Desporto

Voar… para longe da Taça!

Voa para longe da Taça-desporto-mileniostadium
Créditos: DR

“Hoje é dia da caça, amanhã do caçador”, já cantava Zeca Pagodinho… Se por um lado a equipa de Jorge Jesus “cilindrou” o Marítimo na partida para o campeonato, para a Taça “baixou a crista” e foi completamente atropelado por um dragão cheio de força e vitalidade. Não houve arte nem engenho para ultrapassar a formação azul e branca… nem mesmo quando jogavam contra 10. Já agora, alguém sabe a quanto estão os bilhetes para o Brasil? É para um amigo…

A formação da cidade invicta entrou a matar e fez o primeiro de três golos sem resposta logo aos 32 segundos. Após lançamento para dentro da área, Fábio Cardoso toca para Taremi, mas Grimaldo consegue o corte. No entanto, a bola sobra para Evanilson que só teve o trabalho de encostar.

Aos 7’, após um canto, Helton Leite socou mal a bola, que foi de encontro a Vitinha – o médio aproveitou o erro do guarda-redes encarnado e fez um chapéu, ampliando a vantagem portista. 

Dez minutos depois Darwin ainda colocou o esférico no fundo das redes azuis e brancas mas o lance foi invalidado por fora de jogo do uruguaio.

O F.C. Porto chegou ao 3-0 aos 31’: Luis Díaz deixou para trás o capitão encarnado, passando a bola a Evanilson, que na cara do guarda-redes adversário não perdoou e bisou na partida. O brasileiro acabaria por ser expulso aos 45+2’, por acumulação de amarelos.

Aos 83’ Otamendi viu o VAR anular-lhe o golo por fora de jogo e já em período de compensação o argentino recebeu ordem de expulsão.

Esta foi a sexta vez em 18 eliminatórias que o F.C.Porto afastou o Benfica.

Pela primeira vez na história do clube, o Tondela marcará presença nos quartos de final da prova rainha. Os beirões até começaram o jogo em desvantagem, depois de, na receção ao Estoril, Leonardo Ruiz ter cobrado com êxito uma grande penalidade mas a equipa de Pako Ayestaran não baixou os braços e, com golos de Tiago Dantas, aos 45+3’, Juan Boselli, aos 51’, e Daniel dos Anjos, aos 68’, conseguiu uma verdadeira cambalhota histórica, afastando o quinto classificado da Liga Bwin.

Em mais um duelo entre equipas que militam na I Liga quem levou a melhor foi o Portimonense – o adversário era o Famalicão, que há muito tempo deixou de ter a fama e o proveito de equipa sensação da época de 2019/2020.

A partida não foi além de um empate a uma bola durante o tempo regulamentar: marcou primeiro Aylton Boa Morte (45+2’), mas o Famalicão chegou ao empate aos 81’, num lance de bola parada. Ivo cobrou o canto e Bruno Rodrigues cabeceou para o golo, empurrando o jogo para prolongamento. O resultado não se alterou nesse período e, por isso, a decisão recaiu sobre a marcação de grandes penalidades – foi mais forte o Portimonense, que viu o guarda-redes Payam Niazmand defender dois penáltis.

O Leça voltou a ser feliz na “lotaria” dos penáltis e bateu o Paredes – algo histórico na competição já que assim se tornaram na primeira equipa do quarto escalão do futebol português a chegar aos quartos de final no século XXI. Antes, mais concretamente há 22 anos, só os Dragões Sandinenses o haviam conseguido, eliminando o Estrela da Amadora, da I Liga, na altura treinado por Jorge Jesus.

Após a igualdade no tempo regulamentar que se prolongou pelo prolongamento  (Nani colocou o Leça em vantagem aos 27’ e Ismael empatou de penálti aos 41’), Galil voltou a estar em evidência (já havia defendido quatro pontapés frente ao Arouca) e desta vez negou o golo a Ismael e Ema, permitindo o 6-5 final, que carimbou o acesso à próxima fase para a equipa de Matosinhos.

O Sporting também avançou na prova mas não teve vida fácil frente ao seu adversário, o Casa Pia – clube onde Rúben Amorim iniciou a sua carreira de treinador.

No Estádio Pina Manique, a equipa da casa entrou forte e melhor que os leões – tanto que se colocou em vantagem aos 8’. Após um cruzamento perfeito de Poloni, Jota Silva fez, de cabeça, o golo dos gansos e deixou Coates mal na fotografia.

Os leões, até então adormecidos, começaram a reagir e criar mais jogadas de perigo – o golo acabou por chegar aos 32’, na sequência de um pontapé de canto, por Coates.

Na segunda metade o Sporting conseguiu superiorizar-se ao Casa Pia e construir diversas oportunidades para marcar – Pote ainda enviou uma bola ao poste mas foi mesmo Sarabia, num potente remate, quem fez o golo da reviravolta (57’). 

Nota negativa para Tabata que, pelo segundo jogo consecutivo, viu a cartolina vermelha.

Grande surpresa também no Mafra – Moreirense, com a equipa da II Liga a afastar os cónegos, que não atravessam um bom momento (recorde-se que ocupam a penúltima posição no campeonato). 

Ian Matheus adiantou os primodivisionários aos 26’ e Gui Ferreira, expulso aos 33’ por acumulação de amarelos, deixou a sua equipa em inferioridade numérica. No entanto, a turma mafrense ainda empatou na primeira parte, graças a uma grande penalidade convertida por Bura aos 42’. A reviravolta ficou completa com os golos de Pedro Barcelos, aos 79’, e Andrezinho, aos 85’.

Emoção não faltou no Rio Ave – Belenenses SAD: depois do empate a uma bola (Pedro Nuno aos 9’ e Hugo Gomes aos 43’), os vilacondenses foram mais fortes na marca dos onze metros e avançaram na prova rainha. No mata-mata Chima enviou a bola à trave e ditou o afastamento d’Os Azuis.

Finalmente, o Vizela conseguiu o passaporte para os quartos da Taça ao vencer, com um golaço de Nuno Moreira, o Braga, detentor do troféu.

Os arsenalistas jogaram durante uma hora em inferioridade numérica (Abel Ruiz foi expulso aos 28’). Já em cima dos 90 minutos André Horta também foi expulso após pisar um jogador adversário.

Os quartos de final da Taça disputar-se-ão entre 11 e 13 de janeiro de 2022. Até lá!

Inês Barbosa/MS30

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER