BlogMúsica

Zelensky nos Grammys: “O que é mais oposto à música? O silêncio das cidades arruinadas”

mILENIO STADIUM - 220403215138-23-grammy-awards-2022 (1)

 

A guerra não passou ao lado do evento anual de entrega de prémios no mundo da música e o presidente ucraniano lembrou que também este setor é importante para combater o “silêncio das cidades arruinadas”.

A 64ª cerimónia de entrega dos Grammys, que aconteceu este domingo, 3 de abril, noite ficou marcada por um apelo em tempo de guerra: “Contem a verdade”, pediu o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky.

O presidente da Ucrânia marcou presença através de um vídeo gravado 48 horas antes e transmitido na gala dos prémios da música, apresentada pelo humorista Trevor Noah. Aproveitando o mote do evento, começou o discurso por falar precisamente do oposto da música: o silêncio após os bombardeamentos de uma guerra.

“A guerra. O que é mais oposto à música? O silêncio das cidades arruinadas e das pessoas mortas. As nossas crianças desenham rockets, não estrelas cadentes. Mais de 400 crianças foram feridas e 153 morreram. E nós nunca as veremos a desenhar. Os nossos pais estão felizes por acordar pela manhã. Em abrigos anti-bomba, mas vivos. Os nossos entes queridos não sabem se voltaremos a estar juntos. A guerra não nos deixa escolher quem sobrevive e quem fica em silêncio eterno”, disse Zelensky.

Volodymyr Zelensky continuou o discurso com um forte apelo sobre o impacto que eventos como este podem para pôr fim ao “silêncio” sobre o qual começou por falar no discurso.

“Defendemos a nossa liberdade. De viver. De amar. De ter som. Na nossa terra, estamos a lutar contra a Rússia que traz um silêncio horrível com as suas bombas. O silêncio da morte. Encham o silêncio com a vossa música! Encham-no hoje para contar a nossa história. Contem a verdade sobre esta guerra nas vossas redes sociais, na televisão. Apoiem-nos da forma que puderem”, pediu.

O presidente ucraniano disse ainda, com esperança, que a “paz virá” para todas as cidades que estão a ser destruídas pela guerra. “Chernihiv, Kharkiv, Volnovakha, Mariupol e outras. Já são lendas. Mas tenho um sonho de vida para eles. E livres. Livres como vós no palco dos Grammys”, terminou Zelensky ao lembrar algumas das cidades mais fatigadas até ao momento.

O presidente ucraniano não falou, no entanto, sobre Bucha, cidade perto da capital, Kiyv. Esta localidade terá sido, de acordo com imagens divulgadas este fim de semana, palco de um massacre de civis ucranianos às mãos das tropas russas.

Sobre o ataque, a Rússia veio dizer que as imagens são encenações e foram “ordenadas” pelos Estados Unidos e pela NATO com o objetivo de criar teorias da conspiração conta a Rússia. A acusação foi feita por Maria Zakharova, porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia, numa entrevista à televisão estatal russa citada pela Reuters, cita o “Observador”.

O Presidente do Comité de Investigação da Federação Russa, Alexander Bastrykin, ordenou mesmo uma investigação sobre as “informações disseminadas pelo Ministério da Defesa da Ucrânia sobre o assassinato de cidadãos em Bucha, na região de Kiev”, avança a agência Tass, segundo a CNN Portugal.

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER