BlogTemas de Capa

Quase, quase!

 

porto - liga - milenio stadium

 

O F.C. Porto podia ter sido feliz já nesta 32.ª jornada… Só não foi porque o Sporting não deixou! Os dragões fizeram a sua parte, batendo o Vizela por 4-2, ficando à espera do resultado dos leões frente ao Gil Vicente para saber se poderiam ou não dar início aos festejos – ora a festa grande foi, de facto, novamente adiada… Os azuis e brancos apenas necessitam de um empate na Luz, na próxima jornada, para “largarem os foguetes”. Será que a casa das águias vai ser o salão de festa da equipa de Sérgio Conceição? Ficaremos a saber já este sábado (7)!

Os dragões não tiveram dificuldades, nesta jornada, em chegar à vantagem frente ao Vizela: aos 28’ já o marcador se havia alterado por duas vezes. A primeira por Evanilson, aos 21’, e a segunda por Taremi, aos 28’, de grande penalidade.

Ainda assim, os vizelenses conseguiram chegar ao empate graças aos tentos de Alex Mendez, aos 36’, e de Nuno Moreira, aos 49’. Contudo, os portistas quase não tiveram tempo para “tremer”:

Mbemba colocou o F.C. Porto novamente em vantagem aos 57’ e aos 87’ chegou o bis de Taremi, que ditou o resultado final.

O Famalicão colocou um ponto final numa série de seis jogos sem vencer, derrotando o Estoril Praia por 3-1. Os famalicenses adiantaram-se no marcador durante a primeira parte, por Adrian Marin (45+2’) e já na segunda metade Heriberto Tavares (66’) e Kadile (90+4’) aumentaram a vantagem da equipa da casa. Já os canarinhos, que jogaram desde os 16’ em inferioridade numérica (expulsão de Ferraresi) ainda conseguiram reduzir por Rui Fonte, aos 68’.

David Simão foi o autor do golo solitário que deu a vitória ao Arouca na receção ao Portimonense. Um triunfo de extrema importância para os arouquenses, que lutam pela manutenção, e que acabam a ronda em 15.º lugar, com 30 pontos, a cinco do Portimonense, 12.º classificado.

Já o Belenenses SAD está a ver a sua vida complicar-se cada vez mais… e a despromoção já esteve mais longe! A derrota desta jornada, frente ao Braga, era tudo aquilo de que os azuis não necessitavam – ainda por cima tudo levava a crer que o marcador não se iria alterar até ao apito final! No entanto, aos 90’, Ricardo Horta, após cruzamento de André Castro, fez de pé direito o golo da vitória dos Guerreiros do Minho e deixando a equipa de Franclim Carvalho a fazer contas de cabeça.

Darwin – sem grande surpresa – voltou a ser a chave para o sucesso encarnado. Numa partida em que Nélson Veríssimo apostou na estreia de mais dois atletas da formação do Benfica, Grimaldo (por ter quatro amarelos e, por isso, estar em risco de falhar a receção ao F.C. Porto na próxima jornada caso visse mais um), Taarabt e Gilberto ficaram de fora dos escolhidos pelo treinador das águias.

Já Sandro Cruz, jogador que compete na Liga 2, foi titular nesta partida frente ao Marítimo, e ainda que tenha cometido um erro aqui e ali acabou por ter uma prestação muito positiva. Também Paulo Bernardo foi aposta, mais uma vez, para o onze inicial, junto de Weigl e João Mário.

Também Tiago Gouveia entrou aos 72’, estreando-se pela equipa principal.

O resultado, esse, ficou estabelecido bem cedo, mais precisamente passados apenas 93 segundos – depois de uma primeira investida de Gil Dias, que acabou travada por Paulo Vítor, Darwin surgiu no sítio certo à hora certa para cabecear para o primeiro e único tento da partida (o seu 34.º esta época, 26.º no campeonato). O uruguaio está prestes a tornar-se no melhor marcador desta edição do mais alto escalão do futebol português – neste momento tem mais seis golos do que Taremi.

Nota ainda para a expulsão de Cláudio Wink aos 42’e para a grande defesa de Vlachodimos a um remate de Vitor Costa, que poderia ter resultado no golo do empate.

De um jogo de futebol que esteve longe de ser entusiasmante e de qualidade saiu um empate a uma bola: o Vitória SC inaugurou o marcador aos 32’, num cabeceamento fulminante de Óscar Estupiñán, mas os açorianos chegaram ao golo da igualdade aos 55’, numa grande penalidade convertida por Allano.

O Boavista garantiu a permanência na I Liga ao bater o aflito Moreirense, que continua em situação complicada na tabela.

Kenji Gorré, aos 20’, adiantou os axadrezados mas Rafael Martins igualou a partida aos 88’. No entanto, apenas um minuto depois Petar Musa voltou a colocar o Boavista em vantagem, ditando assim a segunda derrotada consecutiva dos cónegos.

Já o Sporting garantiu também não só (para já é até ver…) o segundo lugar como também os milhões da Champions com uma grande exibição frente ao Gil Vicente.

A jogar em casa, os leões não se mostraram abalados pela vitória dos dragões, muito pelo contrário – confiante e competente, o Sporting chegou à vantagem na conversão de uma grande penalidade (Sarabia, 21’) e aos 36’ ampliou-a, graças a um potente remate de Marcus Edwards.

Ainda antes do intervalo, os gilistas reduziram por Navarro, num lance que teve que ser confirmado pelo VAR.
Já na segunda metade a equipa de Rúben Amorim chegou ao 3-1: Nuno Santos, ultrapassou um adversário, tentou o cruzamento mas este acabou por desviar em Lucas, que colocou o esférico na própria baliza.
Ainda antes do apito final Navarro cometeu grande penalidade sobre Pedro Gonçalves e este não perdoou, marcando o 4-1 final.

O empate a uma bola entre Tondela e Paços de Ferreira fechou esta jornada: Salvador Agra deu a vantagem aos tondelenses aos 32’, mas no cair do pano o Paços de Ferreira conseguiu empatar, por Lucas Silva (90+2’). A equipa de Nuno Campos fecha assim a jornada no 15.º lugar, com apenas mais um ponto que o Moreirense, primeiro nos lugares de despromoção.

Inês Barbosa/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER