Editorial

A feminização do homem

A guerra aos homens tornou-se num tópico intenso de discussão, principalmente entre a espécie masculina. Cada vez mais, o mundo ocidental é testemunha de uma mudança profundamente negativa nas relações de género e no casamento. Esta transição teve como consequência a rutura de famílias e casamentos danificados, na sua maioria devido ao feminismo moderno. Em poucas décadas, o movimento feminista conseguiu despromover os homens do seu papel de protetores e provedores da família a palhaços dispensáveis e a ideia de que os homens podem ser vítimas é, na maioria das vezes, considerada um absurdo. É certo que o patriarcado está vivo e de boa saúde, mas, em geral, temos vindo a ser enganados pelos promotores do feminismo sob o pretexto de que se trata de direitos iguais e de dar escolhas às mulheres. Não importa o quão bonito é o embrulho do feminismo, porque atualmente não é nada mais do que uma guerra aos homens.

A feminização do homem-editorial-mileniostadium
Cartoon by Stella Jurgen

Hoje, os homens, em particular homens brancos, têm os níveis mais baixos de confiança em abraçar as expectativas de como enfrentar as mudanças, que estão vindo a ser palreadas por algumas mulheres descontentes que consideram que o desequilíbrio na igualdade é causado apenas pelo homem. Como resultado, foram abaladas ou destruídas milhões de relações biológicas e satisfatórias. Hoje, os homens e os rapazes são subvalorizados e desprezados porque se têm vindo a utilizar pincéis, por grupos de interesse próprios, que pintam igualmente as espécies masculinas. Os homens precisam de ser defendidos e chegou a hora de o fazer. Será necessária coragem para falar sobre temas que importam para os homens, ao invés de usarem comparações acerca do nosso respeito pelas mulheres para equilibrar o impacto do nosso processo de pensamento. A ideia de que a espécie masculina tem apenas um processo de pensamento que se confunde com a atividade carnal, diminui quem somos como seres humanos. Os homens são homens e as mulheres são mulheres, não totalmente desiguais, mas muito diferentes. Nós esquecemo-nos de como se celebram as diferenças e, em vez disso, estamos a optar por um conflito irreparável devido a influências imaginárias que o feminismo deve implementar. Qual será o custo deste conflito? Os homens, em particular os homens mais jovens, encontram-se numa conjuntura onde as relações estão a perder a sua importância e estão a emergir em atividades longe das interações sociais. As mulheres procuram homens com formação superior e que ganhem mais do que elas e assim, se esta tendência continuar, muitas não irão encontrar o seu cavaleiro de armadura brilhante, já que são poucos os homens que ingressam no ensino superior. 

Pierre Elliot Trudeau apelou para que os governos não se intrometessem nos quartos da nação. Ao menos ele encorajava as pessoas a copular e manter relações. Já o seu filho, por outro lado, sugere que ninguém tem o direito de opinar sobre o que uma mulher faz com o seu corpo. Esta é uma ótima declaração, mas num relacionamento amoroso essa visão não funciona, especialmente no que se refere à criação de uma família. Até onde as mulheres irão com esta campanha feminista moderna antes que se comecem a prejudicar? Os homens estão a seguir todos os passos necessários para não se exporem a acusações de assédio sexual. Isto resultará na diminuição da comunicação e das oportunidades para as mulheres. Pode existir poder na sala de reuniões, mas são as mulheres que escolhem alienar os homens. As atitudes misóginas terão que ser reavaliadas de ambas as partes, pois só se pode alcançar igualdade se as pessoas confiarem em si mesmas e não nos órgãos que possuem. Você não pode ser aquilo que não vê, e atualmente nós preferimos não ver o sexo oposto, onde suposições erradas parecem ter-se apoderado da gentileza como resultado de inseguranças feridas.

Hoje, as estatísticas que se referem às relações entre homens e mulheres são extremamente negativas. A frase “se nunca mais quiseres fazer sexo, então casa-te” aplica-se frequentemente aos relacionamentos. 55% dos homens casados estão insatisfeitos com a sua vida sexual ou estão aborrecidos sexualmente ainda antes de chegarem à sua cama de casados. Os homens e os rapazes requerem intimidade, e não os desafios políticos que o feminismo traz. Atualmente estamos conectados com a internet e não com os nossos parceiros, e isso não é um bom presságio para o futuro da sociedade. Nunca existiram tantas mulheres formadas e bem-sucedidas como hoje, então porque é que a maioria se sente deprimida sobre a sua sorte na vida? Tetos de vidro, movimentos Me Too, e o facto que os homens já não desfrutarem da companhia das mulheres são realidades da vida. Há um preço a pagar pela liberdade social e sexual e o custo poderá ser que o movimento feminista venha a arruinar as coisas para todos nós. Uma revolução sexual não é liberdade.

Hoje preocupe-se mais com os seus filhos do que com as suas filhas.

Fique bem.

Manuel DaCosta/MS


version in english

Feminization of Man

The war on men has become a topic of intense discussion, particularly among the male species.  More and more the western world is witnessing a profound negative change in marriage and gender relations.  This transition has ruptured family units and fractured marriages, mostly due to modern feminism. 

A feminização do homem-editorial-mileniostadium
Cartoon by Stella Jurgen

n a few decades the feministic movement has managed to demote men from respected providers and protectors of the family to expendable clowns and the idea that men can be victims is mostly dismissed as absurd.  Admittedly, patriarchy is alive and well but for the most part we have been had by promoters of feminism under the pretense that it’s about equal rights and providing women with choices.  It doesn’t matter how pretty feminism is packaged because currently it’s nothing more than a war on men.

Today men, particularly white men, have the lowest level of confidence in embracing expectations of how to confront the changes being parroted by a few disgruntled women who thought the imbalance in equality was caused only by men.  As a result, millions of biologically and fulfilling relationships have been messed up or destroyed.  Today, men and boys are undervalued and despised because paint brushing by self-interest groups has been used to colour the male species equally.  Men need to be defended and the time is now.  It will take courage to speak about the subjects that matter to men, rather than using comparisons about our respect for women to balance the impact of our thought process. The thought that the male species has a single thought process which entwines with carnal activity, diminishes who we are as human beings.  Men are men and women are women, not totally unequal but very different.  We have forgotten how to celebrate the differences and instead are undertaking an irreparable conflict because of imaginary influences that feminism must implement.  What will the cost of this conflict be?  Men, particularly young men, are now at a juncture where relationships are diminishing in importance and are immersing in activities away from social interactions.  Women are looking for men highly educated or that earn more than they do and if this trend continues many will not find their knight in shining armour as fewer men are seeking higher education. 

Pierre Elliot Trudeau asked that governments stay out of bedrooms of the nation.  At least he encouraged people to copulate and sustain relationships.  His son on the other hand, suggests that no one has the right to opine on what a woman does with her body.  That is a fine statement, but in a loving relationship that view does not work, particularly as it relates to the creation of a family.  How far will women go with this modern feministic campaign before it begins to undermine itself?  Men are taking all steps necessary to not expose themselves to accusations of sexual or harassment allegations.   This will result in diminished communication and opportunities for women.  Power may exist in the boardroom but it’s women who make the choices to alienate men.  Misogynistic attitudes will have to be reassessed on both sides as equality can only be achieved if people have confidence in themselves and not by the organs they possess.  You cannot be what you can’t see and currently we choose not to see the opposite sex where erroneous assumptions appear to have taken over from kindness as a result of wounded insecurities.

At present, statistics are abysmal as it relates to relationships between women and men.  The phrase “if you never want to have sex get married” often applies to relationships.  55% of married men are dissatisfied with their sex lives and sexually bored even before getting into the marriage bed.  Men and boys require intimacy, not the political challenges that feminism brings.  Today we are connected to the internet and not to our partners which won’t bode well for the future of society.  There have never been as many successful and educated women as today so why are most feeling depressed about their lot in life?  Glass ceilings, Me Too movements, and men who no longer enjoy women’s company are realities of life.  There’s a price to pay for social and sexual freedom and the cost may be that the feminist movement will ruin things for all of us.  A sexual revolution is not freedom. 

Today you should worry more about your sons than your daughters.

Be well.

Manuel DaCosta/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER