Futebol

Dupla imbatível

milenio stadium - dupla - taremi evanilson

 

Pensem neles como uma espécie de dupla de super-heróis. Taremi e Evanilson são o “casamento perfeito” – daqueles em que queremos estar do início ao fim, a ver cada pormenor, e não daqueles em que só pensamos na hora da boda. Os avançados dão um autêntico show de bola e deixam qualquer adepto de futebol colado ao seu espetáculo. Ao todo, a dupla já marcou quase 40% de todos os golos dos azuis e brancos (dos 91 golos marcados em todas as competições, Evanilson apontou 18 e Taremi 17).

Mas não nos ficamos por aqui: o brasileiro e o iraniano são uma das duplas mais produtivas na atualidade, com 59,34% de participação em todos os tentos dos dragões. Taremi já vai com 15 assistências e Evanilson quatro.
Ora, com tudo isto dito, não é de admirar que nesta jornada, na Mata Real, os dragões tenham alcançado o 53.º jogo consecutivo sem perder na Liga – curiosamente, a última vez que foram derrotados foi precisamente no reduto do Paços de Ferreira, na sexta jornada de 2020/21.

O triunfo começou a ser construído aos 17’, por Pepê: depois de André Ferreira ter tirado “o pão” da boca de Taremi, a bola sobra para Wendell, que cruza e encontra o extremo, que de cabeça inaugura o marcador.
Juan Delgado empatou pelos locais, aos 31’, mas Evanilson voltou a colocar a equipa de Sérgio Conceição na frente, aos 38’. O brasileiro bisou aos 52’ e Taremi, aos 59’, fez o quarto dos portistas. Aos 66’ Gaitán reduziu para o Paços mas não evitou a derrota dos pacenses.

Ainda que tenham dominado a partida, os gilistas não foram além de um empate sem golos frente ao Estoril – faltou pontaria à equipa de Ricardo Soares. Já os canarinhos conseguiram pontuar depois de duas derrotas consecutivas e estão no oitavo lugar, a um ponto do Marítimo, que foi a Moreira de Cónegos vencer pela margem mínima.

Uma “cabeçada” certeira de Matheus Costa inaugurou o marcador para a equipa insular, aos 30’, na sequência de um canto, e deu a vitória à turma de Vasco Seabra. O Moreirense permanece assim em penúltimo lugar, com 20 pontos.

No Bessa, os axadrezados e os guerreiros do Minho empataram a uma bola: uma partida equilibrada e onde o Braga foi o primeiro a marcar, numa grande penalidade convertida por Ricardo Horta aos 37’. Já na segunda parte, aos 53’, Yusupha viu-se isolado e não desperdiçou a oportunidade de empatar o encontro. Nota para as (grandes) oportunidades falhadas pela equipa de Carlos Carvalhal perto do final da partida, incluindo uma bola ao poste.

No Algarve, mais um triste episódio para o futebol português: petardos, tochas e (demasiadas) interrupções estragaram aquilo que – supostamente – é um momento de lazer, um espetáculo. Parece que para muitos não é bem assim…

Quando soou o apito final, as águias somaram a sua segunda vitória consecutiva, enquanto que para o Portimonense ainda não foi desta que conseguiram vencer em 2022 – já lá vão 11 jogos.

Foi na linha defensiva algarvia que o Benfica encontrou a maior dificuldade – no entanto, conseguiu rematar bastante – ainda que apenas quatro tenham sido enquadrados. E desses, dois entraram mesmo: o primeiro, de Grimaldo, surgiu já em cima do intervalo, na sequência de um canto. O segundo, logo no início da segunda parte, com Rafa, num remate cruzado, a obrigar Samuel Portugal a defender para a frente, onde aparece Gonçalo Ramos a encostar.

No entanto, isto aconteceu depois da equipa de Nélson Veríssimo se ter visto em desvantagem: o Portimonense aproveitou o único remate em direção à baliza encarnada para marcar. Após um mau passe de Taarabt, Carlinhos isola Welinton Júnior que, na cara de Vlachodimos, coloca os alvinegros na frente do marcador.

Na receção ao Arouca, sem poder contar com Palhinha e Pote, o Sporting esteve longe das suas melhores exibições – no entanto, jogou o suficiente para arrecadar os três pontos que lhe permitem continuar a “morder os calcanhares” do líder F.C. Porto.

O herói da noite foi Slimani, que mostrou que mesmo com 34 anos anos ainda “está para as curvas”: foi ele o autor dos dois golos da vitória dos leões, depois de uma primeira parte onde foram poucas as oportunidades para marcar – salvo um chapéu de Nuno Santos que por muito pouco não deu golo.

Contudo, logo no início do segundo tempo, o recém-lançado Pedro Porro bateu um canto e Slimani cabeceou – obviamente! – para o 1-0. Apenas seis minutos depois, assistido por Nuno Santos, o argelino só teve que encostar e estabelecer o resultado final.

Em Ponta Delgada, o Santa Clara recebeu e venceu o Vizela por 3-1: Bruno Wilson inaugurou o marcador aos 66’ (marcou na própria baliza) e dois minutos depois Cryzan dilatou a vantagem açoriana. Ainda antes de Rui Costa marcar o terceiro dos anfitriões, Kiko Bondoso reduziu pelos vizelenses (82’).

Ainda que o Famalicão se tenha colocado em vantagem logo aos 6’ no D. Afonso Henriques, por Pêpê, os vimaranenses conseguiram dar a volta ao resultado e os três pontos ficaram em Guimarães. Óscar Estupiñán (45+1’) e Rochinha (47’) foram os autores dos golos da reviravolta do Vitória SC, que assim se isolou no sexto lugar.

No fecho da jornada, Tondela e Belenenses SAD empataram a uma bola: o espanhol Manu Hernando adiantou os beirões aos 32’, mas Abel Camará repôs a igualdade aos 63’, mantendo os beirões na 16.ª posição.

Inês Barbosa/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER