Desporto

Jesus, acorda que já são três

Jesus, acorda que já são três-desporto-mileniosatdium
Créditos: DR.

Quem é fã de memes com certeza já se deparou com um nas redes sociais onde podemos ver um jovem que é acordado pela mãe,que lhe diz: “Filho, acorda! Já são cinco!”. Ao que o rapaz responde: “O quê? Outro golo do Flamengo?” – o meme replica-se para “gozar” com diferentes resultados que vão surgindo no mundo futebolístico e, como já era de esperar, o Benfica – Sporting não foi exceção. Mas neste caso o “jovem” até teve alguma sorte em serem “apenas” três…

É um pesadelo do qual Jorge Jesus parece não conseguir acordar: as exibições do Benfica têm deixado muito a desejar e o dérbi desta 13.ª jornada foi apenas mais uma prova disso mesmo. Ainda que com algumas baixas – Coates, que testou positivo à Covid-19, Palhinha, Jovane Cabral e Rúben Vinagre, todos por lesão – o Sporting foi claramente superior à turma encarnada em grande parte da partida, conseguindo manter a liderança e a invencibilidade na prova.

O 12.º triunfo seguido do Sporting esta temporada começou a ser construído logo aos oito minutos, num golo que espelha bem a estratégia simples mas tremendamente eficaz dos leões: em apenas quatro passes, “desmontaram” a defesa encarnada.

Porro avançou pelo corredor, tocou para Pedro Gonçalves que apareceu por dentro e que entregou,nas costas de Vertonghen, a bola a Sarabia, que encostou de primeira.

Dois minutos depois surge a reação do Benfica, com Rafa a centrar e Grimaldo a tentar o golo de cabeça. A tentativa acabou travada, da maneira possível, por Adán, a bola acabou nos pés de Cebolinha, mas o brasileiro acabou por desperdiçar a oportunidade.

Aos 37’, novo lance de perigo, com Pedro Gonçalves a atirar ao poste e ainda antes do apito para descanso Artur Soares Dias anulou um golo de Paulinho, por fora de jogo.

Na segunda metade – e no pior período do Sporting no jogo – o Benfica conseguiu criar diversas ocasiões de golo, entre elas uma tentativa de Darwin, aos 60’, que foi direitinha à barra. Ora não aproveitaram as águias… aproveitaram os leões! Matheus Nunes, em clara evidência nesta partida, teve mais um momento de inspiração aos 62’, arrancando com a bola do meio-campo e soltou-a no momento perfeito para Paulinho. O avançado picou-a por cima de Vlachodimos e gelou a Luz.

O Benfica voltou, no entanto, a reagir bem a mais um golo mas também voltou a falhar na hora H – dois minutos depois do golo dos visitantes, Rafa atirou à barra.

O 3-0 surgiria apenas quatro minutos depois pelo incrível Matheus Nunes – pegou no esférico e fez dele o que quis.

Numa altura em que vários adeptos do Benfica já haviam abandonado o estádio,  Darwin ainda chegou a colocar a bola no fundo das redes leoninas, mas o ucraniano estava adiantado e o golo acabou anulado. O golo de honra do Benfica só viria a surgir no sexto dos sete minutos de compensação, num remate colocado de Pizzi – claramente insuficiente para evitar a segunda derrota da equipa de Jorge Jesus no campeonato, ambas em casa.

Uma verdadeira aula de bom futebol dada pelo mestre Rúben Amorim a um Jesus que, ao que se tem visto, ainda parece ter uma ou outra coisa a aprender. Uma coisa é certa: com certeza que ainda consegue fazer umas contas de cabeça e perceber que a liderança começa a fugir cada vez mais! Já são quatro pontos de distância…

O F.C. Porto também venceu nesta ronda, mantendo-se colado ao rival Sporting. Um autogolo de Pedro Sá (45+3’), o golo de estreia de Vitinha (70’) e um tento Otávio (75’) permitiram que a formação azul e branca batesse o Portimonense no Algarve.

Ainda que os minutos iniciais tenham sido bastante disputados no Estádio Municipal de Portimão, com ambas as equipas a sentirem dificuldades em avançar para lá do meio-campo, o F.C. Porto conseguiu desenvencilhar-se da defesa algarvia e passou a dominar o encontro por volta dos 20 minutos de jogo.

O primeiro golo surgiu de um livre batido por Luis Díaz, com a bola a bater em Pedro Sá e a ir direitinha para o fundo das redes de Samuel Portugal.

Já na segunda parte, Taremi cruzou para Evanilson e o brasileiro entregou a bola ao jovem Vitinha que atirou a contar para o seu primeiro golo de dragão ao peito.

Finalmente, cinco minutos depois Otávio marcou, com um chapéu ao guarda-redes dos algarvios, o terceiro e último golo do F.C. Porto.

Um golo nos descontos (Henrique, aos 90+5’) permitiu ao Marítimo empatar no Bessa, depois de Musa ter colocado os axadrezados em vantagem aos 5’. O Boavista está no 11.º lugar, enquanto que os madeirenses ocupam a 12.ª posição.

O Vitória SC conseguiu dar a volta ao resultado em Paços de Ferreira e venceu por 2-1. Denilson marcou primeiro, aos 34’, mas Estupiñán, aos 70’, e Bruno Duarte, aos 90’, consumaram a reviravolta.

O Santa Clara recebeu e venceu o Arouca por 2-1 – Cryzan marcou o primeiro dos açorianos aos 21’, Arsénio empatou aos 45+1’, mas um bis do brasileiro, aos 45+5’, garantiu a vitória da equipa insular.

O Gil Vicente goleou, em Barcelos, o Famalicão, com golos de Fujimotto (3’), Navarro (22’ e 76’) e Murilo (40’). Este foi o quarto jogo consecutivo sem perder dos gilistas.

O Braga saiu vitorioso da luta pelo quarto lugar, batendo o Estoril por 2-0, num bis de Ricardo Horta (34’ e 39’). O avançado português ainda desperdiçou um penálti aos 24’.

O Vizela – Belenenses SAD e o Tondela – Moreirense, que se deveriam ter disputado nesta 13.ª jornada, foram adiados para o dia 2 e 3 de janeiro, respetivamente, após terem sido confirmados casos de Covid-19 na equipa lisboeta e tondelense.

Ines Barbosa/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER