Desporto

Desce, desce Benfica desce!

Já teve quatro pontos de avanço sobre os seus principais rivais, o F.C.Porto e o Sporting, mas a pouco e pouco foi facilitando e nesta jornada acabou mesmo por lhes ceder a liderança. Um filme que não é desconhecido de Jorge Jesus…

 Desce, desce Benfica desce-desporto-mileniostadiumO Benfica, que empatou com o Vitória S.C. na Taça da Liga, precisava, em vésperas de dia de Halloween, de “afastar os fantasmas” e dar um “docinho” aos adeptos… E no embate desta jornada, frente à equipa sensação desta edição do principal escalão do futebol português, o Estoril, a coisa até estava bem encaminhada – as águias não perderam tempo e inauguraram o marcador logo aos 2’, num cabeceamento certeiro de Lucas Veríssimo, após canto batido por João Mário.

Um golo madrugador que parecia trazer consigo a confiança que tem vindo a faltar ao conjunto encarnado mas o que se assistiu, na realidade, foi a um decréscimo de qualidades da inspiração à medida que o tempo foi passando. Dani Figueira mostrou-se confiante e foi travando as investidas do Benfica, que seguiu para intervalo a vencer pela margem mínima.

Já em cima do minuto 90, um cabeceamento letal de Rosier estabeleceu o 1-1 final e matou a alegria dos adeptos encarnados. Mais do que os dois pontos perdidos, o Benfica facilitou na Amoreira e perdeu a liderança do campeonato para os dois rivais, F.C. Porto e Sporting.

Outra grande surpresa desta jornada foi a vitória do Belenenses SAD (a primeira dos Azuis esta temporada) sobre o Santa Clara: Safira marcou aos 42’,  Allano empatou a partida aos 90’, de penálti, mas aos 93’ Pedro Nuno deu a vitória ao Belenenses SAD.

O Santa Clara passou assim a ser o “lanterna vermelha”, somando apenas seis pontos. Em Arouca, João Basso (31’, de grande penalidade) e Bukia (68’) assinaram os golos que deram a vitória aos locais sobre o Tondela – um triunfo que permitiu aos arouquenses afastarem-se da zona de descida.

No dérbi da cidade do Porto os dragões não tiveram grandes dificuldades em superar os axadrezados. Na realidade a equipa de Sérgio Conceição acabou mesmo por golear a de João Pedro Sousa por 4-1 – foi a forma perfeita de esquecer a eliminação da Taça da Liga, após ter perdido contra o Santa Clara.

Os azuis e brancos, a jogar em casa, tomaram conta da partida logo nos minutos iniciais e as suas diversas investidas acabaram por dar frutos aos 21’, com Luís Díaz a cabecear para o fundo das redes, após cruzamento de João Mário.

O Boavista ainda chegou ao empate aos 30’, com um grande golo de Hamache: um remate de fora de área sem qualquer hipótese para Diogo Costa.

Onze minutos depois o F.C.Porto voltou a colocar-se em vantagem: Evanilson, após passe do iraniano Taremi, atirou a contar… mas não ficaria por aqui! O brasileiro acabaria por bisar na partida, já na segunda metade, assistido novamente por Mehdi Taremi.

Namaso Loader estreou-se com a camisola dos dragões nesta partida, entrando para o lugar de Evanilson aos 84’, e fê-lo da melhor maneira: marcando! O jovem de 21 anos fechou a contagem aos 90+6’, após arrancada de Luís Díaz pelo lado esquerdo do ataque portista, num toque subtil.

Já os leões receberam e venceram, novamente por 1-0 (na jornada anterior venceram o Moreirense pelo mesmo resultado), o Vitória SC.

Mais uma vitória e mais um jogo sem sofrer qualquer golo – em 10 jornadas, as redes de Adán apenas balançaram quatro vezes (a última frente ao Arouca, na oitava jornada), fazendo com que o Sporting tenha de longe – e até ao momento – a melhor defesa.

Mas não só o resultado foi o mesmo do registado na nona jornada como se repetiu também o marcador e o timing: Sebastián Coates tomou-lhe o gosto e voltou a ser o herói da noite, colocando a sua equipa em vantagem durante a primeira parte.

É, sem dúvida, uma situação de “onde é que eu já vi isto?” que os adeptos leoninos não se importam de reviver… ainda mais quando lhes vale o “salto” para a liderança do campeonato!

É certo, no entanto, que os leões marcaram cedo – o que para o bem e para o mal dá sempre alguma tranquilidade à equipa -, e criaram diversas oportunidades para aumentar a vantagem mas não conseguiu voltar a ser eficaz, acabando a pedir a todos os santinhos que soasse o apito final, já que os vimaranenses nunca se deram por vencidos.

O Vizela, por mais inacreditável que seja, voltou a sofrer um golo aos 90+8’, como havia acontecido na jornada anterior frente ao Benfica, e empatou em Famalicão. Antes, aos 8’, o brasileiro Guilherme Schettine tinha colocado os vizelenses em vantagem.

Em Moreira de Cónegos também não foi além de um empate a uma bola – a equipa visitante, o Paços de Ferreira, até foi a primeira a marcar (Lucas Silva, aos 64’) mas os anfitriões restabeleceram a igualdade aos 86’, por intermédio de André Luís.

Por fim, o quarto classificado (em igualdade pontual com o Estoril), o Braga, goleou o Portimonense por 3-0. Na Pedreira, Galeno bisou (6’ e 53’, com o segundo tento a tornar-se no golo da jornada) antes de Mario González estabelecer o resultado final, aos 90+1’. Os algarvios ocupam o sexto lugar, com 14 pontos.

Inês Barbosa/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER