BlogTemas de Capa

ShelterBox envia equipa para ajudar refugiados ucranianos na Polónia e pede a canadianos para doarem mais

milenio stadium - Stephanie Christensen DR
Credits: Stephanie Christensen

 

A ShelterBox enviou uma equipa treinada para ajudar os refugiados ucranianos na Polónia. A organização global de assistência em catástrofes com mais de 20 anos de experiência no terreno disponibiliza abrigo, água, cobertores térmicos e colchões para os refugiados. Com representação no Canadá, a diretora executiva da ShelterBox Canada, Stephanie Christensen, disse ao nosso jornal que a equipa está preparada para o prolongamento do conflito e pediu aos canadianos para doarem para instituições nas quais confiam.

Os refugiados são sobretudo crianças e mulheres e segundo as Nações Unidas até agora a invasão russa da Ucrânia já provocou mais de 2 milhões de refugiados. Desde o seu início em 2000 a ShelterBox já ajudou mais de 2 milhões de pessoas em 98 países. Em 2003 e 2008 a organização sem fins lucrativos esteve na Ucrânia a prestar apoio.

milenio stadium - Stephanie Christensen DR
Credits: Stephanie Christensen

Milénio Stadium: As Nações Unidas informaram esta semana que o número de refugiados ucranianos já atingiu os 2 milhões de pessoas. A ShelterBox enviou uma equipa para a Polónia, o país vizinho com mais refugiados ucranianos. Pode descrever-nos a situação que a vossa equipa encontrou no terreno?
Stephanie Christensen: Neste momento a situação é muito difícil. O que a nossa equipa está a fazer é uma avaliação. Esta fase é realmente importante porque queremos ter a certeza de que quando prestamos ajuda estamos a fornecer exatamente aquilo de que as pessoas precisam e não aquilo que pensamos que elas precisam. Estamos a fazer a avaliação em coordenação com outras agências e tal como referiu, a maioria dos refugiados está a chegar à Polónia. Estamos muito preocupados, não apenas com a atual situação, mas com as necessidades nas próximas semanas e meses, porque esta crise vai continuar a longo prazo.

MS: A vossa organização ajuda mais a nível individual ou há uma preocupação de ajudar uma família inteira?
SC: Depende. Às vezes ajudamos famílias inteiras, mas isso não significa que não ajudemos pessoas individuais. Ninguém é deixado à sua sorte porque está a viajar sozinho ou com a família inteira.

MS: Que tipo de ajuda em concreto é que a vossa organização disponibiliza?
SC: A ShelterBox concentra-se no abrigo de emergência, mas também fornecemos ajuda vital como água, cobertores, colchões, equipamento de cozinha e a ajuda é completamente personalizada com base na situação que encontramos. Neste momento, para os refugiados que deixaram a Ucrânia, estamos a aceitar cobertores térmicos, roupa de inverno para crianças, aquecedores, colchões, kits de higiene pessoal, aqueles produtos vitais para o dia a dia. E também estamos a procurar abrigo de emergência numa grande variedade de locais para as pessoas que ainda se encontram na Ucrânia. Uma vez terminada a fase de avaliação, vamos começar a distribuição. Vamos ter várias equipas a entrar na Polónia e em conjunto com todos os nossos agentes de resposta a conflitos vamos trabalhar a nível local em pequenos projetos e talvez consigamos ajudamos 2.000 famílias.

MS: Como é que podemos doar?
SC: Temos uma grande experiência de trabalho em conflitos em todo o mundo e já temos equipamento na Europa armazenado para ser distribuído rapidamente. Esta é uma crise a longo prazo, há milhões de pessoas necessitadas e nós vamos estar lá o tempo que for preciso. Obviamente, não o podemos fazer sem o apoio de canadianos generosos e outros em todo o mundo, por isso quanto mais fundos angariarmos, mais pessoas seremos capazes de ajudar. A forma mais fácil é visitar a nossa página ShelterBoxCanada.org e doar online, mas também podem enviar-nos um cheque para o nosso endereço em Toronto, localizado no 159 da Jane St.

MS: Quantas pessoas é que vocês têm no terreno e como é que identificam os mais necessitados?
SC: Neste momento temos uma equipa de quatro pessoas no terreno e um profissional de logística está a avaliar a cadeia de abastecimento e a decidir onde os produtos precisam de ser entregues. Todos os membros da nossa equipa de resposta são extremamente bem treinados pelo nosso departamento de operações e estão a trabalhar em conjunto com outras agências. Um dos nossos parceiros é o Rotary International, na Polónia a nossa equipa está a trabalhar em estreita colaboração com o Rotary local. Eles estão muito bem colocados e conhecem muito bem a comunidade.

MS: Sabemos que a maioria dos refugiados ucranianos são crianças e mulheres. Este grupo exige necessidades especiais por parte das equipas humanitárias?
SC: As organizações de ajuda profissional estão bem colocadas no terreno e são muito bem treinadas para lidar com população vulnerável. Obviamente que as mulheres e as crianças estão entre a população mais vulnerável e temos de nos certificar que estamos a prestar a ajuda adequada e a chegar às pessoas que mais precisam e que podem ser facilmente esquecidas.

MS: A ShelterBox Canada tem representação em todas as províncias? Quantos voluntários é que têm no país?
SC: A ShelterBox Canada existe desde 2010, estamos sedeados em Toronto e trabalhamos em todo o mundo como parte da rede global ShelterBox. Disponibilizamos abrigo de emergência personalizado e todas as bases de que as pessoas precisam sempre que há um desastre natural, como por exemplo, terramotos, furacões, tufões e conflitos. Temos cerca de 120 voluntários em todo o país e uma equipa de resposta sediada em Toronto. Temos voluntários que realizam atividades de angariação de fundos e que sensibilizam a comunidade, mas também temos equipas de resposta prontas a serem destacadas.

MS: Quantas pessoas é que já ajudaram até hoje e em quantos países?
SC: A ShelterBox começou no Reino Unido em 2000 e já trabalhou em mais de 100 países e ajudou mais de 2 milhões de pessoas em todo o mundo. Temos atualmente equipas de resposta em locais com conflitos ativos na Etiópia, Moçambique, Burkina Faso, na bacia do Lago Chade e na Síria. Além disso, estamos também nas Filipinas desde o verão depois de um terramoto ter atingido o país e mais tarde um tufão ter deixado ainda mais pessoas desalojadas e estamos também no Iémen.

MS: Já trabalhou no terreno em algum destes países para prestar ajuda humanitária?
SC: Saí três vezes do país com a ShelterBox para responder a crises humanitárias. Desloquei-me às Fiji depois do ciclone tropical Winston, que foi o equivalente a um furacão de nível cinco; estive no Equador depois do terramoto e mais recentemente nas Filipinas. Agora estou a preparar-me para me juntar à equipa de resposta na Polónia para ajudar os refugiados ucranianos.

MS: O que mais a marcou nessas missões de ajuda?
SC: O que me marca sempre é a resiliência das comunidades que passaram por algo tão terrível, a forma como as pessoas se juntam e confiam umas nas outras faz toda a diferença. Na ShelterBox trabalhamos com as comunidades e damos-lhes poder para liderarem a sua própria resposta. Tenho visto famílias que perderam tudo em acontecimentos horríveis e ver a diferença que ter um abrigo e mantimentos faz para elas é algo que me motiva para ir trabalhar todos os dias. É algo realmente espantoso poder dar a alguém a capacidade de recuperar após um desastre e é isso que uma doação à ShelterBox faz.

MS: Qual é a sua mensagem para os canadianos que estão a pensar em doar?
SC: Escolha uma organização humanitária em que confie. É importante lembrar que o envio de mercadorias pode realmente entupir a cadeia de fornecimento humanitário e pode não chegar às pessoas que mais precisavam. Estamos muito bem treinados para fazer essas avaliações de necessidades, para dar prioridade aos mais vulneráveis e garantir que as pessoas estão a receber o que precisam. Passar a publicidade boca-a-boca sobre o que está a acontecer também é uma excelente forma de se envolver.

Joana Leal/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER