Brasil

Pfizer garante que fez oferta para entrega de vacinas em 2020 mas Brasil não respondeu

Pfizer garante que fez oferta para entrega de vacinas em 2020 mas Brasil não respondeu
(FILES) In this file photo taken on December 30, 2020 vials of undiluted Pfizer COVID-19 vaccine are prepared to administer to staff and residents at the Goodwin House Bailey’s Crossroads, a senior living community in Falls Church, Virginia. – Pfizer has agreed to move up deliveries of its Covid-19 vaccine to Canada, Prime Minister Justin Trudeau said March 30, 2021, one day after restricting AstraZeneca jabs over safety concerns. (Photo by Brendan Smialowski / AFP)

O gestor da Pfizer para a América Latina disse esta quinta-feira que a empresa fez várias ofertas de vacinas contra a covid-19 ao Brasil, garantindo entregar até 1,5 milhões de doses em 2020, mas não recebeu respostas do Governo.

Segundo Carlos Murillo, a empresa norte-americana enviou propostas oferecendo até 70 milhões de doses de vacina ao Brasil em agosto passado, mas não obteve resposta.

“A nossa oferta de 26 de agosto, como era vinculante, e como estávamos nesse processo com todos os governos [de outros países] tinha validade de 15 dias. Passados esses 15 dias, o Governo do Brasil não rejeitou, mas tampouco aceitou”, afirmou Murillo.

A declaração ocorreu durante um depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado brasileiro que investiga as respostas dadas à pandemia de covid-19.

De acordo com os números apresentados pelo executivo, que listou várias ofertas enviadas pela Pfizer ao Governo brasileiro, o país poderia ter recebido 1,5 milhão de doses ainda em 2020.

Se tivesse aceitado a melhor proposta da Pfizer, o Brasil já teria recebido 18,5 milhões de vacinas até ao momento, sendo 1,5 milhões de doses entregues em dezembro, outras 3 milhões no início deste ano e mais 14 milhões até junho.

O Governo brasileiro só firmou um contrato para compra de vacinas da Pfizer em 19 de março de 2021, quando divulgou a aquisição de 100 milhões de doses do imunizante. O país deverá receber 14 milhões de doses da Pfizer ainda no segundo trimestre do ano.

Nesta semana, o Brasil anunciou que assinou um contrato para comprar outras 100 milhões de doses da vacina desenvolvida pela empresa norte-americana.

A aquisição de vacinas da Pfizer é uma das polémicas da gestão do Governo liderado pelo Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, na pandemia de covid-19.

Bolsonaro, um cético em relação ao perigo da pandemia, chegou a criticar a Pfizer em dezembro passado, alegando que a empresa e outras farmacêuticas deveriam procurá-lo para vender vacina e não o contrário, criticando a falta de apresentação de documentos sobre as vacinas à agência reguladora de medicamentos do país.

No entanto, documentos apresentados pela Pfizer indicam que a empresa havia feito várias propostas ao Governo brasileiro desde agosto.

JN

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER