial ou ambos. Aprenda mais sobre isso pois pode ter um impacto significativo no futuro da música.

Por muito que a indústria musical aparente providenciar oportunidades igualitárias a todos os artistas que querem partilhar as suas almas criativas com o mundo, o facto é que as barreiras para o sucesso são mais complexas do que nunca. As megacorporações controlam a transmissão, a produção e a distribuição musical e apenas algumas almas criativas podem ser aceites. O número de artistas que tentam atingir o sucesso na indústria multiplicou, criando uma superabundância de canções, que nunca terão uma plataforma a tornar-se num marco de vida desses artistas, mas no final, tudo se resume à economia e a ganhar a vida. A realidade é que a maioria dos artistas necessita de um segundo emprego para sobreviver à indústria. A tecnologia moderna ditará o sucesso ou falhanço, sendo que a música se torna cada vez mais baseada em computadores e inteligência artificial. Com oportunidades tão limitadas para os artistas, é importante que se providenciem alternativas a nível global, de uma forma inovadora e criativa, outros canais além da Sony, EMI, Universal e Warner que dominam 85% da indústria musical.

O Spotify, por exemplo, paga $0.004 por cada stream e um artista com um milhão de streams ganha $3,500.00. Uma ninharia depois de tantos anos de investimento nos seus talentos. Há 10 anos atrás, o International Portuguese Music Awards foi criado, no meio de muitos outros espetáculos de premiação. Os IPMA diferenciam-se por serem culturalmente relevantes e por oferecerem, a artistas lusófonos de todas as partes do mundo, a oportunidade de exibirem os seus talentos uma vez por ano numa celebração de todos os géneros musicais. Embora seja solicitado que os artistas tenham descendência portuguesa, o conteúdo musical é universal. O 10º aniversário é a confirmação que existe um lugar longe das piranhas corporativas da música e que proporciona oportunidades àqueles que, de outra forma, se poderiam ver impossibilitados de demonstrar os seus talentos. Esta plataforma irá crescer e continuar a ser inclusiva e a espalhar-se por diversas regiões do mundo na sua celebração anual. Por isso, junte-se a nós no dia 23 de abril de 2022, para celebrar a música no seu melhor, em Providence, Rhode Island, EUA.

A maioria vive as suas vidas através da música, com muitos a afogar as suas mágoas ou a celebrar momentos de felicidade através de uma música favorita. É muitas vezes um escape da realidade, e sem esta fuga as nossas vidas seriam vazias. Deixe que a música engrandeça a sua vida e celebre as palavras que os seus lábios cantam.
“Não se pode guardar tempo numa garrafa”, aproveite o hoje.

Manuel DaCosta/MS


Version in english

Music Becomes Life

The music industry has experienced a huge transitory phase over the past few years about how business is conducted and the overall marketing of artists and their music.

The transitory path that music has taken due to the influences in distribution and commerce by the internet has completely turned its world into a chaotic and anarchic business model. The future of the music industry has been severely impacted by the pandemic with companies such as Live Nation experiencing a 98% year-on-year decline in quarter 2 of 2020. While recoveries are expected in 2022 and 2023, it will be a gradual reconstruction. The damage caused by the pandemic has severely impacted the fortunes of artists, with many secondary level artists being placed in substantial financial stress.

2022 is expected to be a year of new trends, which will include new ways of finding music, NFT’s (non-fungible tokens), covid-sniffing dogs at concerts, millennials driving demand for concerts and other gigs, the return of the corner pub with live music, new ways to find music by the 18 to 29 demographics through video games and NFT’s will go mainstream. Independent artists and established bands are embracing this new concept and could become the predominant aspect of trading music assets between users on a public blockchain. NFT’s empower creators to connect directly with fans and enable new types of exclusive experiences that can be virtual, in-person or both. Learn about it as it can have a significant impact in the future of music.
As much as the music industry appears to provide an equal opportunity to all artists who want to let the world know about their creative souls, the fact is that the barriers to success are more complex than ever before. Mega corporations control streaming, production and distribution of music and only so many creative souls can be accepted into the pipeline. The number of new artists attempting success in the industry has multiplied, creating an overabundance of tunes, which will never see any platforms have become staples in artists’ lives but in the end it’s about economics and earning a living. Reality is most artists need secondary jobs to survive the industry. Modern technology will dictate success or failure with music becoming increasingly computer and artificial intelligence based. With such restrictive opportunities for artists, it is important that alternatives be provided globally in an innovative and creative way, other than through Sony, EMI, Universal and Warner who dominate 85% of the music industry.

Spotify as an example, pays $ 0.004 of a cent per stream and an artist with a million streams earns about $ 3,500.00. Not much of a return for years of investing in your talents. 10 years ago, the International Portuguese Music Awards was created in the midst of many other award shows, the IPMA’s were unequally positioned as culturally relevant and to provide opportunities to Lusofone artists throughout the world to exhibit their talents once a year in a celebration of all genres of music. While the artists are required to have a Portuguese background, the music can be universal in its content. The 10th anniversary is a statement which confirms that there is a place away from the music corporate piranhas to provide opportunities to those who may otherwise not be able to show their talents. This platform will grow and continue to be inclusive and spread to different regions of the world for its annual celebration. So join us on April 23rd, 2022, to celebrate music at its best from Providence, Rhode Island, USA.

Most live their lives through music, with many hiding their sorrows or celebrating happiness with a favourite song. It’s often a gateway from reality and without this decampment, our lives would be hollow. Let your music enhance your life and celebrate the words your lips sing.
“Can’t save time in a bottle”, enjoy today.

Manuel DaCosta/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER